Vídeos: (1) Gols e (2) Melhores momentos.

Palmeiras 1 x 2 Santos

Data: 25/08/2012, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP
Público: 22.022 presentes, sendo 21.171 pagantes.
Renda: R$ 772.640,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP).
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Danilo Ricardo Simon Manis (ambos de SP).
Assistentes adicionais: Antonio Batista do Prado e Marcelo Pietro Alfieri (ambos de SP)
Cartões amarelos: João Vitor, Valdivia e Maurício Ramos (P); Adriano (S).
Gols: Corrêa (41-1) e Neymar (43-1); Neymar (17-2).

PALMEIRAS
Bruno; João Vitor (João Denoni), Maurício Ramos, Leandro Amaro e Juninho; Henrique, Corrêa, Mazinho (Obina) e Valdivia; Betinho (Vinícius) e Barcos.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano (Gérson Magrão), Arouca, Patito Rodríguez (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André (Bill).
Técnico: Muricy Ramalho



Neymar quebra tabu e Palmeiras vai terminar o turno na zona da degola

Neste sábado, no clássico disputado no Pacaembu, o atacante marcou os dois gols da vitória santista por 2 a 1

O Palmeiras costuma ser uma pedra na chuteira de Neymar. No entanto, neste sábado, o melhor jogador do futebol brasileiro acabou com um jejum particular de sete jogos sem vitórias contra o rival. Com dois belos gols, o camisa 11 comandou o triunfo do Santos , de virada, por 2 a 1 – Corrêa marcou o primeiro gol do jogo.

Com o resultado, o Palmeiras vai terminar o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na zona de rebaixamento. O time de Luis Felipe Scolari ainda ocupa a 16ª colocação, mas será ultrapassado por Bahia ou Atlético-GO, que se enfrentam neste domingo, em Salvador. Já o Santos, embalado pela terceira vitória seguida na competição, subiu para a nona colocação.

Agora, no segundo turno do Brasileirão, o Santos busca manter a arrancada para conquistar uma vaga na Copa Libertadores. Enquanto isso, o Palmeiras só pensa em não terminar o campeonato rebaixado para a segunda divisão.

O jogo

O clássico disputado no Pacaembu começou equilibrado, com as duas equipes preocupadas com a marcação e sendo pouco efetivas nas jogadas de ataque. Os argentinos Barcos e Patito Rodríguez, por exemplo, arriscaram chutes de fora da área, mas ambos passaram bem longe do gol.

A primeira chance de perigo da partida foi criada apenas aos 19 minutos. Betinho recebeu na entrada da área e soltou a bomba, tirando tinta da trave defendida por Rafael. No minuto seguinte, Barcos invadiu a área, driblou Bruno Peres e tocou para Mazinho fazer o gol, tirando a bola do goleiro santista. Porém, Durval fez a cobertura e afastou o perigo.

Depois do susto, o time da Vila Belmiro conseguiu responder aos 28 minutos. Em jogada de contra-ataque, Neymar disparou com a bola, passou com facilidade por dois marcadores e chutou forte por cima do gol, assustando o goleiro Bruno.

Buscando mais o ataque que o adversário, o time do Palestra Itália abriu o placar aos 40 minutos. Após boa troca de passes entre Juninho e Mazinho, Corrêa recebeu na entrada da área e mandou a bomba no cantinho, sem chance para Rafael.

Com Ganso, André e Patito apagados na primeira etapa, Neymar chamou a responsabilidade e empatou o clássico aos 44 minutos. Em cobrança de falta de longa distância, o camisa 11 acertou na gaveta para marcar o golaço.

No segundo tempo, as equipes voltaram sem alterações. Assim como no começo da primeira etapa, Palmeiras e Santos se preocuparam em fechar os espaços e nenhuma boa jogada de ataque foi criada.

No entanto, aos 17 minutos, o melhor jogador do futebol brasileiro resolveu mudar o panorama da partida. Neymar ficou com a bola na entrada da área e mesmo cercado por dois marcadores encontrou espaço para bater rasteiro. Mal posicionada, Bruno não conseguiu defender a bola que saiu fraca, mas que acertou a trave antes de morrer no fundo da rede.

Com a vantagem no placar, o Santos conseguiu controlar as ações. Porém, aos 43 minutos, o Palmeiras quase deixou tudo igual. Após cruzamento na área, Barcos testou no canto e Rafael fez a defesa mais difícil da partida.

Bastidores:



Vídeo: Reportagem Esporte Espetacular.

Muricy exalta Neymar por virada no clássico e diz que atacante é “o diferente”

Atacante foi o autor dos dois gols da vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Palmeiras neste sábado, pelo Campeonato Brasileiro

Com show de Neymar , o Santos bateu o Palmeiras, de virada, na noite deste sábado, no Pacaembu, e alcançou a sua terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro . Autor dos dois gols do triunfo, o atacante recebeu diversos elogios de Muricy Ramalho. O treinador santista exaltou a participação decisiva do camisa 11.

“O jogo estava duro, com o Palmeiras mandando na gente e, de repente, ele arruma um gol daqueles (em cobrança de falta, aos 43 minutos do primeiro tempo). Temos o grande jogador, o ‘diferente’ do futebol brasileiro. Em um jogo complicado, o Neymar vai lá e faz coisas que muita gente duvida”, disse Muricy.

Muito satisfeito com o rendimento do seu principal atleta, o comandante do Santos ainda aproveitou para valorizar a dedicação de Neymar ao time. Muricy Ramalho citou o fato de que, após os treinamentos, no CT Rei Pelé, o atacante costuma treinar cobranças de falta e pênalti.

“O que ele fez não é de graça. Depois dos treinos, ele não para de chutar, fica sempre batendo faltas e pênaltis. Na sexta-feira foi assim. Esse é o legal do Neymar. Ele treina porque acha que precisa treinar, melhorar. Além disso, ele está sempre à disposição, nos ajudando e nunca resmunga de nada. Por isso, o Neymar é o que ele é”, comentou.

Para Muricy, o talento e o empenho demonstrados por Neymar no Santos, o credenciam como a maior esperança da seleção brasileira, para a Copa do Mundo de 2014, em território nacional. “Digo e repito: se a gente tem chances no Mundial é por causa dele. Em um clássico duro como esse, ele mostrou que desequilibra, resolve mesmo. É um grande talento e precisamos ter atenção com ele mesmo”, encerrou.

Presidente do Santos critica Ganso, meia reclama e Muricy alfineta São Paulo

A novela envolvendo o futuro do camisa 10 deixou o clima pesado antes e depois do clássico contra o Palmeiras

Apesar da vitória no clássico contra o Palmeiras, o clima no vestiário do Santos não estava bom. A novela envolvendo o futuro de Paulo Henrique Ganso segue rendendo. Enquanto o jogador reclamou da diretoria santista, Muricy Ramalho criticou o São Paulo.

“Eu tenho contrato com o Santos. Minha vontade é de permanecer, mas têm tantas coisas acontecendo fora de campo que eu fico chateado. Eu tenho cabeça boa e vou sair dessa. Eu joguei até machucado no Santos e isso ninguém fala”, reclamou Ganso.

Na última sexta-feira, o Santos soltou uma nota oficial criticando a postura do jogador – o camisa 10 disse que seria um prazer jogar no São Paulo. De quebra, neste sábado, o presidente Luis Álvaro Ribeiro detonou Ganso.

“Quem fala o que quer, ouve o que não quer. Não é a primeira vez. No Mundial, ele falou que o Santos não se interessou por comprar parte de seus direitos. São várias declarações desse tipo e sempre às vésperas de jogos importantes. Enfim, já encheu o saco”, disse o presidente do Santos, em entrevista à Rádio Bandeirtantes.

Indagado sobre a novela envolvendo o jogador, Muricy Ramalho preferiu alfinetar o clube do Morumbi e, principalmente Ney Franco. Na última terça-feira, o treinador revelou que já pensava na formação do time do São Paulo com Ganso dentro de campo.

“O cara (Ney Franco) até escalou o Ganso. Agora demos um basta nesse assunto, Se quiserem contratar o jogador, paguem a multa e acabou”, desabafou Muricy.

Muricy defende Ganso e diz que meia quis ser elegante com o São Paulo

Meia tem sido alvo de críticas da torcida e do presidente do Santos após declarar que seria um prazer atuar no clube do Morumbi

Ao dizer que seria um prazer defender o São Paulo , o meia Paulo Henrique Ganso passou a receber críticas da maior torcida organizada do Santos e do presidente do clube, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro. O técnico Muricy Ramalho, no entanto, não viu problemas na declaração e saiu em defesa do camisa 10.

“Vocês (jornalistas) perguntaram para ele, que vai responder e não quer ser deselegante com ninguém, seja pessoa ou clube”, disse Muricy. “O que ele falou não tem nada de mais. Ele quis ser elegante e as pessoas entenderam mal. Às vezes, a pessoa fala para não ser deselegante, não porque queira. Se a gente vê só maldade, não dá certo”, completou.

Apesar de ter defendido Ganso, o comandante santista voltou a cobrar do atleta uma rápida resolução para que esse problema não o prejudique no futuro. “Ele voltou a jogar bem, só que esse monte de coisa em torno atrapalha. Não é o meu papel conversar com o Ganso, porque eu apenas cobro se ele joga bem ou mal. Tem muita gente para administrar a carreira dele, mas esse pessoal precisa orientá-lo. Se quiserem levá-lo, que paguem a multa e acabou. Até porque o Santos não tem interesse em se desfazer dele. E ele não quer sair”, declarou.

O técnico ainda pediu calma aos torcedores, para não que o clima de Ganso no Santos não fique ainda mais pesado. “A torcida vai entender que ele é importante para a gente. Eu peço apoio da torcida ao Ganso, que nunca mostrou vontade de sair, nem para a gente”, concluiu.