Santos 3 x 1 Palmeiras

Data: 01/04/2001, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.897 pagantes
Renda: N/D
Árbitros: Paulo César de Oliveira e Romildo Correa
Cartões amarelos: Caio e Galván (S); Paulo Turra (P).
Cartão vermelho: Taddei (P)
Gols: Caio (08-1) e Deivid (31-1, de pênalti); Tuta (16-2) e Rodrigão (30-2)

SANTOS
Fábio Costa; Russo, André Luís, Galván (Pereira) e Léo; Paulo Almeida, Rincón, Renato e Robert (Marcelo Silva); Deivid (Rodrigão) e Caio.
Técnico: Geninho

PALMEIRAS
Marcos; Paulo Turra, Leonardo e Thiago Matias (Flávio); Taddei, Claudecir, Galeano, Lopes (Tuta) Alex e Felipe; Fábio Júnior (Basílio).
Técnico: Celso Roth



Santos vence Palmeiras na Vila

Para o alviverde, o resultado foi desastroso. O time permanece com 12 pontos e está virtualmente eliminado. A partir de agora terá de lutar contra o rebaixamento.

O Santos recuperou-se no Campeonato Paulista ao superar o Palmeiras por 3 a 1, neste domingo à tarde, na Vila Belmiro, e conseguiu sua primeira vitória na competição após cinco partidas. A ineficácia do esquema 3-5-2 e os erros do técnico Celso Roth contriburam para a derrota palmeirense, que voltou a estar ameaçado de rebaixamento.

A equipe ocupa a antepenúltima colocação, com 12 pontos e enfrenta na próxima semana o Guarani, em Campinas. Antes, porém, o Palmeiras joga no meio da semana contra o Cerro Porteño, pela Libertadores, no Paraguai.

O técnico Geninho, do Santos, manteve-se no cargo armando uma equipe combativa, que abusou das jogadas violentas para se impor na partida. O resultado deixou o Santos na oitava colocação, com 17 pontos. A próxima partida da equipe na competição será contra a Matonense.

O domínio santista prevaleceu desde o primeiro tempo. A tática de Geninho foi não dar espaços para Lopes armar as jogadas. O jogador era parado com faltas desleais de Rincón, Paulo Almeida e Galván e teve de deixar o campo contundido, aos 36 minutos.

No Palmeiras, por sua vez, o esquema 3-5-2 do técnico Celso Roth, não deu resultados. O técnico também se equivocou ao escalar Fábio Júnior no ataque, deixando no início Tuta no banco. Os zagueiros palmeirenses ficaram praticamente sem função com a movimentação adversária e também não evitaram as jogadas violentas. Logo aos 7 minutos, Deivid chutou da entrada da área e, após rebote de Marcos, Caio fez 1 a 0.

As melhores jogadas santistas foram sempre pelo setor esquerdo. Improvisado na lateral direita, Taddei não continha as avançadas de Léo e foi expulso aos 23 minutos. Pelo setor, Claudecir também não fazia a cobertura necessária. Sem alternativas, o Palmeiras teve de partir para o ataque em busca de sua sobrevivência na competição.

Somente após a entrada de Tuta, a equipe levou perigo ao adversário. Mas o alviverde estava exposto aos contra-ataques e, aos 29, Léo foi derrubado por Thiago Matias. Na cobrança do pênalti, Deivid fez o segundo.

Nos últimos minutos, as falhas da marcação palmeirense aumentavam. E aos 45, Flávio segurou Léo, fazendo outro pênalti. Deivid cobrou novamente mas desta vez Marcos defendeu.

Roth não soube corrigir os erros para o segundo tempo. O Santos foi perdendo uma chance atrás da outra. Ao Palmeiras, sobraram as jogadas de bola parada. Alex cobrou escanteio aos 15 minutos e Tuta se antecipou à zaga, marcando de cabeça: 2 a 1.

O jogo, então, ficou emocionante. Galeano quase empatou de cabeça aos 27 minutos, após confusão na área. Com um jogador a menos, no entanto, o Palmeiras sentiu o desgaste físico e foi a nocaute. Após aproveitar cruzamento de Renato, aos 30 minutos, Rodrigão fez o terceiro. A fatura estava liquidada. O Santos tocou a bola, tentando provocar mais uma expulsão dos palmeirenses, que terminaram a partida muito irritados.



Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/2001/04/02/20//23468