Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 3 x 1 Palmeiras

Data: 01/12/2012, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.641 pagantes
Renda: R$ 275.695,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP).
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e João Bourgalber Nobre Chaves (SP).
Cartões amarelos: Alan Santos (S); Román (P).
Cartões vermelhos: Alan Santos (S); Román (P).
Gols: Maikon Leite (04-1), Victor Andrade (12-1), Neymar (22-1, de pênalti) e Neymar (38-1).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Alan Santos, Arouca (Gérson Magrão), Felipe Anderson e Patito Rodríguez (Geuvânio); Neymar e Victor Andrade (Miralles).
Técnico: Muricy Ramalho

PALMEIRAS
Raphael Alemão; Artur, Román, Maurício Ramos e Juninho; Márcio Araújo, Correa, Bruno Dybal (Diego Souza) e Mazinho (Luiz Gustavo); Maikon Leite (Vinícius) e Barcos.
Técnico: Gilson Kleina



Com show de Neymar, Santos vira e vence rebaixado Palmeiras na Vila

Atacante faz dois gols, cava expulsão e ainda participa da jogada do terceiro na vitória santista por 3 a 1

Em um jogo marcado pelas provocações da torcida do Santos por conta do rebaixamento do Palmeiras para a Série B, o time da Vila Belmiro saiu atrás em casa, mas virou o placar e derrotou o rival por 3 a 1, na noite deste sábado. Neymar, com dois gols e participação no primeiro tento santista, foi o grande destaque do jogo, válido pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

O triunfo levou o clube praiano, provisoriamente, para a oitava colocação, com 53 pontos. O Verdão, que caiu para a segunda divisão, terminou a competição no 18º lugar da tabela, com apenas 34 pontos ganhos.

O jogo

O Santos começou a partida buscando exercer uma pressão desde os primeiros instantes sobre o Palmeiras. Só que o Verdão foi mais eficiente e, em rápido contra-ataque, aos quatro minutos, abriu o placar. O argentino Barcos lançou Maikon Leite, que dominou e soltou a bomba, sem chances para Rafael, estufando as redes do Peixe.

No minuto seguinte, o Verdão poderia ter ampliado, novamente com Maikon Leite, mas desta vez Rafael conseguiu fazer a defesa, em chute forte do veloz atacante palmeirense.

Em desvantagem no placar, os santistas partiram em busca do empate e ele quase chegou, aos nove. Com Maurício Ramos, a zaga alviverde salvou o que seria um gol do argentino Patito Rodríguez, praticamente em cima da linha. No rebote, Neymar ajeitou para trás e Juan finalizou mal, mandando a bola pela linha de fundo.

No entanto, pouco depois, o Santos chegou ao empate, em bela trama do seu ataque. Aos 12, Patito Rodríguez tocou para Neymar, que driblou o goleiro Raphael Alemão e, com calma, esperou a chegada de Victor Andrade, tocando a bola para o novato atacante chegar antes do zagueiro rival e completar para o fundo do gol: 1 a 1.

A virada do Santos não demorou para sair e veio pelos pés de Neymar. Aos 21, a Joia recebeu a bola e sofreu pênalti, cometido por Román. O zagueiro paraguaio, que já tinha cartão amarelo, foi expulso pelo árbitro. No minuto seguinte, o camisa 11 do Peixe cobrou a penalidade com extrema categoria, colocando o seu time em vantagem no marcador.

Com um jogador a mais em campo, a equipe santista passou a ditar o ritmo, atuando com segurança e desperdiçando várias chances de gol. Uma das principais delas aconteceu aos 33, quando Felipe Anderson cruzou para Neymar acertar a trave e, no rebote, tocar de pela linha de fundo.

Inspirado, o craque alvinegro não perdoou a oportunidade que teve, aos 38. Alan Santos deu início ao lance, acionando Patito Rodríguez pela esquerda. O argentino cruzou para Neymar que, com precisão, escolheu o canto direito de Raphael Alemão, finalizando sem chances de defesa para o arqueiro palmeirense.

Antes do intervalo, o Santos ainda poderia ter feito o seu quarto gol. Aos 45, Patito Rodríguez fez bom lance individual e rolou para a conclusão de Neymar, só que Maurício Ramos evitou mais um gol do camisa 11 do Peixe.

Na volta para a etapa complementar, com Luiz Gustavo no lugar de Mazinho, o Palmeiras passou a priorizar a defesa, procurando evitar que os santistas ampliassem o placar na Vila.

Os alvinegros, por sua vez, perderam o volante Alan Santos, expulso após receber o segundo amarelo, aos 10. Logo em seguida, Arouca deixou o gramado, contundido. Gérson Magrão entrou na sua vaga.

Depois do cartão vermelho para Alan Santos, o jogo esfriou e as chances de gol passaram a ser cada vez mais raras durante o confronto. Sem qualquer mudança no panorama da partida, o Santos administrou o resultado, com direito a várias jogadas de efeito de Neymar, até o apito final.


Vídeo: Reportagem do Globo Esporte. Jogadas de efeito de Neymar irritam os palmeirenses.

Neymar nega menosprezo ao Palmeiras e bate boca com Maurício Ramos

Destaque da vitória do Santos sobre o Palmeiras neste sábado, o atacante Neymar chegou a bater boca com o zagueiro rival Maurício Ramos. Após a partida, o santista desabafou e se defendeu das críticas de que estaria menosprezando os adversários, como chegou a acusar o defensor do Verdão, dentro de campo.

“Não tem esse negócio (de querer menosprezar). Quem está com a bola faz o que quiser: drible, chute, gol etc. Nunca joguei para humilhar ninguém. Eu sempre dei chapéu, caneta e carretilha, mesmo quando o placar estava 0 a 0. Fiz jogadas de efeito, mas não pelo fato de o Palmeiras estar rebaixado. Foram recursos que eu usei porque a jogada pedia”, afirmou Neymar, que recomendou a Maurício Ramos “jogar a sua bola” quando o zagueiro tentou intimidá-lo.

“Falei isso mesmo. Eu fiz a jogada que o lance pedia, não menosprezei. Por isso, eu disse que só estava jogando futebol. Que ele jogasse a bola dele, que eu jogava a minha. Não tem que ficar falando, tentando intimidar. Dentro de campo, cada um faz a sua parte”, destacou o camisa 11 do Peixe.

Indagado se o futebol estaria perdendo um pouco da sua graça por conta de episódios como esse, Neymar minimizou a questão. “Não está chato. Eu entendo o lado deles, pelo fato de o time ter caído e eles estarem perdendo o jogo. Agora, jogada de efeito é normal, isso é o futebol. Se for toque de lado, fica algo chato, mas cada um tenta o melhor para o seu time. Quando o Ronaldinho Gaúcho dá chapéu, caneta, vai reclamar do quê? Quem gosta de futebol sabe do que eu estou falando”, comentou.

Por fim, Neymar também criticou uma entrada mais forte do zagueiro paraguaio Román, aos 18 minutos do primeiro tempo, na qual o atleta recebeu cartão amarelo. Três minutos depois, o próprio Román fez pênalti no atacante e acabou sendo expulso, no lance do segundo gol alvinegro.

“Talvez tenha sido um pouquinho de maldade. Estou até a com a perna um pouco rasgada, mas estou inteiro. Não sei se teve maldade ou não, mas cabe às pessoas responsáveis analisar. Machucou e está doendo muito, poderia ter quebrado a minha perna. Mas, felizmente, Deus me protegeu mais uma vez e impediu que eu tivesse qualquer tipo de lesão”, encerrou.

“Suspeito”, Neymar pede Robinho e aprova possível vinda de Montillo

Em busca de grandes reforços, o Santos deve aproveitar o término da temporada para intensificar as negociações com nomes de peso para montar uma equipe forte em 2013. O meia Montillo, do Cruzeiro, e o atacante Robinho, do Milan (Itália), são dois dos jogadores com mais chances de desembarcar na Vila Belmiro. Principal atleta do Peixe, Neymar aprovou as possíveis contratações do argentino e, principalmente, do Rei das Pedaladas.

“Sou suspeito para falar do Robinho, que todos vocês (jornalistas) sabem que é o meu ídolo. Aliás, o Robinho não é só o meu ídolo, é da nação santista também. Agora, o presidente (Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro) é quem decide. Por mim, ele será muito bem-vindo”, disse a Joia, falando sobre a possibilidade de o clube praiano repatriar o atacante.

Sem conseguir se firmar no time rossonero, Robinho também é alvo do Atlético-MG, do Grêmio, e mais recentemente, o Flamengo também entrou na briga pela sua contratação. O principal entrave são os altos valores pretendidos pelo Milan.

Bastidores – Santos TV: