Fortaleza 0 x 0 Santos

Data: 19/06/2005, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Governador Plácido Castelo, o Castelão, Fortaleza, CE.
Público: 26.517 pagantes
Renda: R$ 272.586,00
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (RJ).
Auxiliares: José Cláudio Paranhos e Avelino Menezes Pimentel (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Flávio, Wendel, Bóvio, Fabiano e Ricardinho (S); Alan, Bosco, Mazinho Lima e Fumagalli (F).

FORTALEZA
Bosco; Amaral, Alan, Ronaldo Angelim e Mazinho Lima; Dude (Índio), Erandir, Igor (Fumagalli) e Lúcio; Clodoaldo e Rinaldo (Marcos Denner).
Técnico: Vágner Benazzi

SANTOS
Mauro; Flávio, Ávalos, Altair e Wendel (Carlinhos); Bóvio, Élton, Ricardinho e Giovanni; Luciano Henrique (Basílio) e Danilinho (Fabiano).
Técnico: Gallo



Desfalcado, Santos empata com Fortaleza

A eliminação na Copa Libertadores ainda não foi assimilada pelo Santos. Sem contar com sete jogadores considerados fundamentais no esquema do técnico Gallo, o Alvinegro ficou apenas no empate por 0 a 0 com o Fortaleza, nesta tarde de domingo, no estádio Castelão.

O placar diminui um pouco a diferença do time paulista para as primeiras colocações. Com mais um ponto, o Peixe chegou aos 14, em sexto, quatro a menos que o Botafogo, derrotado pelo São Paulo por 1 a 0, no Morumbi.

O Fortaleza também não vive grande momento. Este foi apenas o oitavo ponto conquistado pela equipe, que ainda ocupa a 16ª posição, bem próxima da zona do rebaixamento. Seu melhor momento no torneio foi a 12ª colocação obtida na quinta rodada.

Apesar de não vencer há cinco partidas, os santistas deixaram o gramado comemorando o resultado, principalmente por causa das ausências de Leonardo, Léo, Paulo César, Fabinho, Zé Elias, Robinho e Deivid.

Por outro lado, a situação do técnico Gallo ainda permanece instável. O treinador deixou de ser unanimidade no Litoral e, mesmo garantindo que não vai pedir demissão, já passa a conviver com a sombra de Emerson Leão.

Para o Tricolor cearense, era a chance de se recuperar depois de duas derrotas – Internacional e Paraná – fora de casa. O último triunfo foi obtido há três rodadas, quando bateu o Brasiliense por 2 a 0, novamente em casa.

O resultado, aliás, mantém um tabu do Santos de nunca ter perdido para o Fortaleza. Em nove partidas pelo Campeonato Brasileiro, o Alvinegro venceu cinco e empatou apenas três.

Na próxima rodada, o Peixe volta a campo para enfrentar o São Caetano, domingo, às 16h, no estádio Anacleto Campanella, no ABC. O Fortaleza vai até Curitiba enfrentar o Atlético-PR, no mesmo dia, às 18h10, na Arena da Baixada.

O jogo

Apesar de todos os problemas, o Santos começou o confronto dominando. Com bom toque de bola, o Alvinegro envolveu com facilidade a marcação adversária, mas não conseguia se infiltrar na área.

A primeira boa oportunidade surgiu aos 6min. Após jogada pelo meio, Giovanni chutou forte e a bola passou por cima da meta de Bosco.

Depois de um início apagado, o Fortaleza começou a se arriscar no campo de ataque a partir dos 20min. O time da casa, porém, sentia falta de uma melhor atuação dos meias Igor e Lúcio, que pouco criavam, e praticamente não acionavam os atacantes Clodoaldo e Rinaldo.

O Peixe voltou a assustar aos 33min e perdeu grande oportunidade para marcar. Danilinho fez boa jogada pela esquerda e foi à linha de fundo. Na saída do goleiro, o avante tocou para trás e Luciano Henrique, sem marcação, tentou de peixinho, mas mandou a bola à direita do gol.

A resposta do Tricolor veio aos 38min, e com a chegada de um jogador de defesa ao campo ofensivo. O zagueiro Ronaldo Angelim recebeu passe na entrada da área, pela esquerda, cortou para o meio e chutou forte. Mauro espalmou e salvou.

No minuto seguinte, o Santos quase abriu o placar. Luciano Henrique avançou pela esquerda, invadiu a área e bateu cruzado. Bosco defendeu parcialmente e a zaga afastou para escanteio.

Logo no primeiro minuto da etapa complementar, o Fortaleza quase fez em falha do goleiro Mauro. Após cobrança de escanteio, o camisa 1 santista não conseguiu segurar e a bola caiu nos pés de Ronaldo Angelim que, com um leve toque, acertou a trave direita da meta.

Aos 6min, foi a vez de Giovanni criar. O meia recebeu na área, driblou um marcador e chutou com estilo. A bola passou próxima ao ângulo superior direito de Bosco e foi pela linha de fundo.

Mais agressivo, o Fortaleza chegava com perigo ao ataque. Com Rinaldo jogando mais aberto pelas laterais, o time ganhou espaço para criar. Aos 33min, Mazinho Lima errou cruzamento e quase encobriu o goleiro Mauro, que se esticou todo para desviar para fora.