Santos 0 x 0 Botafogo

Data: 18/07/2012, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.069 pagantes
Renda: R$ 156.650,00
Árbitro: Cláudio Francisco Lima e Silva (SE)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (Fifa-MG) e Cristhian Passos Sorence (GO).
Cartões amarelos: Miralles e Felipe Anderson (S); Antonio Carlos (B).

SANTOS
Aranha; Bruno Peres, Edu Dracena (Bruno Rodrigo), Durval e Léo; Adriano, Henrique, Arouca e Felipe Anderson; Dimba (João Pedro) e Miralles (Victor Andrade)
Técnico: Muricy Ramalho

BOTAFOGO
Jéfferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Lucas Zen, Renato, Andrezinho, Fellype Gabriel (Cidinho) e Vítor Júnior; Rafael Marques (William).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Em jogo sonolento, Santos e Botafogo não saem do zero na Vila Belmiro

“Rei do empate”, time da Baixada chegou à sua 7ª igualdade em 10 jogos no Campeonato Brasileiro

Sem as suas principais estrelas, como o meia Paulo Henrique Ganso e o atacante Neymar, com a seleção brasileira para a disputa das Olimpíadas de Londres, o Santos chegou ao seu 7º empate no Campeonato Brasileiro. Apesar de algumas chances desperdiçadas de ambos os lados, o time da Baixada não saiu do 0 a 0 com o Botafogo, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro.

A igualdade contra os cariocas levou o time santista aos 10 pontos ganhos. Já o clube do Rio de Janeiro alcançou os 17 pontos com o resultado fora de casa.

Na próxima rodada, o clube da Baixada Santista visita o Vasco, no próximo sábado, às 18h30 (horário de Brasília), em São Januário. Já os botafoguenses recebem o Grêmio, no domingo, às 18h30, no Engenhão.

O jogo

Com os dois times se estudando bastante no começo de jogo, a melhor chance aconteceu aos 9min, quando Durval lançou Edu Dracena, na sequência de uma cobrança de escanteio, mas o capitão santista não conseguiu dominar a bola. Na queda, Dracena, que voltava de edema na coxa esquerda, sentiu fortes dores no joelho esquerdo, tanto que foi substituído por Bruno Rodrigo no minuto seguinte.

Sem correrem muitos riscos, as duas equipes só passaram a criar boas chances de gol nos minutos finais do primeiro tempo. Aos 35, Bruno Peres recebeu bom lançamento de Adriano, fez a finta e soltou a bomba de perna esquerda, para boa defesa de Jefferson. No minuto seguinte, o Botafogo respondeu com Fellype Gabriel. O meia arriscou de média distância e acertou o travessão de Aranha, assustando o goleiro santista.

Com mais mobilidade dos seus jogadores de ataque, o time da Baixada quase balançou as redes aos 38. Miralles recebeu boa assistência de Dimba, driblou Márcio Azevedo e bateu para grande defesa de Jéfferson. No rebote, o centroavante argentino tentou completar para o gol, mas o arqueiro fechou o ângulo e mandou a bola para escanteio. Na pressão, o time da casa quase abriu o placar, aos 39. O meia Felipe Anderson cobrou escanteio na cabeça de Bruno Rodrigo, que exigiu reflexo de Jéfferson, responsável por evitar o primeiro gol do Santos, mais uma vez.

Antes do intervalo, aos 41, os botafoguenses responderam. O time carioca trocou passes no meio-campo até Vitor Júnior acionar Márcio Azevedo, que chutou forte, para grande defesa de Aranha.

Na etapa complementar, o duelo ficou menos emocionante, com o Botafogo tomando a iniciativa. O Santos, por sua vez, ficou bem postado defensivamente, esperando os contra-ataques, mesmo atuando na Vila e diante do Rei Pelé, que assistiu ao confronto no seu camarote pessoal no estádio. Tentando mudar a forma de jogar de sua equipe, o técnico Muricy Ramalho trocou Dimba por João Pedro, aos 21, e Miralles pelo jovem Victor Andrade, aos 30.

Mais perigoso em campo, o Botafogo esteve perto de fazer o seu gol, aos 31. Lucas cobrou arremesso lateral pela direita, Fábio Ferreira desviou e o centroavante Rafael Marques quase venceu Aranha, mas a bola passou por cima do gol do camisa 1 do time da Baixada.

O técnico botafoguense, Oswaldo de Oliveira, ainda tentou dar mais mobilidade ao time carioca, com Cidinho no lugar de Fellype Gabriel e Willian na vaga de Rafael Marques. Porém, as mudanças não foram suficientes para que o Glorioso tivesse forças para marcar o seu gol e sair vencedor na casa do adversário. O Santos ainda viu o garoto Victor Andrade, de apenas 16 anos, dar trabalho a zaga rival e em um dos lances, aos 45, cruzou para Felipe Anderson finalizar. Só que o meia não pegou bem na bola e facilitou a defesa de Jéfferson.

Torcida do Santos reclama de 7º empate, e atletas dizem que vaias são “naturais”

Clube da Baixada empatou 70% de seus jogos no Brasileirão e deixou fãs de mau humor na Vila Belmiro

O empate por 0 a 0 com o Botafogo, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, foi o 7º empate do Santos no Campeonato Brasileiro. Com tantas igualdades na competição, e vendo os primeiros colocados se distanciarem cada vez mais na tabela, os torcedores alvinegros demonstraram insatisfação com a fase vivida pela equipe e vaiaram os jogadores ao término da partida. Abatidos, os atletas classificaram os protestos como normais.

“Isso é natural. Os torcedores estão chateados e nós também. Essa sequência de empates não nos ajuda, mas o trabalho continua. Vamos nos esforçar cada vez mais nos treinos para que as vitórias possam voltar”, discursou o volante Arouca. Henrique, outro volante do time alvinegro, também não ficou satisfeito com o rendimento do Santos contra os cariocas: “Nós estamos empatando muito, ainda mais dentro de casa, onde temos que vencer. Precisamos trabalhar e corrigir tudo o que está errado, para que possamos voltar a vencer”, comentou.

Experiente, o lateral esquerdo Léo também opinou sobre o momento que o Santos atravessa. “Não é normal. Nós não jogamos bem, temos que ser coerentes e reconhecer isso. É difícil saber o que está acontecendo, pois tempos uma grande equipe. Agora, temos que trabalhar duro, não é hora de falar muito. Não tem outro remédio”, analisou.

O técnico Muricy Ramalho colocou panos quentes e disse que o time alvinegro está passando por um “momento de transição”: “Estamos atravessando um momento de transição do elenco e precisamos ter paciência. Normalmente, o Santos joga indo para cima do adversário, mas agora teve de mudar. Agora tem que jogar com mais atenção na parte tática. O jogo não foi bom, mas o resultado foi justo”

Os santistas voltam a campo pelo Brasileirão diante do Vasco, no próximo sábado, a partir das 18h30 (horário de Brasília), em São Januário.