Vasco 1 x 1 Santos

Data: 14/12/2003, domingo, 18h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 46ª rodada (última)
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 985 pagantes
Renda: R$ 9.850,00
Árbitro: Alicio Pena Júnior (Fifa-MG)
Auxiliares: Alexandre Santos Conceição (MG) e Guilherme Dias Camilo (MG).
Cartões amarelos: André Luís, Diego, Reginaldo Araújo e Júlio Sérgio (S); Coutinho, Victor Boleta e Henrique (V).
Cartões vermelhos: Alex e Elano (S).
Gols: Régis (09-2) e Fabiano (39-2, de pênalti).

VASCO
Fábio; Alex Silva, Henrique, Wescley e Victor Boleta; Coutinho (Anderson), Ygor (Rubens), Rodrigo Souto e Morais; Régis e Valdir.
Técnico: Mauro Galvão

SANTOS
Júlio Sérgio; Reginaldo Araújo (Douglas), Alex, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego (Wellington); Jerri (Júlio César) e Fabiano.
Técnico: Emerson Leão



Vasco e Santos empatam na última partida do Brasileiro 2003

Em um “amistoso de luxo”, Vasco e Santos ficaram no emapte por 1 a 1, na tarde deste domingo, no estádio de São Januário, na partida que fechou a última rodada do Campeonato Brasileiro. O time santista já estava com o vice-campeonato brasileiro garantido, enquanto os cariocas não tinham mais nenhuma aspiração na competição nacional.

Com o resultado, o Vasco, que não contou com a presença do atacante Edmundo, que cumpriu suspensão, termina o Brasileiro com 54 pontos, na 17ª colocação.

Já o Santos, que não teve o atacante Robinho, também suspenso, mas contou com dois jogadores expulsos, encerra sua participação no Brasileiro com 87 pontos, na segunda colocação, 13 pontos atrás do campeão Cruzeiro.

Este foi o 37º confronto em Campeonatos Brasileiros envolvendo Vasco e Santos. Os paulistas venceram 10 contra oito dos cariocas, além de 19 empates. Os santistas marcaram 44 gols e sofreram 42.

O jogo

Logo aos 6min, o Vasco criou uma chance clara de gol. Henrique chutou da entrada da área e Júlio Sérgio espalmou. No rebote, Valdir bateu forte de pé esquerdo, mas a bola explodiu no peito do goleiro santista. No minuto seguinte, o Santos deu o troco, em cobrança de falta de Elano que Fábio colocou para escanteio.

Depois do início movimentado, a partida caiu de rendimento. As duas equipes afunilaram o jogo no meio-campo e, sem criatividade, chegaram pouco ao ataque.

No final do primeiro tempo, o jogo voltou a esquentar. Aos 38min, Coutinho arriscou de fora da área e obrigou Júlio Sérgio a fazer boa defesa no canto esquerdo. Quatro minutos depois, Wescley cobrou falta e a bola triscou a trave esquerda.

O Santos acordou e desperdiçou oportunidade clara aos 43min. Reginaldo Araújo recebeu em velocidade pela direita e, já dentro da área, cruzou rasteiro. Jerri entrou sem marcação e, de carrinho, desviou para fora.

A segunda etapa começou mais movimentada. Logo aos 9min, Régis recebeu na esquerda, se livrou de Reginaldo Araújo e bateu cruzado de pé direito, vencendo o goleiro Júlio Sérgio.

Aos 15min, o Santos quase empatou. Elano cobrou falta da esquerda, quase sem ângulo, próximo da linha de fundo. A bola fez uma curva e bateu no travessão antes de sair pela linha de fundo.

Cinco minutos depois, foi a vez de Rodrigo Souto chutar forte da intermediária. Júlio Sérgio tocou com a mão direita e a bola explodiu na trave direita antes da zaga santista afastar o perigo.

Aos 26min, o Santos ficou com dois jogadores a menos. Alex, que não tinha recebido cartão amarelo, fez falta violenta em Morais e foi expulso. Elano, que já tinha sido advertido com o amarelo, reclamou da arbitragem e também foi expulso.

Em contragolpe rápido, aos 37min, o time santista saiu em velocidade para o contra-ataque. Júlio César recebeu dentro da área e foi “atropelado” por Henrique. Na cobrança de pênalti, Fabiano colocou no canto esquerdo. Fábio chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol do Santos.

Aos 42min, o Vasco perdeu grande chance de chegar à vitória. Rubens cruzou da esquerda, Régis tentou tocar de letra e a bola sobrou limpa para Valdir, que tentou marcar de carrinho, mas não alcançou.

Quatro minutos depois, Wescley cobrou falta com violência, Júlio Sérgio espalmou e Valdir, no rebote, carimbou o goleiro santista, que garantiu o empate fora de casa na última partida do Campeonato Brasileiro 2003.