Goiás 3 x 4 Santos

Data: 10/07/2005, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 11ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia,GO.
Público: 6.450 pagantes
Renda: R$ 75.790,00
Árbitro: Alicio Pena Junior (MG)
Auxiliares: Marco Antônio Gomes e Guilherme Dias Camilo (ambos de MG).
Cartões amarelos: Cléber Gaúcho, Romerito, Aldo, Roni (G); Fabinho e Wendell (S).
Cartão vermelho: Cléber Gaúcho (G).
Gols: Douglas (06-1), Aldo (09-1), Souza (37-1), Douglas (39-1), Basílio (45-1); Ricardinho (11-2), Jorge Mutt (26-2).

GOIÁS
Harlei; Paulo Baier (Vitor), Aldo, André Leone e Jadílson; Cléber Gaúcho, Marcelo Silva (Thiago), Romerito e Rodrigo Tabata; Roni e Souza (Jorge Mutt).
Técnico: Édson Gaúcho

SANTOS
Mauro; Paulo César, Ávalos, Altair e Carlinhos; Fabinho (Halison), Bóvio, Ricardinho e Giovanni; Douglas (Wendell) e Basílio (Danilo).
Técnico: Gallo



Santos ‘ignora’ ausência de estrelas e bate Goiás

Os substitutos do Santos, ao menos provisoriamente, deram conta do recado. Neste domingo, com grande atuação de Douglas e Basílio, o time alvinegro bateu o Goiás por 4 a 3, fora de casa, e retornou “aos eixos” no Campeonato Brasileiro.

Douglas, autor de dois gols, era o reserva de Deivid, enquanto Basílio, que marcou uma vez, vivia à sombra de Robinho. A antiga dupla de ataque santista fizera 44 dos 80 gols do time até este domingo. A marca correspondia a 55% do total de bolas na rede.

Porém, atuando nos contra-ataques, o time paulista foi efetivo e conseguiu derrotar pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro o Goiás como mandante. Anteriormente, o clube da região centro-oeste tinha o retrospecto de três vitórias e dois empates.

O bom resultado leva o time comandado por Gallo aos 21 pontos e o aproxima dos líderes da competição. Os quatro gols marcados também deixaram o Santos com o melhor ataque da competição, com 22 gols. A vitória ameniza também o clima na Vila Belmiro, que nos últimos dias andou tenso por causa da iminente saída de grandes pilares.

Além do imbróglio Robinho-Real Madrid, o atacante Deivid está à espera de uma decisão do Bordeaux, da França, sobre o seu futuro. Já o lateral-esquerdo Léo anunciou sexta-feira que está deixando a Vila.

Em contrapartida, o atacante Denílson, do Bétis, pode ser anunciado como novo reforço nesta semana. Outros que interessam são o atacante Nilmar e o lateral-esquerdo Kléber.

Com 17 pontos, o Goiás, que vinha de duas vitórias, segue na faixa intermediária da tabela. A derrota em casa deteriorou um pouco a relação entre a torcida e o técnico Edson Gaúcho. Neste domingo, ele foi constantemente vaiado e chamado de “burro” durante parte do segundo tempo do duelo.

A próxima rodada será de clássicos para ambos. Sábado, o Goiás faz o duelo da região centro-oeste contra o Brasiliense, às 16h, no estádio Serra Dourada. Domingo, no mesmo horário, o Santos enfrentará o São Paulo, na Vila Belmiro.

O jogo

O Goiás começou superior, apostando nos avanços do lateral-esquerdo Jadílson. Porém, em um contragolpe, os visitantes abriram o placar. Aos 6min, Carlinhos encontrou Basílio livre na ponta esquerda. O atacante recebeu e rolou para Douglas, livre, tocar para o gol.

Três minutos depois, o time alviverde empatou. Jadílson cruzou da esquerda, Souza escorou e Aldo, de cabeça, marcou. Após os dois gols, a partida caiu bruscamente de ritmo.

Apenas aos 34min, Roni esteve perto de marcar, mas a bola passou por cima do travessão. No mesmo minuto, André Leone cabeceou livre na entrada da pequena área e Mauro defendeu.

De tanto insistir, o Goiás conseguiu a virada. Aos 37min, Romerito rolou para dentro da área, Rodrigo Tabata deu lindo toque de calcanhar e Souza completou de primeira para o gol.

A vantagem do clube do centro-oeste só durou dois minutos. Aos 39min, Douglas recebeu na ponta direita e encobriu Harlei. Antes de a bola entrar, Cléber Gaúcho ainda tentou salvar, mas ele acabou colocando-a para dentro do gol.

No último lance do primeiro tempo, o Santos ficou novamente à frente no placar. Carlinhos avançou pela esquerda e passou para Giovanni. O meia encontrou Basílio, livre, na entrada da área e o atacante recebeu e bateu na saída de Harlei.

Logo nos segundos iniciais da segunda etapa, o Goiás assustou. Roni foi ao fundo e chutou cruzado. Souza tentou desviar, mas a cabeçada foi para fora.

Enquanto os anfitriões apertavam, o Santos assustou aos 5min. Ricardo Bóvio entrou driblando na área e chutou com perigo. A situação dos goianos ficou ainda mais complicada aos 9min. Cléber Gaúcho fez falta em Basílio, recebeu o segundo cartão amarelo e deixou o Goiás com um jogador a mais.

Logo na seqüência, aos 11min, Douglas chutou e Harlei defendeu. No rebote, o mesmo Douglas cruzou e Ricardinho pegou de primeira e marcou um belo gol. Desestruturado, o Goiás quase sofreu o quinto aos 18min. Basílio recebeu cara-a-cara com Harlei, mas o camisa 1 goiano fez a defesa.

Quando o quinto gol santista parecia questão de tempo, o Goiás diminuiu. Aos 26min, Jorge Mutt recebeu na entrada da área e acertou o ângulo direito de Mauro.

O gol reacendeu o Goiás, que pressionou. Aos 38min, Rodrigo Tabata cobrou falta na trave esquerda de Mauro. Três minutos depois, Roni desviou de cabeça, Mauro falhou, mas a bola foi para fora.

Aos 44min, Roni chutou, Fabinho cortou com a mão dentro da área, mas o árbitro Alicio Pena Júnior não marcou o pênalti.

Sem Robinho, Santos continua sem perder

Depois que o craque se apresentou à seleção brasileira e não atuou mais pelo Peixe, a equipe não perdeu mais no Brasileiro.

Apesar de não contar com sua maior estrela nas últimas partidas, o Santos se mantém invicto no Brasileirão. Sem Robinho no elenco, em cinco partidas, o Alvinegro conquistou duas vitórias e três empates.

Na única derrota do Santos na competição sem a presença do atacante, 2 a 1 para o Palmeiras, o jogador foi poupado para a primeira partida das quartas-de-final da Copa Libertadores da América, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada. Após esse jogo, Robinho se apresentou à seleção brasileira e não voltou a jogar pelo Alvinegro.

Mesmo com a saída de seu craque, o Peixe continua fazendo muitos gols. Com os quatro gols marcados neste domingo, a equipe chega a oito gols sem Robinho. Somente em duas ocasiões, nos empates por 0 a 0 com Fortaleza e Juventude, o time não marcou.

Um dos responsáveis pela boa fase do Peixe é o meia-atacante Giovanni. Recém contratado do futebol grego, ele acredita que a equipe tem a obrigação de manter o bom desempenho, mesmo sem Robinho.

“Não só eu, mas toda a equipe tem que encarar essa responsabilidade. É sempre bom mantermos a regularidade, mesmo sem ele”, afirmou Giovanni.

A situação de Robinho continua indefinida. Apesar das ordens da diretoria do Santos, o jogador faltou a todos os treinamentos da equipe nesta última semana e deve ser punido.

Segundo o jornal espanhol Marca, o presidente do Real Madrid, Florentino Peres, deve embarcar para o Brasil para acertar, junto aos dirigentes do Peixe, a transferência do atacante.