Santos 2 x 2 Coritiba

Data: 24/06/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.120 pagantes
Renda: R$ 106.013,00
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (Fifa-RJ)
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Marco Santos Pessanha (Ambos do RJ)
Cartões amarelos: Léo e Edu Dracena (S); Sérgio Manoel, Everton Ribeiro, Emerson, Everton Costa e Chico (C).
Gols: Edu Dracena (31-1); Rafinha (03-2), Neymar (25-2) e Lincoln (29-2).

SANTOS
Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano (Maranhão), Arouca e Elano; Alan Kardec, Borges (Felipe Anderson) e Neymar
Técnico: Muricy Ramalho

CORITIBA
Vanderlei; Jonas, Pereira, Emerson e Chico; William, Sergio Manoel (Junior Urso), Rafinha e Everton Ribeiro (Lincoln); Roberto (Robinho) e Everton Costa
Técnico: Marcelo Oliveira



Após eliminação na Libertadores, Santos só empata com o Coritiba

Com o resultado, o time da Vila Belmiro segue na zona de rebaixamento do Brasileiro

O Santos se mostrou ainda abatido pela eliminação na Libertadores da América e, em uma apresentação burocrática, não passou de um empate em 2 a 2, na Vila Belmiro, diante do Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Santos segue na zona de rebaixamento, com quatro pontos ganhos. O Coritiba, com sete pontos, ocupa a 11ª colocação.

O Santos abriu o placar aos 31 minutos, com Edu Dracena aproveitando cruzamento perfeito de Elano para subir no segundo pau e desviar para o fundo das redes. Depois do intervalo, o Coxa rapidamente empatou, aos três minutos, com Rafinha, que recebeu de Éverton Ribeiro e tocou na saída do goleiro para marcar. Neymar, aos 25 minutos, aproveitando cobrança de falta de Elano, empurrou para o gol. De pênalti, Lincoln, aos 29 minutos, fechou a contagem.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta a Portuguesa, no domingo, no Estádio do Canindé, em São Paulo. Já o Coritiba terá pela frente, no mesmo dia, o Sport Recife, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba.

O jogo

Eliminado na Libertadores, o Santos entrou com a equipe titular, focada agora na única competição que restou no ano. O Coxa, por sua vez, embalado pela final da Copa do Brasil, decidiu entrar com boa parte dos titulares e a improvisação de Chico na lateral. Com a bola rolando, bastante equilíbrio nos primeiros movimentos, com o jogo franco.

A primeira grande oportunidade surgiu aos três minutos para o time alviverde, com Everton Costa, que desviou na área e viu a bola relar o travessão antes de sair. Na resposta, bom lançamento para Elano, que arrematou em cima do goleiro. Aos 10 minutos, Elano cobrou falta colocada e a bola passou próxima do ângulo, mas para fora.

Depois da correria inicial, o ritmo caiu na Vila. Aos 16 minutos, Everton Costa partiu para a jogada individual, chegou ao fundo do campo e cruzou errado, sem força. O Peixe tentava chegar na base dos lançamentos em profundidade. Aos 20 minutos, Borges recebeu de Neymar na área e praticamente recuou para Vanderlei.

O Coxa marcava bem, mas tocava demais a bola, sem forçar o ataque. Aos trancos e barrancos, Neymar partiu com a bola, aos 25 minutos, e perdeu a para a defesa. Até que, aos 31 minutos, Elano levantou na medida para Edu Dracena cabecear para o fundo das redes. O Alviverde não se abateu com o gol tomado, mas continuava pouco efetivo no ataque. Everton Costa recebeu dois passes açucarados, aos 39 aos 42 minutos e, em ambas as oportunidades, chutou torto.

Na segunda etapa, o Santos voltou com Maranhão no lugar de Adriano. Mas, quem mostrou estar ligado foi o meia Rafinha, que aos três minutos recebeu cruzamento de Everton Ribeiro e encheu o pé para balançar as redes e deixar tudo igual no placar. Aos 13 minutos, bom levantamento na área paulista e Rafael deixou a meta para interceptar.

O Santos voltou a levar perigo aos 14 minutos, após cruzamento de Elano e desvio de Alan Kardec para grande defesa de Vanderlei, que espalmou para escanteio. O jogo era movimentado e equilibrado, com boa parte das ações no meio campo. Everton Costa encontrou Jonas entrando por de trás da defesa, aos 22 minutos, e o árbitro marcou o impedimento.

Apagado, Neymar apareceu na hora de definir. Aos 25 minutos, Elano cobrou falta e o atacante apareceu com oportunismo para desviar para as redes e marcar. A comemoração durou pouco. Rafinha foi derrubado na área, aos 28 minutos, e o árbitro anotou o pênalti. Na cobrança, Lincoln não desperdiçou. A principal jogada do Peixe era a bola parada de Elano. Aos 40 minutos, o meia levantou e Neymar tocou para defesa de Vanderlei. Em lance polêmico, Pereira balançou as redes, aos 43 minutos, e o árbitro viu impedimento.