Fluminense 2 x 1 Santos

Data: 24/11/2001, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 26ª rodada (penúltima)
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 20.561
Renda: R$ 160.747,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR).
Cartões amarelos: Régis e Sidnei (F); Pitarelli, Preto, Cléber, Renato e Paulo Almeida (S).
Gols: André Luís (02-1); Cléber (26-2) e André Luís (29-2).

FLUMINENSE
Murilo; Flávio, André Luís, Régis e Paulo César; Marcão, Sidnei (Fabinho), Fernando Diniz e Roger; Alex (Gilmar) e Caio (Magno Alves).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS
Pitarelli; Russo, Preto (Pereira), Cléber e Léo; Válber, Marcelo Silva, Renato (Paulo Almeida) e Robert (Canindé); Elano e Viola.
Técnico: Cabralzinho



Fluminense garante vaga ao vencer o Santos

Derrota agrava crise na Vila Belmiro, que viveu semana turbulenta

A vitória de 2 a 1 sobre o Santos ontem no Maracanã sacramentou a classificação do Fluminense para as quartas-de-final do Campeonato Brasileiro, levou-o à segunda posição (pelo menos até as partidas de hoje) e deixou-o perto de uma grande vantagem: se ficar entre os quatro primeiros colocados, disputará no Rio o jogo único da próxima fase.

Para o Santos, a derrota confirmou a eliminação na competição, a uma rodada do final da primeira fase. O Fluminense alcançou os 48 pontos. O Santos estancou nos 35.

Muito equilibrada, a partida foi decidida por um zagueiro, André Luís. Durante a semana, ele havia prometido “”vingança” contra o Santos, clube que o dispensou depois do Campeonato Paulista, responsabilizando-o pela derrota. Hoje no Fluminense, André Luís fez os dois gols do seu time.

Apesar dos mais de 30 graus centígrados no estádio, mesmo com o jogo começando às 17h09, o Fluminense começou em ritmo intenso. A 1min, o atacante Alex arrancou quase do meio-campo, chutou, o goleiro Pitarelli defendeu, e a bola tocou na trave.
Numa cobrança de escanteio por Roger, André Luís cabeceou, abrindo o placar, aos 2min.

Surpreendido, o Santos teve dificuldades para se organizar. Aos 14min, a equipe pediu pênalti contra o Fluminense: a bola tocou na mão do lateral Paulo César, dentro da área. O árbitro Héber Roberto Lopes (PR) considerou que o toque não foi proposital.

A partir dos 20min, o Santos reagiu e passou a dominar um encolhido Fluminense. Aos 24min, o goleiro tricolor Murilo fez uma defesa difícil num chute do meia Robert. Aos 29min, o atacante santista Viola cabeceou na trave. Em seguida, Robert chutou, e a bola raspou a trave. Aos 39min, Viola iria concluir para o gol, mas Murilo interceptou o passe.

No final do primeiro tempo, apesar de pressionado, o Fluminense quase marcou: Paulo César driblou Marcelo Silva e acertou no travessão.

O Fluminense voltou melhor, com destaque para Alex, que estreou no ataque titular da equipe. Caio, com desempenho ruim, jogou ontem ao seu lado. Aos 9min, o zagueiro santista Preto se contundiu ao fazer falta violenta em Alex. Preto recebeu cartão amarelo e não conseguiu voltar -foi substituído pelo meia Pereira.

Com a equipe mais ofensiva, o Santos foi ao ataque e imprensou o Fluminense. O técnico da equipe carioca, Oswaldo Oliveira, tentou reforçar a sua defesa, substituindo Sidney por Fabinho, um meia tipicamente defensivo.

Não adiantou: logo depois, aos 27min, o atacante Elano cobrou escanteio. Na confusão na área, o zagueiro Cléber empatou.
Com o impacto do gol, o Fluminense mudou de papel. Partiu para cima e, aos 30min, desempatou, com André Luís concluindo depois de receber livre diante de Pitarelli. O Santos pediu impedimento, mas não foi atendido.

Aos 43min, quando Leo foi derrubado, o juiz marcou falta fora da área. Jogadores do Santos pediram pênalti, alegando que a infração ocorreu na área. De novo, o juiz discordou.