Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 3 x 1 São Paulo

Data: 03/02/2013, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.283
Renda: R$ 383.960,00
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP).
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (ambos de SP)
Cartões amarelos: Renê Júnior (S); Cañete e Denilson (SP).
Gols: Miralles (38-1); Neymar (03-2, de pênalti), Jadson (19-2) e Miralles (25-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Neto, Durval e Guilherme Santos; Arouca (Felipe Anderson), Renê Júnior, Cícero e Montillo; Neymar e Miralles.
Técnico: Muricy Ramalho

SÃO PAULO
Denis; Paulo Miranda (Douglas), Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington (Cañete), Denilson, Jadson e Ganso (Aloísio); Osvaldo e Luís Fabiano.
Técnico: Ney Franco



Neymar ofusca amigo Ganso e lidera o Santos na vitória contra o São Paulo

Neymar fez duas assistências para os gols de Miralles e fez o seu, em cobrança de pênalti. Ganso foi vaiado pela torcida santista a cada toque na bola

O tão esperado reencontro entre Neymar e Paulo Henrique Ganso começou com um abraço entre os dois amigos e terminou com a vitória do melhor jogador do Santos. Em jogo recheado por reclamações dos tricolores, o Peixe venceu o São Paulo por 3 a 1, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista.

No primeiro duelo que disputou no estádio desde que se transferiu do Alvinegro Praiano para o clube da capital, Ganso apareceu entre os titulares de Ney Franco e ganhou abraços de Neymar e dos ex-colegas, mas foi vaiado em todos os lances que participou e ainda acabou alvo de moedas atiradas das arquibancadas. Em campo, o jogador teve uma atuação discreta, quase sem pegar na bola no segundo tempo.

Enquanto isso, Neymar liderou o Santos, pois fez as assistências para os dois gols de Miralles, que ganhou a vaga de titular de André. Além disso, o camisa 11 do Peixe ainda sofreu o pênalti e o converteu, no segundo tento do Peixe.

O jogo também ficou quente com a reclamação dos são-paulinos por conta do gol anulado de Luis Fabiano, em um impedimento duvidoso. Sem contar com Rogério Ceni, que foi vetado por dores no ombro esquerdo, o Tricolor descontou em cobrança de falta de Jadson.

Com o resultado positivo, o Santos assumiu a liderança do Campeonato Paulista, com 13 pontos, levando vantagem nos critérios de desempate contra a Ponte Preta. Já o São Paulo, que ouviu a torcida alvinegra gritar ‘olé’ no fim, tem seis.

O jogo

O Santos começou tentando se posicionar mais na frente, mas esbarrou no sistema defensivo visitante. Enquanto isso, Ganso tentou puxar três jogadas e perdeu, com a torcida alvinegra comemorando cada erro. Mas o Tricolor foi o primeiro a chegar. Jadson dominou na intermediária e chutou direto para fora. Pouco depois, o zagueiro Rhodolfo carregou a bola e chutou fraco, de longe, nas mãos de Rafael.

A resposta do Santos saiu aos 13 minutos, quando Cícero arriscou da meia-esquerda e mandou por cima do travessão. Na jogada seguinte, Neymar perdeu a bola para Denilson no meio-campo, e Osvaldo puxou contragolpe pela esquerda, até sofrer falta perto da área, na região em que Rogério Ceni tanto gosta. Porém, sem o goleiro, Luis Fabiano foi para a cobrança e mandou baixo, facilitando para Rafael.

Mesmo sem jogadas de perigo pelo lado alvinegro, os santistas festejaram logo depois, no momento em que Renê Júnior derrubou Ganso no meio-campo. O camisa 8 tricolor teve a chance de responder em campo, aos 17, quando bateu falta da meia-direita, mas carimbou a barreira.

Com Neymar muito bem marcado, o Santos precisou buscar alternativas para chegar à frente, ao mesmo tempo em que apostou em faltas para parar os contra-ataques. Assim, Miralles roubou a bola na intermediária e passou para Montillo, que carregou e bateu. A bola desviou e passou perto da trave.

Aos 20, os visitantes quase abriram o placar. Luis Fabiano recebeu na área, driblou Rafael e se desequilibrou na hora de chutar com o pé esquerdo, mandando para fora. O atacante ainda caiu no gramado, com as mãos na cabeça, sem acreditar na jogada que desperdiçou. Pouco depois, Ganso tentou mandar por cobertura sobre Rafael, que só acompanhou a saída pela linha de fundo.

No fim da etapa, o Peixe melhorou e passou a dar mais trabalho. Montillo lançou na área para Miralles, que apareceu livre nas costas de Cortez e tentou driblar Denis, mas o goleiro segurou. Do outro lado, Jadson pegou a bola pela direita, ignorou Ganso ao seu lado, partiu em diagonal e bateu, para defesa do goleiro.

Com marcação firme em Neymar durante praticamente toda a etapa, o São Paulo percebeu que não pode descuidar do atacante nem por um instante. Aos 38, Guilherme Santos cruzou da esquerda para o craque alvinegro, que dominou no meio da área já ajeitando para Miralles. O argentino, então, ficou livre para bater rasteiro, no canto, fora do alcance do goleiro Denis.

Porém, antes do apito para o intervalo, um lance polêmico esquentou o clássico na Vila Belmiro. Jadson bateu falta para a área e Luis Fabiano completou de cabeça para as redes, mas a assistente Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo assinalou impedimento duvidoso. O atacante reclamou bastante e ainda se irritou até mais na saída do gramado para o intervalo, com as moedas que os santistas jogaram nos visitantes.

Na volta para o segundo tempo, o Santos ampliou em mais uma jogada que gerou reclamação dos tricolores. Neymar partiu em velocidade de longe, em diagonal, e invadiu a área, caindo em disputa com Paulo Miranda. O árbitro Flávio Rodrigues Guerra marcou pênalti e foi bastante contestado pelos são-paulinos.

Sem se importar com a polêmica, Neymar correu para a bola e, ao ver Denis cair para a direita, chutou fraco no lado oposto para fazer o segundo gol. A partir daí, os dribles do principal jogador santista deixavam os visitantes ainda mais irritados. Para tentar mudar o ritmo, Ney Franco abriu sua equipe, tirando Paulo Miranda e Wellington para as entradas de Douglas e Cañete.

Em sua primeira jogada, o meia argentino arrancou e tocou para deixar Luis Fabiano de frente para o gol, mas Herman Brumel Vani marcou impedimento. Pouco depois, o atacante foi flagrado em posição irregular mais uma vez e se irritou, chutando a bola contra a placa de publicidade.

De qualquer forma, as alterações de Ney Franco deixaram o Tricolor mais perigoso. Jadson encarou a marcação pela direita e chutou cruzado, exigindo defesa de Rafael. Logo no lance posterior, Luis Fabiano recebeu, girou na área e finalizou, mas a bola desviou no meio do caminho.

Muricy Ramalho preferiu não mudar para tentar frear o adversário, que passou a dominar. Cañete saiu de frente para o gol e viu Rafael salvar os donos da casa. No entanto, aos 19, o São Paulo foi recompensado por sua insistência. Jadson bateu falta de longe e acertou o ângulo, estufando as redes de Denis, que nada pôde fazer.

Com Paulo Henrique Ganso apagado, sem aparecer para criar e nem esboçando condições de marcar, Cañete chamou a responsabilidade, mas a esperança durou pouco tempo. Aos 25, depois de cobrança de escanteio, Neymar mandou na cabeça de Miralles, que marcou seu segundo gol no jogo e mostrou por que ganhou a vaga de André.

O São Paulo se abalou em campo e, na tentativa de recuperar seu time, Ney Franco colocou Aloísio, aos 32 minutos. O escolhido para sair foi Paulo Henrique Ganso, xingado pelos santistas e ironizando, levantando os braços, como se estivesse agradecendo. O Tricolor não tinha mais forças para reagir, ouviu a torcida santista gritar ‘olé’ e ainda viu Montillo acertar a trave.


Vídeos: (3) Mascote santista finge que vai cumprimentar Ganso e aplica pegadinha.

Ganso toma ‘olé’ de torcedor santista antes do clássico

Meia do São Paulo foi alvo de diversas provocações na Vila Belmiro

Miralles, Neymar, Paulo Henrique Ganso. Todos foram personagens importantes do clássico entre Santos e São Paulo, no último domingo, na Vila Belmiro, pela quinta rodada do Paulistão. Mas antes de a bola rolar, um desconhecido roubou a cena. Com os cabelos pintados de verde e vestindo uniforme do Peixe, um garoto entrou em campo com o time alvinegro, em meio a outras crianças.

Antes de sair do gramado para que o árbitro pudesse dar início ao duelo, o menino foi ao encontro de Ganso. O que parecia ser apenas um contato de um jovem torcedor com seu ídolo se tornou mais uma das diversas provocações que tiveram como foco o jogador do São Paulo. O menino, após correr em direção a Ganso e chamar pelo atleta, estendeu a mão para cumprimentar o meia. Mas, para delírio alvinegro, ele tirou a mão e deixou o agora rival no “vácuo”.

Ganso, antes rindo da situação, ameaçou chutar a bola no menino em tom de brincadeira. Segundos depois, com o semblante mais sério, voltou a se concentrar em seu trabalho de aquecimento.

Apesar de ser a principal esperança do Tricolor, Ganso foi mais destaque fora de campo por toda expectativa criada sobre o reencontro do jogador com a torcida alvinegra.

Além da polêmica com o jovem santista, o camisa 8 do time do Morumbi foi alvo de chuva de moedas, vaias e foi até caracterizado em um boneco de ‘Judas’. Pelos objetos atirados no gramado, o Santos agora corre o risco de perder mando de campo no Campeonato Paulista.

Neymar cobra jantar de Ganso, mas se diz triste pela hostilidade da torcida

Atacante santista apostou jantar com ex-companheiro, mas lamentou as vaias ao meia do São Paulo

Antes de a bola rolar na Vila Belmiro, neste domingo, os compadres Neymar e Ganso apostaram um jantar que seria pago pelo perdedor na cidade do time vencedor. Alvo de hostilidades da torcida do Santos, que promoveu uma nova chuva de moedas e ainda criou cartazes e cantos contra o atual camisa 8 do São Paulo, Ganso terá que pagar pelo jantar na Baixada depois de lamentar a derrota por 3 a 1.

Após a partida, o camisa 11 do Santos comemorou a vitória que reconduziu o Peixe à liderança do Campeonato Paulista, mas condenou a postura hostil da torcida da casa, principalmente pela chance de perder mandos de campo: “Fico triste de ver isso porque não pode, e vai acabar prejudicando o nosso mando, o torcedor não quer ver a gente longe. Quem jogou moeda está errado”.

Neymar embarca com a delegação da Seleção Brasileira na madrugada deste domingo, ao lado de Arouca e do rival Luis Fabiano. Assim que retornar da Inglaterra, o principal jogador do Peixe espera que Ganso já possa pagar a dívida e cumprir com o combinado: “Agora vou sacanear ele, paga o jantar e vem aqui para Santos. Ainda não conversamos, mas é muito estranho jogar contra ele. Somos irmãos, é complicado”.

“O Santos está de parabéns, fez uma grande partida e eu acabei sendo premiado com um gol. Hoje nós temos jogadores de muita qualidade que poderiam jogar em qualquer outro clube. Não tem titular ou reserva, todos entram e fazem o melhor”, explicou o atacante que nunca foi derrotado pelo São Paulo na Vila Belmiro (são três vitórias e um empate em quatro partidas) e ainda reclamou da truculência de Paulo Miranda no pênalti marcado aos dois minutos do primeiro tempo: “Mais um pouco ele arrancava minha perna”.

Muricy assegura Miralles titular e quer Ganso versátil no São Paulo

“Queria ver o Miralles atuando o tempo todo e vi um jogador muito inteligente, que sabe se posicionar bem e se movimenta muito”, disse o treinador

Os dois gols marcados no clássico contra o São Paulo e a sequência de boas atuações de Miralles quando ainda aparecia no time reserva fizeram com que Muricy Ramalho mudasse de ideia quanto à formação do time do Santos. Neste domingo, após a vitória por 3 a 1 para cima do São Paulo, na Vila Belmiro, o treinador do Peixe garantiu que o argentino é o novo titular da equipe e André precisará esperar para voltar a ser o camisa 9.

“Queria ver o Miralles atuando o tempo todo e vi um jogador muito inteligente, que sabe se posicionar bem e se movimenta muito. Como temos bons passadores, isso é importante demais. Agora, ele é o titular. O André vai esperar”, decidiu Muricy, esboçando o time para quarta-feira com Miralles titular e André disputando vaga com Patito pela posição de Neymar, que estará com a Seleção Brasileira em Londres.

Miralles como titular do Santos era um pedido do torcedor desde o início da temporada, já que André aparentava má forma física e ainda não marcou em 2013. No amistoso contra o Grêmio-SP e nas quatro primeiras rodadas do Paulistão, o jogador campeão da Copa do Brasil de 2010 não balançou as redes nenhuma vez, enquanto o ex-gremista, trocado por Elano no ano passado, precisou cinco gols para confirmar sua condição de titular. “Não pode viver só de passe” – Além de confirmar Miralles como titular do Santos, Muricy Ramalho fez questão de comentar a atuação de Paulo Henrique Ganso, que retornou à Vila Belmiro com a camisa 8 do São Paulo e teve atuação discreta na derrota por 3 a 1. Aconselhando Ney Franco, o treinador do Peixe pediu mais sequência ao ex-comandado.

“Ele precisa de uma sequência, tem que jogar para ele ter mais dinâmica de jogo. Acho que ele está se adaptando, o grande problema é que o São Paulo começou disputando competições duríssimas”, opinou Muricy, antes de recomendar versatilidade a Ganso: “Tem uma coisa que eu insistia com ele, de entrar na área e fazer gol, o que ele não gosta. Ele tem que entender que precisa disso, não pode viver só de passe, tem que infiltrar”.

Novo titular, Miralles vê ‘bom caminho’ após tarde de heroi na Vila

Argentino ganhou vaga de André e marcou dois gols no clássico contra o São Paulo

Depois de quatro partidas na reserva do contestado André, Miralles finalmente começou jogando neste domingo, no clássico contra o São Paulo. Vestindo a 9, o argentino teve sua melhor exibição com a camisa do Santos e marcou duas vezes na vitória por 3 a 1 para cima do Tricolor – Neymar completou o placar para o Peixe e Jadson descontou de falta para os visitantes.

Satisfeito pela chance recebida como titular, o ex-jogador do Grêmio garante não ter lamentado a condição de reserva nas primeiras rodadas do Campeonato Paulista. A concorrência com André, na visão de Miralles, é saudável para que o técnico Muricy Ramalho tenha opções para escalar o time do Santos. Orgulhoso, o novo camisa 9 projeta uma sequência na posição.

“Estou feliz pela vitória e pelo gol, porque estamos em um bom caminho e a torcida está feliz. Hoje deu certo, mas fico feliz porque era um clássico, e sabíamos que seria difícil. O Santos se superou”, elogiou Miralles, antes de completar: “Precisamos de elenco, esse ano estamos mais fortes e no próximo jogo qualquer um que tenha que jogar vai dar a vida para continuar na ponta da tabela”.

Após trocar de camisa com o zagueiro Lúcio, do São Paulo, Miralles comentou sua passagem pelo futebol gaúcho, antes de ser envolvido em troca pelo santista Elano: “No Grêmio fizeram de tudo para tentar que eu fosse embora, tenho orgulho de que a primeira proposta que apareceu foi do Santos. Hoje, passo por um bom momento e quero continuar crescendo. Estou me sentindo bem, porque ano passado estava mal fisicamente. Eu tento fazer o melhor”.

Acreditando que está “ajudando muito” o Santos por conta dos quatro gols marcados no Paulistão, Miralles foi confirmado por Muricy como titular na próxima quarta-feira, contra o Linense. Segundo o comandante do Santos, André “vai ter que esperar um pouco” para ter novas chances.

Bastidores – Santos TV: