Santos 2 x 0 Coritiba

Data: 12/08/2001, domingo,
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.122 pagantes
Renda: R$ 70.515,00
Árbitro: Jorge Travassos (RJ).
Cartões amarelos: Cléber, paulo Almeida, Vágner, Válber, Weldon e Robert (S); Max Sandro, Filipe Alvim, Willians, Messias e Fabinho (C).
Gols: Robert (15-1); Robert (22-2).

SANTOS
Fábio Costa; Preto, Galván e Cléber; Russo (Vágner), Paulo Almeida (Elano), Renato, Válber e Canindé; Robert e Weldon (Julio César).
Técnico: Geninho

CORITIBA
Marcelo Cruz; Max Sandro, Edinho e Allan; Filipe Alvim (Alexandre), Willians (Pepo), Juliano, Messias e Fabinho (Alemão); Edmilson e Rincón.
Técnico: Paquito



Robert comanda vitória do Santos

Com uma exibição de destaque de Robert, o Santos quebrou o jejum de vitórias no Brasileiro e bateu o Coritiba por 2 a 0, ontem à tarde, na Vila Belmiro. Os dois gols foram marcados pelo meia. O jogo marcou as estréias no Santos do zagueiro Cléber (ex-Cruzeiro) e do volante Vagner (ex-Bahia). O técnico Ricardo Gomes, contratado pelo Coritiba para substituir Ivo Wortmann, que foi para o Cruzeiro, assistiu à partida de um camarote do estádio.

Além dos aplausos pelos gols, Robert recebeu antes do jogo, das mãos do volante Narciso, uma placa como homenagem aos 200 jogos que já disputou pelo time.

No primeiro tempo, o placar de 1 a 0 não justificou o desempenho do Santos, que só não marcou mais devido às defesas do goleiro Marcelo Cruz.

Bem posicionado na defesa e exercendo uma rígida marcação, o Santos não permitia ao Coritiba articular ações ofensivas -o primeiro chute a gol do time paranaense, sem perigo, ocorreu somente aos 32min. Sem a bola, o Santos se encolhia no campo de defesa, atraía o adversário e partia em velocidade para o ataque. Com deslocamentos frequentes, os santistas confundiam a defesa do Coritiba e abriam espaços para as finalizações dos meias e atacantes.

O time da casa também se beneficiava da jornada inspirada do meia Robert, que recebeu do técnico Geninho a mesma atribuição dada por Luiz Felipe Scolari a Rivaldo na seleção brasileira. Atuando no ataque e sem a obrigação de marcar, Robert ficou livre para se movimentar.

Aos 15min, em lance do meia, o Santos abriu o placar. Robert lançou Russo por cima da defesa. O lateral entrou na área e foi empurrado por trás por Fabinho. Robert cobrou o pênalti e fez 1 a 0.

Na segunda etapa, o Santos definiu o placar. Aos 22min, Válber cobrou falta, e Cléber desviou para Renato. O meia furou, e a bola sobrou para Robert, que finalizou com um toque para marcar pela segunda vez.

Fonte: http://acervo.folha.com.br/fsp/2001/08/13/20//28575