Internacional 0 x 0 Santos

Data: 15/07/2012, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 9ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 14.044 pessoas (11.791 pagantes)
Renda: R$ 238.220,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Rodrigo Henrique Corrêa (RJ).
Cartões amarelos: Guiñazu, Fabrício, Nei, Dagoberto (I); Gérson Magrão, João Pedro, Aranha (S).
Cartão vermelho: Juan (S).

INTERNACIONAL
Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Fabrício; Elton (João Paulo), Guiñazu, Mike (Otavinho) e Lucas Lima; Jajá (Maurides) e Dagoberto.
Técnico: Dorival Júnior

SANTOS
Aranha; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano, Henrique, Arouca e Felipe Anderson; Dimba (Gérson Magrão) e Miralles (João Pedro).
Técnico: Muricy Ramalho



Com um a menos, Santos empata sem gols com o Inter no Beira-Rio

Time gaúcho não consegue aproveitar vantagem numérica durante praticamente todo o segundo tempo

Desfalcados de seus principais jogadores, que estão servindo a seleção brasileira olímpica, Internacional e Santos se enfrentaram neste domingo no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro. Com um a menos durante praticamente todo o segundo tempo por causa da expulsão do lateral-esquerdo Juan, o time paulista criou chances, mas também deu espaço para os donos da casa desperdiçarem algumas oportunidades. No fim, o placar não se alterou, e a partida terminou empatada em 0 a 0.

O resultado não foi bom para nenhum dos dois times, que não conseguiram subir na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Os Internacional chegou a 16 pontos, enquanto o Santos vai a nove pontos ganhos na competição.

Na próxima rodada, o time paulista retorna à Vila Belmiro para receber o Botafogo. O jogo será na quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília). No mesmo dia, mas às 21h50, o Internacional visita o líder Atlético-MG no Estádio Independência.

O jogo

Muito desfalcados, os times começaram a partida se estudando bastante. A primeira oportunidade de gol do jogo surgiu aos oito minutos, em um erro de passe do Santos no setor no ofensivo, que abriu espaço para o contra-ataque dos gaúchos. Mike recebeu boa assistência e, cara a cara com Aranha, chutou para boa defesa do goleiro santista, que fechou o ângulo do adversário e abafou o arremate.

Durante a maior parte do primeiro tempo, o Inter buscou mais o ataque, só que pouco incomodava o gol defendido por Aranha. A equipe local ainda reclamou de um lance polêmico, no qual Durval se atrapalhou ao rebater uma falta cobrada por Dagoberto. Os donos da casa pediram pênalti, alegando toque no braço do zagueiro santista, mas a arbitragem ignorou as reclamações da equipe gaúcha.

Nos minutos finais da etapa inicial, o Santos se aventurou no ataque e criou duas boas chances. Na primeira, aos 41, o estreante Miralles foi acionado por Arouca, dentro da grande área, porém errou o passe para Dimba fazer o gol. Dois minutos depois, Felipe Anderson cobrou falta, Bruno Rodrigo desviou e a bola passou rente a trave esquerda de Muriel. No entanto, como o argentino Miralles estava adiantado e atrapalhou o goleiro colorado, a jogada foi anulada por impedimento.

Na volta para o segundo tempo, Dorival Júnior sacou Jajá para a entrada do jovem Maurides, visando dar uma maior movimentação ao seu setor ofensivo, atuando dentro de casa.

Entretanto, a principal mudança para a etapa complementar foi a expulsão do lateral santista Juan, aos dois minutos, por falta em Lucas Lima. Após muita pressão dos atletas do Internacional, o árbitro expulsou Juan, que havia recebido cartão amarelo no primeiro tempo. Para recompor o setor, o técnico Muricy Ramalho sacou o atacante Dimba para a entrada do ala Gérson Magrão.

Mesmo com um homem a menos em campo, o Santos esteve perto de balançar as redes adversárias. Aos seis, Miralles quase aproveitou cruzamento vindo da esquerda e marcou o gol. Mais tarde, aos 20, o time paulista teve a melhor oportunidade de gol do duelo, quando Henrique tocou para Miralles e o argentino tocou na saída de Muriel, só que Bolívar chegou antes de a bola ultrapassar a linha do gol.

O Santos sentiu o melhor momento no jogo e passou a se arriscar ainda mais no campo de ataque. Aos 23, Felipe Anderson cobrou escanteio, Henrique cabeceou forte e Muriel precisou defender em dois tempos para evitar o gol dos visitantes.

O Colorado respondeu e, aos 31, João Pedro cruzou para Ovatinho, que havia acabado de entrar, no lugar de Mike e completou bem a jogada, só que o chute saiu ao lado esquerdo da metade defendida por Aranha. No minuto seguinte, Guiñazu exigiu grande defesa do camisa 1 do Peixe.

No final da partida, o Inter pressionou os santistas, que conseguiram resistir bem ao sufoco imposto pelos gaúchos, segurando o empate até o apito final do árbitro.

Mesmo com um jogador a menos, santistas lamentam empate contra o Inter

Mesmo com um homem a menos durante praticamente todo o segundo tempo, devido a expulsão do lateral-esquerdo Juan, o Santos criou boas chances, mas empatou em 0 a 0 com o Internacional-RS.

Mesmo com um homem a menos durante praticamente todo o segundo tempo, devido a expulsão do lateral-esquerdo Juan, o Santos criou boas chances, mas empatou em 0 a 0 com o Internacional. Para os jogadores do time da Vila Belmiro, o resultado deste domingo, no Beira-Rio, poderia ter sido melhor.

“Jogando com um homem a menos e sofrendo pressão, ainda assim poderíamos sair vencedores, pois tivemos boas oportunidades para marcar”, analisou o volante Henrique, na saída de campo.

O meia Felipe Anderson também deu a sua opinião sobre o empate fora de casa. O jovem atleta não crê que os santistas devam comemorar o ponto conquistado, mas elogiou a atuação do time diante do Colorado.

“Não vamos festejar o empate, pois a gente queria vencer. Só que jogar com o Inter aqui é difícil, ainda mais com um jogador a menos. Quando nós perdemos o Juan ficou complicado, mas dava para a gente ter matado a partida”, comentou.

Felipe Anderson destacou que o Santos não se acomodou com a possibilidade de apenas se defender. Explorando os contra-ataques, o time visitante ameaçou o clube gaúcho.

“Criamos duas boas jogadas, só que não fizemos os gols. Mas é coisa de futebol. E como eles também pressionaram e a gente estava com um a menos, pelas circunstâncias do jogo, foi um bom resultado”, encerrou.

Após empate com Inter, Muricy confirma renovação até o fim de 2013

Para o técnico, as condições de trabalho oferecidas pelo time alvinegro e o bom relacionamento que mantém com a direção foram decisivos

Após o empate com o Internacional por 0 a 0 neste domingo, no Beira-Rio, o técnico Muricy Ramalho confirmou a sua permanência no Santos. O treinador, cujo vínculo atual se encerra no final deste ano, acertará a renovação do contrato com o clube até o final de 2013.

Segundo Muricy, todos os detalhes do acordo foram ajustados e falta somente a assinatura do novo vínculo com o Santos. “Já está renovado praticamente. Está tudo acertado, falta apenas colocar no papel”, afirmou o treinador na saída do gramado.

Para o técnico, as condições de trabalho oferecidas pelo Santos e o bom relacionamento que mantém com a direção foram decisivos para que ele decidisse prorrogar por mais um ano o vínculo com o clube.

“Sei do momento do Santos e, por conta disso, não pedi nada de exagerado”, disse Muricy. “No Santos, nós temos um ambiente excelente, uma estrutura muito boa e eu acredito na diretoria. Não quero sair tão cedo de lá”, completou.

Desde abril do ano passado na Vila Belmiro, o treinador conquistou três títulos desde que chegou ao Peixe. Muricy foi duas vezes campeão paulista (2011 e 2012), além de ter faturado a Copa Libertadores no último ano.