Goiás 3 x 0 Santos

Data: 29/11/2003, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 44ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia, GO.
Público: 26.511 pagantes
Renda: R$ 241.887,50
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartões amarelos: Danilo e Rodrigo (G); André Luís, Daniel, Elano e Fabiano (S).
Gols: Grafite (38-1); Pereira (08-2, contra), Dimba (40-2, de pênalti).

GOIÁS
Rodrigo; Gustavo, Cléber, Pedro Paulo e Esquerdinha (Michel); Josué, Simão, Marabá e Danilo (Thiago); Grafite e Dimba.
Técnico: Cuca

SANTOS
Júlio Sérgio; Reginaldo Araújo, André Luís (Pereira), Alex e Léo; Daniel (Alexandre), Renato, Elano e Diego; Jerri (Wellington) e Fabiano.
Técnico: Emerson Leão



Santos perde do Goiás e dá adeus ao bicampeonato

O sonho do bicampeonato brasileiro terminou para o Santos neste domingo. A derrota para o Goiás, por 3 a 0, no Serra Dourada, em Goiânia, eliminou as chances matemáticas da equipe paulista. Além disso, o Cruzeiro derrotou o Paysandu por 2 a 1, no Mineirão e garantiu o título matematicamente.

Dimba finalmente bateu o recorde de gols em uma só edição, que pertencia a Edmundo desde 1997. Ele agora é o artilheiro do campeonato, com 30, após marcar o terceiro do Goiás, de pênalti. Os outros gols do time goiano foram marcados por Grafite e Pereira, contra.

A próxima semana promete ser decisiva para o futuro do Santos no próximo ano, que tentará novamente o título da Taça Libertadores da América. No sábado, 6 de dezembro, acontecerá a eleição presidencial do clube. A permanência do técnico Emerson Leão, e de alguns atletas, depende do resultado do pleito, especialmente da reeleição de Marcelo Teixeira.

O jogo

Preocupado com o jogo do Cruzeiro, o Santos iniciou a partida permitindo que o Goiás o sufocasse sem piedade. A sorte é que o time goiano mostrava desorganização e apenas em chutes de fora da área levou algum perigo ao gol de Júlio Sérgio.

Após os 6min, a equipe paulista começou a tocar mais a bola e equilibrou a partida. Nos contra-ataques puxados por Jerri, o Santos teve duas boas chances de abrir o marcador. Aos 8min, Reginaldo Araújo recebeu de Jerri e deu passe para Léo, que entrava em velocidade pelo lado esquerdo da área. Rodrigo, corajosamente, saiu nos pés do jogador e fez a defesa.

Após uma dividida com Diego, Esquerdinha acabou deixando o gramado com uma lesão no tornozelo. O lateral-direito Michel entrou em seu lugar e Gustavo foi deslocado para a esquerda.

Se no começo do jogo o Santos estava sendo sufocado, o panorama mudou totalmente após os 15min. Talvez por saber que naquele instante, o Cruzeiro já estava vencendo o Paysandu por 1 a 0, gol de Zinho. Tocando bem a bola, a equipe paulista criava boas jogadas, mas sem levar muito perigo ao gol do adversário. Aos 18min, Jerri cobrou escanteio com muito efeito e a bola quase engana o goleiro Rodrigo, que espalmou para fora.

Mesmo acuado, o Goiás quase abriu o placar aos 26min. Grafite cruzou da direita e a zaga santista cortou. Após um bate-rebate na área, a bola sobrou para o próprio Grafite, que chutou no travessão. Para não ficar atrás, o Santos também teve uma bola chutada no travessão. Aos 33min, Léo tocou para Fabiano, que de primeira acertou a trave de Rodrigo.

Mais uma vez, o panorama da partida mudou e o Goiás voltou a dominar. Aos 34min, Dimba teve boa chance de marcar, mas o artilheiro do Campeonato Brasileiro pegou mal na bola e desperdiçou. Porém, logo depois, a torcida goiana pôde finalmente comemorar.

Aos 38min, Gustavo cruzou bem da direita, Grafite subiu mais que a zaga do Santos e cabeceou à meia altura, sem chances para Júlio Sérgio.

O Goiás poderia ter ampliado o placar aos 44min. Marabá, cara a cara com o goleiro do Santos, chutou a bola por cima do travessão.

Para tentar acertar a marcação de seu time, o técnico Emerson Leão fez duas substituições no intervalo: tirou André Luís e Daniel e colocou Pereira e Alexandre. “Espero que os espaços para os atacantes do Goiás diminuam”, disse o treinador, na volta para o segundo tempo.

Mas, pelo menos no início da etapa final, o Santos não melhorou defensivamente. Os erros na marcação continuavam e o Goiás continuava a pressionar. Em uma bola mal atrasada, Pereira quase deixa Dimba na cara do gol de Júlio Sérgio para fazer o segundo dos donos da casa.

E o dia não era de Pereira. Após um cruzamento de Marabá da direita, aos 8min, o zagueiro santista tentou tirar a bola, mas pegou mal e fez o segundo gol do Goiás. O sonho do bicampeonato ficava mais distante ainda.

Completamente entregue, o Santos viu o time goiano dominar completamente a partida e perder inúmeras chances de gols.

Aos 33min, Motta, no Mineirão, fez o segundo do Cruzeiro. As chances de ser campeão acabaram quando, aos 38min, Alex fez pênalti em Grafite. Dimba cobrou, fez e se tornou artilheiro do torneio com 30 gols, além de bater o recorde de gols em um só campeonato, que pertencia a Edmundo desde 1997.