Santos 0 x 2 Bahia

Data: 18/04/2001, quarta-feira, 21h40.
Competição: Copa do Brasil – 2ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: N/D
Árbitro: Léo Feldman (RJ).
Cartões amarelos: Fábio Costa, Galván, André Luis, Elano, Rincón e Robert, (S); Émerson, Jean Elias, Preto Casagrande, Bebeto Campos, Alex Oliveira e Nonato (B).
Cartão vermelho: Léo (S, 20-1).
Gols: Alex Oliveira (35-2, de pênalti) e Alex Oliveira (40-2).

SANTOS
Fábio Costa; Russo, André Luis, Galván e Léo; Paulo Almeida, Rincón, Renato (Elano) e Robert; Caio (Dodô) e Deivid (Rodrigão).
Técnico: Geninho

BAHIA
Émerson; Jefferson, Carlinhos Paulista, Jean Elias e Japinha (Ramos); Preto Casagrande, Bebeto Campos, Capixaba (Mantena) e Alex Oliveira; Róbson (Washington) e Nonato.
Técnico: Evaristo de Macedo



Santos fica fora da Copa do Brasil

O Santos se despediu da Copa do Brasil ontem na Vila Belmiro ao ser derrotado por 2 a 0 pelo Bahia, que repetiu o placar do jogo de ida, em Salvador.

Mesmo com o retrospecto de sete vitórias em oito jogos na Vila Belmiro, a torcida santista, que antes da partida havia posicionado as faixas de cabeça para baixo, vaiou o time e xingou a diretoria. O técnico Geninho deixou o gramado sob os gritos de “burro”.

Em campo, nos primeiros 20min, o Santos tentava, com jogadas em velocidade, furar a retranca do time baiano. Embora tivessem o domínio das ações, os santistas tinham dificuldades para concluir os lances ofensivos. O primeiro chute a gol do Santos aconteceu somente aos 17min, por meio do lateral Russo.

A situação do time da casa ficou mais complicada a partir do 20º minuto de jogo, quando foi expulso o lateral-esquerdo Leo, até então o melhor jogador em campo.

Ao tentar corrigir falha do zagueiro André Luis, o lateral, último homem da defesa santista, cometeu falta por trás no atacante Robson, que partia com a bola dominada em direção ao gol.

Com um jogador a menos, o Santos se afobou. Os atacantes passaram a insistir em lances individuais, o que facilitava a tarefa dos defensores baianos.

Com um atleta a mais, o Bahia abandonou a postura retraída e ameaçou o gol de Fábio Costa.

Na segunda etapa, empurrado pela torcida, o Santos partiu desesperadamente para o ataque e se expôs aos contragolpes. Por isso, quase levou o gol aos 10min, quando Fábio Costa saiu da área para interceptar um lançamento. Na pequena área, Galván, com o peito, evitou que a bola chutada por Robson entrasse.

O técnico Geninho, que no intervalo já havia substituído o meia defensivo Renatinho pelo meia ofensivo Elano, trocou o ataque: Caio e Deivid saíram para dar lugar a Dodô e Rodrigão.

Mesmo assim, foi o Bahia que quase fez aos 24min. Numa bola que sobrou na pequena área após escanteio, Washington, livre de marcação, chutou por cima.

Aos 35min, porém, saiu o gol baiano. Em pênalti que ele mesmo sofreu, Alex Oliveira colocou a bola no canto direito, deslocando Fábio Costa. O próprio Alex ampliou aos 40min, ao fintar André Luis dentro da área e chutar.

Selo

Na noite de hoje, na Vila Belmiro, os Correios lançarão o primeiro selo da série 2001, dedicada aos clubes campeões da Libertadores. Bicampeão em 1962 e 63, o Santos será o primeiro a receber a homenagem, durante o jantar comemorativo dos 89 anos do clube, completados no último dia 14.

Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/2001/04/19/20//51371