De pé: Rodolfo Rodriguez, Pagani, Betão, Marcio Rossini, Toninho Carlos, Silas, Gilberto Sorriso e Dema. Agachados: Gersinho, Gerson, Paulo Isidoro, Ronaldo Marques, Pita, Paulo Robson, Marcio Fernandes e Dido.

De pé: Rodolfo Rodríguez, Pagani, Betão, Márcio Rossini, Toninho Carlos, Silas, Gilberto Sorriso e Dema. Agachados: Gersinho, Gérson, Paulo Isidoro, Ronaldo Marques, Pita, Paulo Róbson, Márcio Fernandes e Dido.

Goleiros:
Rodolfo Rodríguez
Marolla
Silas


Laterais:
Toninho Oliveira
Betão
Gilberto Sorriso
Paulo Róbson


Zagueiros:
Márcio Rossini
Toninho Carlos
Fernando
Pagani
Davi


Meio-campistas:
Dema
Paulo Isidoro
Pita
Lino
Luiz Gustavo
Dido
Claudinho
Jorge Luís
Paulo Leme


Atacantes:
Serginho Chulapa
Camargo
Gersinho
Serginho Dourado
Márcio Fernandes
Ronaldo Marques
Gérson


Técnicos:
Chico Formiga
Del Vecchio



Santos Futebol Clube

– Presidente: Milton Teixeira (1984-1986)
– Patrocínio: Hermes Macedo Auto Center
– Fornecedor: Adidas

Elenco:

G – Rodolfo Sergio Rodríguez y Rodríguez
G – Fiordemundo Marolla Júnior
G – Silas Carrere

LD – Roberto Tailor dos Santos Morais (Betão)
LE – Gilberto Ferreira da Silva
LD – Antônio de Oliveira Filho (Toninho Oliveira)
LE – Paulo Róbson Góis da Silva

ZC – Márcio Antônio Rossini
Z – Antônio Carlos Correia (Toninho Carlos)
QZ – Fernando César de Matos
Z – Gílson Pagani
ZC – Davi Cortes da Silva

MV – Valdemar Barbosa (Dema)
MC – Paulo Isidoro de Jesus
MC – Edvaldo Oliveira Chaves (Pita)
MC – Joselino Martins de Jesus (Lino)
MV – Luiz Gustavo de Marco
MV – Édson Silva (Dido)
MC – Cláudio José Agnello (Claudinho)
MC – Jorge de Araújo Pinto (Jorge Luís)
PL – Paulo Leme

CA – Sérgio Bernardino (Serginho Chulapa)
PD – Enéias Camargo
PD – Gérson Luís de Santana (Gersinho)
PD – Sérgio Secundino dos Santos (Serginho Secundino ou Serginho Dourado)
PE – Márcio Fernandes Figueiredo
A, PE – Ronaldo Marques Sereno
CA – Gérson da Silva

T – Francisco Ferreira de Aguiar (Chico Formiga) / T – Emmanuele Del Vecchio

Comissão Técnica: Celso Diniz (Preparador físico), Wilson Quiqueto (Preparador de goleiros), Carlos Braga (Médico)



Quem chegou: Márcio Fernandes (PE, Santo André)

Quem saiu: Ademir Maria (G, Cruzeiro), Rached (CA, Novo Hamburgo-RS), Neto (QZ, Santo André)

Time-base: Rodolfo Rodriguez; Betão, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Paulo Róbson; Dema, Paulo Isidoro e Pita; Lino, Serginho Chulapa e Ronaldo Marques.





Mais força e experiência

O time, que joga junto há um ano, está mais entrosado e já pensa no título. E a empolgação aumentou com a vinda do goleirão Rodolfo Rodríguez.

Na Vila Belmiro, a certeza de chegar novamente à decisão do título brasileiro é muito grande. E o raciocínio é muito simples: se no campeonato anterior, com um elenco em formação (e, portanto, carente de entrosamento), foi possível chegar à final, porque não agora, quando esses problemas não existem mais? “Estamos melhores e mais experientes que ano passado”, admite o técnico Chico Formiga, há 14 meses no cargo.

E o treinador tem toda razão: se o time hoje já não tem mais o futebol veloz e audacioso do ponta-esquerda João Paulo, vendido ao Flamengo, ganhou a segurança do goleiro Rodolfo Rodríguez, 27 anos, com 70 jogos pela Seleção do Uruguai e atual capitão.

Para o lugar de João Paulo, além do mais, não faltam opções: o treinador pode escalar simplesmente o impetuoso Márcio Fernandes, ou deslocar o polivalente Lino para a esquerda e colocar o veloz e corajoso ponteiro Gersinho na direita. Ou ainda improvisar o esforçado Camargo pelo setor.

No caso da camisa 1, por outro lado, ninguém discute que o Santos só não chegou à final do Campeonato Paulista graças à atuação desastrosa do então titular Marolla.

Ao lado do Flamengo, o Santos também disputará, simultaneamente, a Taça Libertadores. “Não existe prioridade de torneio”, esclarece Samir Jorge Abdul-Hak, diretor de futebol. “Entraremos para vencer os dois. Mas não posso negar que o Santos tem mais interesse na Libertadores, porque é a partir dela que poderemos disputar o Mundial interclubes, a grande meta de todos. Afinal, estamos em busca da terceira estrela de ouro.”



Novidade apresentada por Rodolfo Rodriguez: barreira em dois blocos

Novidade apresentada por Rodolfo Rodriguez: barreira em dois blocos. O uruguaio orienta a formação das barreiras com dois blocos de jogadores de cada lado e um corredor aberto no meio para poder acompanhar o rumo da bola.