Cruzeiro 3 x 2 Santos

Data: 24/07/2005, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 16.278 pagantes
Renda: R$ 140.517,50
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e José Javel Silveira (RS)
Cartões amarelos: Fábio Santos (C); Diego e Ávalos (S).
Gols: Halisson (23-1), Fred (29-1) e Ricardinho (33-1); Kelly (06-2) e Adriano (14-2).

CRUZEIRO
Fábio; Jonathan (Irineu), Moisés, Leandro e Patrick; Diogo, Fábio Santos (Marabá), Kelly e Wagner (Kerlon); Adriano e Fred.
Técnico: Paulo César Gusmão

SANTOS
Saulo; Paulo César, Ávalos, Hallisson e Carlinhos (Élton); Wendel (Luciano Henrique), Bóvio, Ricardinho e Giovanni; Diego (Geílson) e Basílio.
Técnico: Gallo



De virada, Cruzeiro vence Santos e encosta

Donos dos três últimos títulos nacionais, Santos e Cruzeiro já não possuem mais elencos recheados de estrelas que os levaram a dominar o futebol brasileiro. Apesar da inferioridade técnica em comparação com as temporadas anteriores, os times fizeram um jogo de cinco gols, neste domingo, no Mineirão. Melhor para os donos da casa, que venceram por 3 a 2, de virada, e seguem invictos com Paulo César Gusmão.

O resultado faz o clube celeste se recuperar do tropeço diante do Coritiba (2 a 2), na última quarta-feira, em Belo Horizonte. Agora, o time acumula três vitórias e um empate com o novo treinador. De quebra, eles pulam para o sétimo lugar, com 24 pontos, de volta à briga pelo título.

“Chegamos há pouco tempo, a gente necessita de um tempo para colocar essa equipe da maneira que a gente gosta, na parte técnica, física e tática. Temos de caminhar muito. As vitórias não podem encobrir os erros, mas é bom corrigir os erros com as vitórias”, destacou PC.

Já os santistas não conseguem reagir depois da trágica derrota também por 3 a 2, de virada, para o Vasco, na Vila Belmiro. A segunda derrota consecutiva faz o time permanecer com 24 pontos, em quinto lugar, mas perdendo boa chance de se aproximar ainda mais dos líderes do Campeonato Brasileiro.

Com a saída de Deivid e a iminente negociação de Robinho, o técnico Gallo foi obrigado a apostar em jogadores das categorias de base para o confronto. A começar pelo gol, onde o garoto Saulo foi escalado para substituir o lesionado Henao. No ataque, Diego fez companhia a Basílio.

“Esperamos melhorar nosso elenco nos próximos dias. E os jogadores que virão serão para a parte defensiva. Estamos passando por um processo de reformulação e não podemos deixar a pressão sobre os garotos”, afirmou Gallo.

A vitória dos mineiros, aliás, os coloca com vantagem na história dos confrontos. Agora, os cruzeirenses venceram 11 vezes contra apenas dez dos santistas. Aconteceram ainda outros dez empates.

O Santos volta a campo na próxima quarta-feira para enfrentar a Ponte Preta, às 21h45, na Vila Belmiro. O Cruzeiro visita o Corinthians, no mesmo dia, mas às 20h30, no estádio do Pacaembu, em São Paulo.

O jogo

O Cruzeiro começou a partida bastante ofensivo. Logo aos 2min, Wagner arriscou chute de fora da área e acertou a trave da meta de Saulo. O time, no entanto, não conseguiu dar seqüência à pressão.

Melhor para o Santos, que respondeu aos 8min e quase inaugurou o marcador. Basílio recebeu na área, tirou de Fábio, mas Diego não conseguiu completar com o gol vazio.

Quatro minutos mais tarde, os paulistas voltaram a assustar. Basílio cruzou, a bola desviou em um marcador e sobrou para o camisa 1 do Cruzeiro. Ele não conseguiu segurar e Diego bateu forte, acertando o travessão.

Aos 23min, o Santos abriu o placar. Giovanni chutou da entrada da área, o goleiro adversário não conseguiu segurar e soltou nos pés de Halisson, que apenas empurrou para o fundo do gol.

O Cruzeiro empatou aos 29min. Após cruzamento da direita, Fred apareceu entre os zagueiros e, de peixinho, desviou no canto direito de Saulo. Quatro minutos mais tarde, Ricardinho cobrou falta com perfeição sem chances de defesa para Fábio e colocou seu time novamente em vantagem.

No segundo tempo, o Cruzeiro não demorou a empatar. Logo aos 6min, Wagner tocou para Kelly que, de primeira, bateu forte e acertou o canto esquerdo de Saulo, deixando tudo igual novamente. A virada veio aos 14min, quando Kelly tocou para Adriano, no meio da área, fazer o terceiro.

Com a desvantagem, o técnico Gallo tentou melhorar seu time com as entradas de Élton e Geílson. Em vão. Nos minutos finais, o Santos buscou o ataque desesperadamente, mas não conseguiu empatar.

Tarde de estréias

Com o elenco passando por reformulação, o técnico Gallo foi obrigado a apostar na garotada.

Chance para o goleiro Saulo e o atacante Diego, que fizeram suas estréias no time profissional. O primeiro barrou o ex-titular Mauro e substituiu Henao, machucado, enquanto o outro ocupou um dos postos deixado por Deivid e Robinho.

“Não poderia ter melhor oportunidade do que estrear em um jogo importante como este. Teria medo de jogar se fosse contra o Santos, mas, como não foi, estive tranqüilo”, afirmou o novo camisa 1.

Cruzeiro em vantagem nos confrontos

Além de voltar a brigar pelo título do Campeonato Brasileiro, a vitória deste domingo serviu para o Cruzeiro passar o Santos na história do duelo entre os clubes.

Agora, os mineiros possuem 11 vitórias contra dez dos paulistas. Aconteceram ainda dez empates pelo Nacional desde 1971.

Gallo lamenta falhas e pede zagueiros

Treinador acredita que o Santos ‘apagou’ no segundo tempo e levou a virada do Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão.

A derrota para o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, serviu para o técnico Gallo voltar a pedir reforços no Santos. Após a partida, o treinador frisou a importância da chegada de jogadores para a defesa.

“Esperamos melhorar nosso elenco nos próximos dias. E os jogadores que virão serão para a parte defensiva. Estamos passando por um processo de reformulação e não podemos deixar a pressão sobre os garotos”, afirmou.

Apesar de o time levar nova virada no Campeonato Brasileiro – na semana passada, foi batido por 3 a 2 pelo Vasco -, o treinador descartou a possibilidade de o Peixe estar mal fisicamente. No entanto, o técnico cobrou mais atenção dos jogadores.

“Não foi nada com a parte física. Demos um vacilo nos gols deles. Isso não pode acontecer, temos que melhorar. Tivemos o jogo nas mãos durante todo o tempo, mas o time apagou durante 10min. Méritos do ataque do Cruzeiro”, acrescentou.

Mesmo com a derrota, Gallo acredita que o importante é continuar entre os primeiros colocados. Para ele, até a 28ª rodada serão definidos os times que realmente brigarão pela conquista do título nacional.

“Precisamos montar um time rápido e fazer uma intertemporada para acertar o time. A partir de agora, as coisas se definem e temos que continuar bem posicionados para seguir na disputa”, completou.