Flamengo 2 x 0 Santos

Data: 06/09/2001, quinta-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio Serejão, em Taquaritinga, DF.
Público: 7.401
Renda: R$ 57.114,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartoes amarelos: Cássio, Vampeta e ALessandro (F); Paulo Almeida e Galván (S).
Gols: Roma (31-1); Reinaldo (47-2).

FLAMENGO
Júlio César; Alessandro, Juan, André Bahia e Cássio; Jorginho, Vampeta (Fábio Augusto), Beto e Alexandre Gaúcho; Roma e Reinaldo.
Técnico: Zagallo

SANTOS
Fábio Costa; Preto, Galván (Weldon) e Cléber; Renato (Júlio César), Válber (Elano), Paulo Almeida, Robert e Léo; Marcelinho Carioca e Viola.
Técnico: Serginho Chulapa (interino)



Santos perde na estréia de Marcelinho Carioca

Flamengo faz 2 a 0 no novo time do meia, que foi liberado pelo TST

Liberado pela Justiça, o meia-atacante Marcelinho estreou ontem pelo Santos. Teve atuação discreta e viu sua nova equipe, que completou cinco jogos sem vitórias, ser derrotada por 2 a 0 pelo Flamengo, em Brasília.

Duas horas antes do início do jogo, o Santos conseguiu no TST (Tribunal Superior do Trabalho), em Brasília, garantir a presença do jogador em campo. Marcelinho estava ameaçado de não atuar por conta da decisão da juíza Maria Aparecida Pellegrina, do TRT-SP (Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo), que, a pedido do Corinthians, suspendeu provisoriamente a liminar obtida na semana passada pelo jogador. Essa liminar, concedida pelo juiz Marcos Neves Fava, da 74ª Vara do Trabalho de São Paulo, garantiu a Marcelinho o direito de se transferir para outro clube. Ontem, o juiz-corregedor do TST, ministro Vantuil Abdala, anulou a decisão da juíza Pellegrina e determinou que fossem notificadas a Federação Paulista de Futebol e a CBF. Por conta do feriado de hoje, o Corinthians deve recorrer da decisão na próxima segunda-feira.

Por ter atuado ontem, o atleta está impedido de defender outro clube que não seja o Santos no Brasileiro deste ano, conforme determina a lei. Santos e Corinthians travaram uma batalha judicial nos últimos dois dias. Anteontem, a juíza Maria Pellegrina concedeu liminar ao clube do Parque São Jorge impedindo Marcelinho de jogar contra o Flamengo. Ontem pela manhã, após novo pedido dos advogados do Corinthians, ela ampliou os efeitos dessa medida por prazo indeterminado. À tarde, o advogado Ubiratan Araújo, do Corinthians, esteve na sede da CBF, no Rio, para entregar o ofício da juíza, com o objetivo de garantir a exclusão de Marcelinho do jogo contra o Flamengo. Mas, no início da noite, o TST se pronunciou favoravelmente ao Santos e modificou a decisão.

Para o ministro Vantuil Abdala, é de “duvidosa jurisdicidade a conclusão de que alguém possa ser punido por ter participado de um ato para o qual teve autorização judicial”. O anúncio da liberação de Marcelinho foi comemorado de forma entusiasmada na noite de ontem em Brasília por jogadores e comissão técnica do Santos, durante a preleção do técnico Serginho Chulapa, antes da partida. “É como se tivessem tirado o doce de uma criança e depois devolvido. Estou muito feliz”, disse Marcelinho sobre a decisão do TST, antes de entrar em campo.

O entusiasmo, porém, se esvaiu em campo. Marcelinho, agora a principal estrela santista, não brilhou. Tampouco seus companheiros de equipe. Fora dos gramados havia mais de dois meses, o meia-atacante tocou poucas vezes na bola. Não deu nenhum chute a gol nem cobrou faltas. E foi o jogador do Santos que mais passes errados deu na partida: 11.

Apático, viu o atacante Roma abrir o placar, aos 31min do primeiro tempo.

No final do jogo, Marcelinho ainda acompanhou Reinaldo fazer o segundo gol do Flamengo, selando a vitória do time carioca, que vinha de duas derrotas e teve o retorno do técnico Zagallo.



Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/2001/09/07/20//19536