Criciúma 1 x 3 Santos

Data: 04/05/2003, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 7ª rodada
Local: Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma, SC.
Público: 13.946
Renda: R$ 124.685,00
Árbitro: Carlos Eugenio Simon (FIFA RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann e Marcos Viana Ibanhez (ambos do RS).
Cartões amarelos: Paulo Baier e Tico (C); André Luís, Alexandre e Paulo Almeida (S).
Gols: Nenê (36-1); Robinho (13-2), Paulo Baier (26-2) e Nenê (48-2).

CRICIÚMA
Fabiano; Paulo Baier, Cametá, Luciano e Luciano Almeida (Alonso); Cléber, Alonso, Juca e Dejair (Jabá); Delmer (Saulo) e Tico.
Técnico: Edson Vallandro

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo, Alex, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Alexandre) e Nenê; Robinho (Rubens Cardoso) e Douglas (Fabiano).
Técnico: Emerson Leão



Santos vence Criciúma em Santa Catarina

Desfalcado, o Santos foi a Santa Catarina e conseguiu três importantes pontos fora de casa. Jogando no estádio Heriberto Hülse, na noite deste domingo, o alvinegro santista venceu o Criciúma por 3 a 1. O destaque foi Nenê, autor de dois gols.

O resultado coloca o Santos na terceira posição do Brasileirão, com 14 pontos – três a menos do que o vice-líder Cruzeiro e quatro atrás do Internacional, que lidera o torneio.

Sem Diego e Ricardo Oliveira, o time não sentiu a pressão da torcida local. O maior problema enfrentado foi a violência da equipe catarinense, que não perdoou os atacantes santistas. Uma das vítimas foi Elano, que deixou o campo aos 4min do segundo tempo.

O Santos abriu o placar ainda no primeiro tempo. Nenê dominou a bola na intermediária e chutou sem chance para Fabiano. Robinho ampliou a vantagem na etapa final. O Criciúma descontou em cobrança de pênalti, com Paulo Baier.

A partir daí, o Santos foi pressionado, mas conseguiu chegar à vitória aos 48min da etapa final. Luciano segurou Nenê dentro da área e o árbitro gaúcho Carlos Eugenio Simon marcou pênalti. Nenê cobrou e decretou a vitória santista.

O alvinegro volta a campo pelo Brasileirão no próximo sábado. Apesar de jogar em casa, o Santos tem motivos de sobra para preocupar-se.

Além de enfrentar o Cruzeiro, que está há 31 jogos invicto, o time santista conta com importantes desfalques. André Luís, Paulo Almeida e Alexandre tomaram o terceiro amarelo e não jogam. Outra dúvida é Elano, que deixou o campo em Criciúma de maca.

Antes, entretanto, o time santista tem um importante compromisso no meio de semana. A equipe recebe o Nacional, do Uruguai, em casa, na quarta-feira. Se vencer, o Santos classifica-se às quartas-de-final da Libertadores da América. Na partida de ida, no Uruguai, o jogo terminou 4 a 4. Em caso de novo empate, a vaga será disputada em cobranças de pênalti.

O Criciúma também volta a campo no sábado. Pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, o time catarinense enfrenta o Corinthians, em São Paulo.

O jogo

A partida iniciou melhor para o Criciúma. Logo aos 2min, Luciano chutou forte, da intermediária, oferecendo perigo ao gol santista. Antes dos 15min, o Santos havia chegado apenas por meio de duas cobranças de falta desperdiçadas.

Aos 17min, Robinho recebeu bola e tentou arriscar de longe. O chute saiu errado e a bola passou por cima do gol do time catarinense. Em uma bobeada da defesa santista, aos 28min, Delmer dominou a bola sozinho na área e perdeu a chance de abrir o placar.

O Santos passou a pressionar o Criciúma e, aos 36min, Nenê recebeu toque de Douglas na entrada da área, dominou a bola e bateu forte no canto esquerdo de Fabiano, sem chances para o goleiro do time catarinense: 1 a 0.

Um minuto depois, a equipe santista quase ampliou a vantagem. Elano entrou livre na área e chutou para a defesa de Fabiano.

O Santos ainda teve um gol invalidado, aos 37min. Douglas, que começou o jogo como titular no lugar de Ricardo Oliveira, suspenso, recebeu cruzamento de Léo e marcou. O bandeirinha gaúcho Altemir Hausmann, porém, anotou impedimento.

Aos 40min, Delmer recebeu a bola na área e chutou, mas a bola saiu muito alta. O Santos deu o troco dois minutos depois. Renato tabelou com Robinho, dominou na esquerda mas pegou mal na bola.

Na etapa final, o Santos voltou melhor. Com jogadas rápidas de ataque, os jogadores eram parados por meio de faltas violentas. Numa destas entradas, aos 4min, Alonso tirou Elano do jogo. Em seu lugar, entrou Alexandre.

O Santos continuou na pressão. Aos 9min, Léo invadiu a área e chutou forte para a defesa de Fabiano. O segundo gol aconteceu aos 13min. Renato tocou para Robinho que, de primeira, acertou um chute forte da esquerda: 2 a 0.

Aos 24min, Alexandre derrubou Jabá dentro da área e fez pênalti no jogador do time catarinense. Paulo Baier cobrou bem e descontou para o Criciúma.

Com o gol, a torcida catarinense sentiu o momento favorável e começou a incentivar seu time, que partiu para cima. O treinador Emerson Leão, tentando garantir o resultado, tirou Robinho e colocou Rubens Cardoso, aos 34min.

O Criciúma apertou e partiu para o ataque. Nervoso, o Santos não conseguia criar jogadas de contra-golpes. Mas, aos 47min, numa das poucas jogadas do time santista, Luciano segurou Nenê dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Ele mesmo cobrou para fazer seu segundo gol no jogo e garantir mais três pontos ao Santos.