Santos 3 x 2 Paulista

Data: 30/01/2003, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo 2 – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.895 pagantes
Renda: R$ 65.890,00
Árbitro: Anselmo da Costa
Cartão amarelo: Vágner Mancini (P)
Gols: Ricardo Oliveira (18-1); Ricardo Oliveira (06-2), Alex (25-2), Anderson (26-2) e Vágner Mancini (43-2, de pênalti).

SANTOS
Fábio Costa; Elano, Alex, Preto e Léo; Paulo Almeida, Renato, Adiel (Douglas) e Diego (Alexandre); Robinho e Ricardo Oliveira (Wellington).
Técnico: Emerson Leão

PAULISTA
Buzzetto; Luís Paulo, Anderson, Thiago e Julinho (Guim); Alemão, Vágner Mancini, Júnior Ferreira (Cairo) e Fábio Gomes; Camanducaia e João Paulo (Edu).
Técnico: Edson Valandro



Ricardo Oliveira faz dois e Santos bate o Paulista

O Santos fez a festa da torcida na primeira partida na Vila Belmiro depois da conquista do Campeonato Brasileiro. O time do técnico Emerson Leão, que cumpre suspensão e não comandou a equipe do banco de reservas, venceu o Paulista por 3 a 2, na noite desta quarta-feira, pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

Com o resultado positivo, o Santos pulou para a segunda colocação do Grupo 2 do Paulista, com quatro pontos. O Paulista está com três pontos ganhos, empatado com o São Paulo, mas em desvantagem no saldo de gols. A liderança é da Portuguesa Santista, com seis pontos.

Antes do início da partida, o zagueiro Preto recebeu uma placa em homenagem aos 100 jogos com a camisa do Santos, completados contra o Santo André, na estréia das duas equipes no Paulista.

O jogo

Com a bola rolando, o Santos foi dono das ações no primeiro tempo. Aos 7min, Ricardo Oliveira não enxergou Diego livre dentro da área e tentou marcar de calcanhar, mas o goleiro Buzzetto defendeu. Quatro minutos depois, Adiel cruzou e Robinho tentou de voleio, mas mandou por cima do gol.

Melhor em campo, o gol do Santos era apenas questão de tempo. E foi o que aconteceu. Aos 18min, Diego, que estava apagado em campo, foi derrubado na intermediária. Ricardo Oliveira cobrou a falta com perfeição e colocou no ângulo direito de Buzzetto, sem chances de defesa.

Depois de abrir o placar, o Santos tirou o pé do acelerador, mas voltou a levar perigo aos 36min. Robinho roubou de Camanducaia no campo de defesa e lançou Léo na entrada da área, mas o lateral chutou pela linha de fundo.

O Paulista aproveitou a lentidão santista para se lançar ao ataque. Aos 45min, João Paulo bateu forte da entrada da área. Fábio Costa desviou, a bola tocou o travessão e saiu pela linha de fundo.

Na segunda etapa, o Santos acordou. No primeiro minuto, Elano tocou de calcanhar para Robinho, que bateu, mas Buzzetto espalmou. No rebote, o próprio Elano chutou com perigo, pela linha de fundo. O troco veio no contra-ataque, com Fábio Gomes desperdiçando chance clara dentro da área santista.

No entanto, o Santos voltou a tocar a bola com velocidade e passou novamente a mandar no jogo. Aos 6min, Robinho roubou a bola no meio-campo e lançou Douglas, que entrara na vaga de Adiel. O meia tocou para Ricardo Oliveira, que recebeu na esquerda, dentro da área, e bateu cruzado na saída de Buzzetto. Foi o terceiro gol do ex-atacante da Portuguesa no Paulista.

Mesmo depois do gol, o Santos continuou pressionando. Aos 9min, Elano cruzou com perfeição para Ricardo Oliveira, que cabeceou para grande defesa de Buzzetto. Aos 16min, Robinho fez uma jogada sensacional, passando em velocidade entre dois zagueiros, mas chutou para fora.

A melhor chance de gol aconteceu aos 19min. Renato invadiu a área pela direita, driblou o goleiro e tocou para a pequena área. Robinho e Ricardo Oliveira entraram livres, sem marcação, mas se atrapalharam e a bola saiu por cima do gol.

Aos 25min, Diego cruzou da esquerda na cabeça do zagueiro Alex, que subiu entre os defensores do Paulista e tocou cruzado para marcar o terceiro do Santos. O Paulista descontou um minuto depois: Anderson aproveitou escanteio cobrado por Cairo e cabeceou com violência, fazendo o primeiro do time de Jundiaí.

Logo depois de sofrer o gol, o técnico Leão sacou Diego e colocou em campo o volante Alexandre. Com isso, o Santos se fechou na defesa e passou a tocar mais a bola, chegando sem pressa ao ataque.

Aos 43min, quando o placar parecia definido, Renato desviou com a mão e o árbitro Anselmo da Costa marcou pênalti. O experiente Vágner Mancini bateu rasteiro, no canto esquerdo, e fez o segundo do Paulista, mas não conseguiu evitar a derrota da equipe de Jundiaí.

O próximo adversário do Santos no Paulista será o Juventus, domingo, às 16h, na rua Javari. Às 17h, o Paulista buscará a reabilitação contra o Santo André, no estádio Jaime Cintra, em Jundiaí.