Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 1 x 3 Portuguesa

Data: 22/09/2012, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 26ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 15.774 pagantes
Renda: R$ 74.322,00
Árbitro: Raphael Claus (SP).
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo e Bruno Salgado Rizo (ambos de SP).
Cartões amarelos: Felipe Anderson e Victor Andrade (S); Valdomiro, Gustavo, Ferdinando, Boquita e Rodriguinho (P).
Gols: Bruno Mineiro (38-1) e Léo Silva (43-1); Bruno Mineiro (17-2) e André (29-2).

SANTOS
Rafael; Douglas (João Pedro), Bruno Rodrigo, Durval e Juan (Bernardo); Arouca, Gérson Magrão e Felipe Anderson; Patito Rodríguez (Miralles), André e Victor Andrade.
Técnico: Muricy Ramalho

PORTUGUESA
Dida; Luis Ricardo, Valdomiro, Gustavo e Marcelo Cordeiro (Rogério); Ferdinando, Léo Silva, Moisés e Boquita; Rodriguinho (Lima) e Bruno Mineiro (Diego Viana).
Técnico: Geninho



Portuguesa bate o Santos no Pacaembu com atuação inspirada de Bruno Mineiro

Atacante balança as redes duas vezes na vitória por 3 a 1 da equipe do Canindé, que volta a ganhar no Brasileirão após duas derrotas

A Portuguesa aproveitou o fato de o Santos jogar desfalcado do seu principal astro, o craque Neymar, para vencer o adversário por 3 a 1, na noite deste sábado, no Pacaembu. O grande responsável pela vitória do time do Canindé foi o centroavante Bruno Mineiro, que marcou duas vezes. O outro gol da equipe foi anotado por Léo Silva. André foi quem balançou as redes pelo Santos.

O resultado freou a reação santista no Campeonato Brasileiro, caindo para a 11° posição, com 33 pontos. Enquanto isso, a Portuguesa quebrou a sequência de duas derrotas (Fluminense e São Paulo), subindo para a 12° colocação, com 32 pontos ganhos.

O Santos volta a campo no dia 30 (domingo), quando encara o Grêmio no Estádio Olímpico. Já a Portuguesa joga de novo no domingo, dia em que receberá a visita do líder Atlético-MG.

O jogo

Jogando diante de sua torcida em São Paulo, o Santos começou a partida pressionando a Portuguesa. Aos seis minutos, após grande jogada individual de Victor Andrade, Patito Rodríguez furou e André pegou mal na bola, chutando-a por cima do gol. Dois minutos depois, Felipe Anderson fez bom lance individual e soltou a bomba, com a bola passando próxima ao gol de Dida.

Aos poucos, a Portuguesa foi equilibrando as ações. O Santos ainda teve uma boa chance, aos 31, com o argentino Patito Rodriguez, aproveitando levantamento vindo da esquerda, em cobrança de falta, mas Dida estava bem colocado para fazer a defesa facilmente.

No minuto seguinte, a Portuguesa viu a arbitragem anular um gol seu, em lance polêmico. Em trama ofensiva, Rodriguinho mandou a bola para o fundo das redes, mas o impedimento já havia sido marcado pelo trio de arbitragem.

Melhor nos minutos finais do primeiro tempo, a Portuguesa chegou ao seu gol aos 37. Bruno Mineiro se aproveitou do seu bom posicionamento dentro da grande área para, depois de cobrança de escanteio pela esquerda, completar de cabeça e balanças a redes: 1 a 0.

Cinco minutos mais tarde, veio o segundo gol. Após boa troca de passes, Rodriguinho rolou para Léo Silva chutar forte, ampliando a vantagem dos visitantes no Pacaembu antes do intervalo.

Na volta para a etapa complementar, o técnico Muricy Ramalhou sacou o lateral esquerdo Juan para a entrada do meia-atacante Bernardo. Com isso, Gérson Magrão deixou o meio-campo e passou a atuar na ala esquerda do Santos.

Só que foi a Portuguesa que quase chegou ao gol no retorno do intervalo. Aos dois minutos, Moisés se livrou dos defensores santistas, driblou o goleiro Rafael e completou para o gol, mas não levou sorte, pois a bola bateu na trave direita e saiu pela linha de fundo.

A Portuguesa teve mais uma boa oportunidade para ampliar, quando Marcelo Cordeiro, aos 15, cobrou falta no ângulo, mas Rafael pulou no canto direito, para fazer boa defesa. O terceiro gol saiu dois minutos depois: em cobrança de falta ensaiada, Bruno Mineiro tocou de cabeça para as redes santistas.

A partir daí, a Portuguesa passou a tocar a bola com mais espaço e, explorando o desespero do Santos, quase chegou ao quarto. Aos 24, Bruno Mineiro ajeitou de peito para Moisés e recebeu de volta do meia, na frente, mas o toque de cabeça passou ao lado do gol de Rafael.

Já após a troca entre argentinos, com a saída de Patito Rodríguez para a entrada de Miralles, o Santos descontou. Aos 29, Bernardo cobrou falta para a área, André subiu mais do que a defesa rival e mandou a bola para as redes, descontando para o time santista.

Nos minutos finais do confronto, Muricy ainda mandou João Pedro no lugar de Douglas para campo, enquanto o treinador da Portuguesa, Geninho, sacou o grande nome do jogo, Bruno Mineiro, para a entrada de Diego Viana.

O Santos ainda tentou descontar, mas esbarrou no nervosismo e na boa postura tática de seu adversário, que garantiu a vitória até o apito final do árbitro.

Arouca lamenta derrota e vê Santos cada vez mais distante do G-4

Com o revés contra a Portuguesa, o Santos cai para a 11ª posição e se afasta da briga pela vaga na Libertadores

Derrotado pela Portuguesa, por 3 a 1, na noite deste sábado, no Pacaembu, o Santos estacionou nos 33 pontos e, ainda por cima, caiu para a 11° posição no Campeonato Brasileiro. O resultado negativo, que quebrou a série de duas vitórias consecutivas da equipe (Flamengo e Coritiba), frustrou o volante Arouca, que lamentou o fato de o Peixe seguir distante do G-4.

O Vasco, que enfrenta a Ponte Preta, neste domingo, no Moisés Lucarelli, tem 43 pontos ganhos e seria, no momento, o último classificado para a próxima Copa Libertadores da América, através da disputa do Brasileirão.

“Hoje (sábado) era mais uma final pela vaga na Libertadores, mas não fomos bem. Perdemos a oportunidade de vencer em casa e, se os nossos adversários diretos ganharem, a dificuldade será ainda maior. A cada rodada que passa, em que nós não pontuamos e os rivais abrem distância, fica mais difícil. Mas temos que continuar nessa luta”, disse Arouca.

O meio-campista ainda rechaçou que o revés para a Lusa tenha ocorrido principalmente pela ausência do atacante Neymar, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, recebido na vitória sobre o Coritiba, no último domingo. Arouca reconheceu que os santistas sofrem sem poder contar com a seu principal astro, mas que essa situação não pode ser justificativa para o novo tropeço.

“O Neymar faz falta para qualquer equipe. Aqui no Santos ele faz muita falta, decide, pois é o melhor jogador brasileiro da atualidade. Mas se nós estamos no Santos é porque temos condições de vestir essa camisa. Precisávamos vencer. Essa derrota é lamentável”, concluiu.

Muricy se irrita e rebate pergunta sobre treinos táticos no Santos

Jornalista perguntou sobre a ausência de trabalhos táticos com o elenco santista e ouviu do treinador que ele “não via o treino porque estava na rua”

Após ver o Santos ser derrotado pela Portuguesa, por 3 a 1, na noite deste sábado, no Pacaembu, o técnico Muricy Ramalho não estava no seu melhor humor, durante a entrevista coletiva concedida ao fim da partida. Nos vestiários, uma pergunta deixou o treinador visivelmente irritado. Ao ser indagado sobre a ausência de treinos táticos na equipe, Muricy rebateu com a veemência a questão levantada por um jornalista.

“Realmente você não vê (atividade tática) porque você está lá fora, na rua. Além disso, mesmo se você assistir (ao treinamento) não vai entender muito”, disparou Muricy, que mandou a campo a 24ª formação diferente em 26 rodadas do Campeonato Brasileiro.

O comandante santista, que geralmente aponta o excesso de jogos como razão para evitar treinos mais pesados para os atletas, teve a semana livre de compromissos, com espaço para realizar treinos coletivos.

Muricy Ramalho ainda rebateu o repórter alegando que foi feito uma atividade de posicionamento, na manhã de sexta-feira, na véspera do duelo com a Lusa. “Fizemos por volta das 9h30 um trabalho tático. Só que, por mais que a gente insista, a falta de entrosamento é grande. Estamos sendo obrigados a mudar demais a equipe”, ponderou.

Incomodado, o técnico seguiu no mesmo tema e explicou que, para não permitir aos seus adversários conhecerem o que ele pretende levar a campo, por vezes opta por não deixar a imprensa acompanhar certos treinamentos.

“Quando é posicionamento vocês não podem ver. Se fazemos trabalho tático, vocês não podem estar presentes, porque tem de ser assim. Geralmente (os treinos) são fechados para fazermos algo diferente em jogadas de bola parada e outros detalhes”, complementou.

Nos treinos abertos para os jornalistas, Muricy normalmente orienta trabalhos técnicos, como treinamento de dois toques ou atividades de ataque contra a defesa, além dos populares rachões. Coletivos envolvendo reservas e jogadores das categorias de base do clube também são práticas comuns no dia-a-dia do CT Rei Pelé.

Santos é líder do Brasileirão com Neymar e lanterna sem ele

Time praiano tem aproveitamento melhor que o do Flu quando o astro está em campo. Na ausência dele, até o Atlético-GO é melhor

O Santos está exatamente no meio da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro , em 11º lugar, com 33 pontos. Mas poderia ser diferente, para o bem ou para o mal. Esse diferencial atende pelo nome de Neymar. Com o astro em campo, o time santista é o melhor do Brasileirão. Sem ele, é o pior.

Neymar disputou apenas 9 jogos no Brasileirão 2012. Ficou fora dos outros 17 por motivos diversos: amistoso com a seleção (5 jogos), Olimpíadas (8), indisposição estomacal (1), suspensão (1) ou porque os titulares foram poupados (2).

Nas nove partidas que fez com a presença de Neymar, o Santos somou seis vitórias, dois empates e uma derrota. São 20 pontos conquistados em 27 disputados, um aproveitamento de 74%. Nem o líder Fluminense é tão eficiente, com aproveitamento de 71,8%.

Na ausência de Neymar, o Santos é um arremedo de time, como apontam os números. Nos 17 jogos em que não teve seu principal jogador, o Santos venceu duas vezes, empatou sete e perdeu oito. O aproveitamento é de 24,5%, abaixo dos 26,7% do lanterna Atlético-GO.

Jogos do Santos com Neymar:
Santos 2 x 2 Coritiba
Portuguesa 0 x 0 Santos
Santos 4 x 2 Grêmio
Figueirense 1 x 3 Santos
Santos 3 x 2 Corinthians
Palmeiras 1 x 2 Santos
Santos 1 x 3 Bahia
Santos 2 x 0 Flamengo
Coritiba 1 x 2 Santos

Jogos do Santos sem Neymar:
Bahia 0 x 0 Santos
Santos 0 x 0 Sport
Santos 1 x 1 Fluminense
São Paulo 1 x 0 Santos
Flamengo 1 x 0 Santos
Internacional 0 x 0 Santos
Santos 0 x 0 Botafogo
Vasco 2 x 0 Santos
Atlético-MG 2 x 0 Santos
Santos 2 x 1 Ponte Preta
Náutico 3 x 0 Santos
Santos 4 x 2 Cruzeiro
Santos 2 x 2 Atlético-GO
Sport 2 x 1 Santos
Fluminense 3 x 1 Santos
Santos 0 x 0 São Paulo
Santos 1 x 3 Portuguesa