Santos 3 x 3 América-SP

Data: 20/03/2005, domingo, 18h00.
Competição: Campeonato Paulista – 13ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público:
Renda: R$
Árbitro: Anselmo da Costa
Auxiliares: Paulo Sérgio Berghiroli e Carlos Augusto Nogueira Júnior
Cartões amarelos: Mário (A) e Robinho (S).
Cartão vermelho: Mário (A)
Gols: Robinho (08-1), Basílio (22-1) e Danilo (43-1); Finazzi (10-2), Basílio (13-2) e Guin (23-2).

SANTOS
Mauro; Flávio, Leonardo, Ávalos (Alisson) e Giba; Bóvio, Ricardinho e Fábio Baiano (Beto); Robinho, Deivid (Evando) e Basílio.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

AMÉRICA
André Zandoná; Dú, Chicão, Daniel Marques e Wellington; Mário, Lau, Guin e Danilo (Johnson); Laírson (Emerson) e Finazzi (Hudson).
Técnico: Roberval Davino



Santos empata e se distancia do título

O Santos tropeçou pela segunda vez consecutiva. Após perder no meio de semana pela Libertadores da América (2 a 1para a LDU), o time apenas empatou com o América por 3 a 3 na noite deste domingo, na Vila Belmiro, e pode ter dado adeus ao título do Campeonato Paulista.

O resultado deixa a equipe com 28 pontos, sete atrás do líder São Paulo, isso a seis rodadas do término da competição. Mesmo que vença o confronto direto contra a equipe do Morumbi, o Alvinegro precisa que o Tricolor tropece nos seus outros jogos.

Já o América segue sem perder, agora há cinco jogos. A última derrota do time foi no dia 20 de fevereiro, para o São Caetano, quando foi batido por 3 a 1, no estádio Anacleto Campanella.

Com o empate, a equipe de Rio Preto foi a 16 pontos e segue em 14º lugar, com mesmo número de pontos de Ponte Preta e Portuguesa Santista, mas perde nos critérios de desempate.

Os artilheiros Robinho e Finazzi voltaram a marcar nesta partida. Com os gols que fizeram, passaram a dividir a artilharia do Paulistão agora com 11 gols, e deixaram para trás Diego Tardelli, do São Paulo, e Frontini, do Marília, ambos com 10.

O jogo

Precisando vencer para afastar o mal-estar vivido durante a semana, o Santos foi para cima do América desde o primeiro minuto de jogo. Com toques rápidos e Robinho em noite inspirada, a equipe chegava fácil ao gol adversário.

Dessa forma, o gol não demorou a sair. Robinho fez jogada individual pelo lado esquerdo do ataque e sofreu falta. Na cobrança, Fábio Baiano levantou na área e o mesmo Robinho apareceu para fazer de cabeça, 1 a 0.

Muito retraído, o América só criou uma boa oportunidade aos 15min. Guin recebeu livre pelo lado esquerdo da zaga santista, mas bateu pra fora. Um minuto depois, Lau aproveitou passe errado de Fábio Baiano e arriscou. A bola passou à direita de Mauro.

Mas, diferente da equipe apática que jogou diante da União Barbarense no último domingo, o time alvinegro jogava com vibração e muita velocidade, criando chances perigosas de gol, principalmente com Robinho.

Aos 20min, o camisa 7 recebeu a bola de Ávalos pouco depois do meio-campo. O atacante avançou, driblou quatro adversários e chutou, mas a bola bateu em um dos zagueiros do América e voltou em sua mão, impedindo o que seria um belo gol.

Pressionando, o time de Oswaldo Oliveira chegou mais uma vez dois minutos depois, e aumentou o placar. Deivid pegou a bola no lado esquerdo do ataque, se livrou de dois marcadores, tabelou com Robinho e serviu Basílio.

Sozinho pelo lado direito, já dentro da área, o atacante alvinegro só teve o trabalho de tirar do goleiro André Zandoná, fazendo o segundo do Peixe.

O ataque não parava e aos 28min Deivid perdeu um gol incrível. Após tabelar com Basílio e ficar cara-a-cara com o camisa 1 do América, o atacante tocou de pé esquerdo, pra fora.

Como o Santos diminuiu o ritmo, a equipe de Rio Preto passou a apostar mais nas jogadas de ataque. Aos 37min, Danilo, o mais perigoso do time, recebeu dentro da área, mas, frente a frente com Mauro, finalizou à direita do gol.

Aos 43min não teve jeito. Ávalos e Bóvio se desentenderam na entrada da área e a bola sobrou para Danilo. Ele tocou a Finazzi, que lhe devolveu de calcanhar. Danilo ainda dominou antes de chutar e fazer o primeiro do América.

Sem alterações, as duas equipes voltaram para o segundo tempo, mas parecia o final do primeiro, já que o América em seis minutos criou três oportunidades de gol. Na mais clara delas, Finazzi chutou para fora.

Aoas 7min, Robinho voltou a aparecer. Após se livrar de seu marcador, ele lançou e deixou Basílio sozinho na cara do gol. Mas o atacante perdeu outra vez, tocando à esquerda do gol do América.

O time de Rio Preto seguia perigoso e chegou ao empate aos 10min. Wellington ganhiu dividida na esquerda e cruzou. Finazzi, livre de marcação, bateu e fez, 2 a 2.

Mas a resposta santista foi rápida. Três minutos depois, outra vez Robinho fez bela jogada, se livrou de dois marcadores pela esquerda e cruzou. Basílio, dentro da pequena área, só teve o trabalho de empurrar para o gol.

Aos 23min o América voltou a complicar para a equipe praiana e empatou a partida novamente. Guin recebeu dentro da área, no lado direito, deu um belo drible em Bovio e bateu colocado no canto direito de Mauro.

A partir daí a torcida santista passou a pedir novamente a saída do técnico Oswaldo de Oliveira. O Treinador no mesmo momento deu mais motivos para ser hostilizado, já que sacou o zagueiro Ávalos para colocar outro, Alisson.

Desarticulado, o Santos não conseguia criar como antes e assistia o América perder boas oportunidades. Aos 38min, Finazzi recebeu cruzamento da direita e cabeceou para fora, sozinho.

Sem forças, a equipe praiana não conseguiu se colocar mais uma vez à frente no placar e amargou o empate com sabor de derrota.

Oswaldo continua no comando do Peixe

Após conversar com o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, técnico diz que segue como treinador da equipe.

Contrariando o pensamento de muitos, Oswaldo de Oliveira permanece no comando do Santos. O treinador confirmou que continua à frente da equipe logo após conversar com o presidente do clube, Marcelo Teixeira.

“Continuo sim. É difícil falar desse assunto num momento como esse, mas segue o trabalho e vai ser mantida a filosofia de trabalho que está sendo aplicada. Com relação à conversa com o presidente, nem tocamos no assunto sobre a minha saída”, disparou o seco e educado Oswaldo.

O técnico alvinegro vem sendo questionado e pressionado pela torcida para deixar o clube, principalmente após as últimas três atuações do time. Nelas, o Santos venceu a União Barbarense, mas saiu vaiado da Vila, perdeu para a LDU na Libertadores e empatou neste domingo com o América em 3 a 3.

Oswaldo disse que fatores extra-campo estão atrapalhando o rendimento da equipe: “Nós estamos disputando duas competições e não fizemos pré-temporada. Os jogadores não dormiram de quinta para sexta-feira [sobre a volta da equipe do Equador] e ainda tivemos algumas contusões que deixaram atletas importantes fora de ação”.

Questionado sobre de que forma administrar a pressão que vem sofrendo e até que ponto isso pode influenciar as atuações dos jogadores, o comandante alvinegro simplificou:

“Trabalho. Temos que trabalhar e nos aprimorar para conseguir os resultados, só assim vamos reverter a situação que estamos passando”.