Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos

Santos 8 x 0 Bolívar

Data: 10/05/2012, quinta-feira, 19h30.
Competição: Copa Santander Libertadores – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 15.060 pagantes
Renda: R$ 535.445,00
Árbitro: Martín Vázquez (URU).
Auxiliares: Carlos Pastorino e Carlos Changala (ambos do URU).
Cartões amarelos: Flores, Campos, Canteros e Valverde (B).
Gols: Elano (06-1), Neymar (21-1, de pênalti), Ganso (27-1), Alan Kardec (29-1) e Neymar (36-1); Elano (05-2), Ganso (07-2) e Borges (14-2).

SANTOS
Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Ibson), Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec (Borges).
Técnico: Muricy Ramalho

BOLIVAR-BOL
Argüello; Rodríguez, Frontini e Valverde; Alvarez (Siquita), Flores, Cardozo (Miranda), Campos e Lizio; Arce e Cantero (Reyes).
Técnico: Guillermo Ángel Hoyos



Santos revive era Pelé, dá show e atropela o Bolívar na Libertadores por 8 a 0

Ganso faz gol de letra, Neymar quebra recorde e Santos se vinga de bolivianos com verdadeiro massacre

O Santos reviveu nesta quinta-feira os tempos aúreos da era Pelé e provou por que é considerado um dos favoritos para conquistar a Taça Libertadores. Com direito a uma bela atuação de Neymar e uma pintura de Ganso, a equipe paulista deu um verdadeiro espetáculo para a torcida que compareceu à Vila Belmiro, massacrou o Bolívar por 8 a 0 e se classificou para as quartas de final da competição. Na próxima fase, o Santos encara o Vélez Sarsfield, da Argentina.

Após perder a partida ida por 2 a 1, na Bolívia, o time da Baixada Santista precisava de uma vitória simples para avançar. O time paulista não fez por menos, se aproveitou da fragilidade dos bolivianos e fez um primeiro tempo avassalador, abrindo 5 a 0. Destaque para Neymar, que marcou o seu 106º gol pelo Santos e ultrapassou Serginho Chulapa e João Paulo como maior artilheiro do time na era pós-Pelé. Ganso ainda marcou um golaço de letra. A exibição de gala santista teve continuidade na segunda etapa e o Santos lembrou os tempos áureos de Pelé, cravando 8 a 0.

A goleada desta quinta-feira é a sexta maior da história da Libertadores e remete à temporada de 2010, quando o Santos colecionou placares históricos como as humilhantes vitórias contra Naviraiense (10 a 1) e Guarani (8 a 1), ambos pela Copa do Brasil e passeio frente o Ituano (9 a 1).

Nas quartas de final, o atual campeão da Libertadores terá uma parada dura pela frente. Os santistas enfrentam os argentinos do Vélez Sarsfield na próxima fase. A primeira partida acontece na semana que vem na Argentina e o Santos terá a vantagem de decidir a vaga em casa.

Com a vaga assegurada nas quartas do torneio continental, o time de Muricy Ramalho volta as suas atenções para a final do Campeonato Paulista. O Santos tem uma mão na taça, pois venceu o Guarani por 3 a 0 no jogo de ida e decide o título neste domingo, às 16hs, no Morumbi.

O jogo

Precisando de uma vitória simples para se classificar, o Santos começou a partida a todo vapor e abriu o placar aos 5 minutos. Elano aproveitou ajeitada de cabeça de Neymar e fez o primeiro do Santos em belo chute de fora da área.

O Bolívar logo acusou o golpe e começou a apelar. Arouca e Ganso levaram entradas duras de Campos e Canteros, respectivamente, e tomaram amarelo. Substituindo Fucile na lateral direita, o volante Henrique escapou sozinho pela direita e Argüello fez bela defesa para o Bolívar.

Após a bela intervenção, veio o vacilo do goleiro boliviano. Após escanteio, Argüello empurrou “bisonhamente” Edu Dracena dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Neymar bateu no canto esquerdo do goleiro e fez o seu 105º gol pelo time da Baixada, ultrapassando Serginho Chulapa e João Paulo no status de maior artilheiro do Santos na era pós-Pelé.

O show do Santos no 1º tempo não parou por aí. Aos 28 minutos Neymar avançou pela esquerda e cruzou na área, Ganso tocou de letra e fez um golaço na Vila Belmiro. O fôlego do Santos era interminável. Um minuto depois, Allan Kardec marcou o quarto em chute rasteiro de fora da área. Antes do fim do 1º tempo, Neymar ainda marcou mais um para o time da Vila Belmiro, após passe de Juan e o time de Muricy abriu 5 a 0 na primeira etapa, levando a sua torcida ao delírio.

O segundo tempo mal começou e o show do Santos continuou. Aos 4 minutos, Neymar fez bela jogada pela esquerda e tocou para Elano, que basteu rasteiro para ampliar. Ganso fez o sétimo em cobrança de falta. Ainda teve tempo para Borges, substituto de Allan Kardec, marcar o oitavo e fechar a atuação história do Santos nesta noite de quinta-feira. Uma noite inesquecível para os torcedores santistas.

Bastidores – Santos TV:

‘Mordido’, Neymar decreta: ‘Quando jogamos bola, não tem para ninguém’

Craque lembra dos episódios ocorridos em La Paz, onde foi atingido por uma laranja arremessada da torcida, e afirma que Peixe deu o troco

Foi fácil perceber. O Santos entrou de forma diferente em campo para encarar o Bolívar, na goleada desta quinta-feira, por 8 a 0, na Vila Belmiro, pela partida de volta das oitavas de final da Libertadores. Claramente motivado pelos episódios ocorridos no jogo de ida em La Paz, onde o Peixe perdeu por 2 a 1, Neymar, Ganso & Cia deram um show de técnica e eficiência.

Depois da partida, o camisa 11, autor de dois gols, admitiu a motivação especial para o jogo na Vila. Alvo de uma laranja arremessada pela torcida na Bolívia, o atacante já tinha avisado ao sair de campo em La Paz que “teria volta no Brasil”. Mas, mesmo assim, repetiu o discurso do treinador Muricy Ramalho e revelou que o objetivo do time era responder a tudo só com futebol.

– Quando o Santos joga bola, não tem para ninguém. Estávamos mordidos e devolvemos na bola. O Santos não sabe brigar ou guerrear, viemos para jogar e devolver na bola tudo o que fizeram lá – afirmou o craque.

As bolas na rede do atacante o elevaram ao posto de maior artilheiro isolado após a era Pelé, com 106 gols marcados. De quebra, Neymar também virou o 16º maior goleador da história do Peixe, ao lado de Álvaro. Ao comemorar o seu primeiro contra o Bolívar, de pênalti, o craque formou com os braços o T em alusão à expressão ‘É Tois’, criada a partir da gíria ‘É nós’, para celebrar a união com seus amigos.

2012-05-10-neymar-executa-passe-com-as-costas-santos-8-x-0-bolivar-libertadores

No Twitter, Neymar ironiza técnico do Bolívar: ‘Muito prazer’

Antes do primeiro jogo, em La Paz, treinador Ángel Guillermo Hoyos havia dito não conhecer o atacante santista. Resposta veio na bola

O técnico do Bolívar, Ángel Guillermo Hoyos, cutucou uma onça com vara curta. Antes do primeiro jogo contra o Santos, válido pelas oitavas de final da Libertadores, em La Paz, ele disse à imprensa boliviana que não conhecia Neymar. O atacante santista encarou a declaração como uma provocação. Na altitude de 3.660 metros da capital boliviana, e em meio a um clima hostil – com botinadas dos zagueiros e objetivos atirados da arquibancada no gramado -, Neymar não conseguiu render bem. Nesta quinta-feira, porém, ele deu a resposta. E em grande estilo.

O camisa 11 comandou o massacre na Vila Belmiro: 8 a 0, resultado que foi a sexta maior goleada da história da Libertadores. Neymar fez “só” dois gols. Na comemoração, fez uma reverência, como se estivesse se apresentando a alguém desconhecido. Parecia a resposta certa a Ángel Guillermo Hoyos.

E se alguém ainda tinha dúvida, Neymar matou a charada no Twitter, logo após o jogo, quando postou a foto abaixo com a seguinte legenda:

– Muito prazer.

Goleada do Santos no Bolívar é a 6ª maior da história da Libertadores

Neymar e companhia colocaram mais uma vitória santista na galeria de maiores do torneio

Faltou um gol para o Santos superar sua maior goleada na história da Libertadores, mas os 8 a 0 em cima do Bolívar nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, já foram suficientes para colocar este jogo na sexta colocação entre as maiores goleadas da história do torneio sul-americano.

O Santos tem também a quarta colocação nesse ranking. Em 1962, com Pelé e companhia, fez 9 a 1 no Cerro Porteño na Vila Belmiro. A maior goleada da história ainda é do Peñarol, que em 1970 fez 11 a 2 no Valencia da Venezuela. O Santos tem agora as três maiores goleadas de um time brasileiro na Libertadores.

Em 2008, outro time boliviano sofreu nas mãos do Santos. O San José tomou 7 a 0, placar igual a de outras goleadas de Palmeiras e Cruzeiro na competição.

Veja as maiores goleadas da história da Libertadores:
1º – Peñarol (URU) 11 x 2 Valencia (VEN) – 15/03/1970
2º – River Plate (ARG) 9 x 0 Universitário (BOL) – 11/03/1970
Peñarol 9 x 0 The Strongest (BOL) – 22/03/1971
4º – Santos 9 x 1 Cerro Porteño (PAR) – 28/02/1962
Peñarol 9 x 1 Everest (EQU) – 07/07/1963
6º – Santos 8 x 0 Bolívar – 10/05/2012
Blooming (BOL) 8 x 0 Deportivo Italia (VEN) – 07/04/1985