Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 2 Mogi Mirim

Data: 28/03/2013, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.454 pagantes
Renda: R$ 176.690,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima
Auxiliares: Alberto Poletto Masseira e Maria Núbia Ferreira Leite.
Cartões amarelos: Henrique, Tiago Alves e Roniery (MM).
Gols: Cícero (42-1); Henrique (04-2), Giva (22-2) e Wagninho (34-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo (Guilherme Santos); Renê Júnior, Arouca, Cícero e Montillo; Giva e Neymar.
Técnico: Muricy Ramalho

MOGI MIRIM
Daniel; Roniery, Tiago Alves, Lucas Fonseca e João Paulo; Magal, Val, Roni (Wagninho) e Roger Gaúcho (Juninho); Wagner (Carlos Alberto) e Henrique.
Técnico: Dado Cavalcanti



Santos fica duas vezes na frente, mas cede empate para o Mogi

O time praiano segue na terceira posição, agora com 29 pontos. Um lugar abaixo na tabela de classificação, o Sapão soma 27 pontos ganhos

Mesmo após ficar duas vezes na frente no placar, o Santos cedeu o empate em duas ocasiões e não saiu do 2 a 2 com o Mogi Mirim, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro. Cícero e Giva marcaram para o Santos, só que Henrique e Wagninho deixaram tudo igual para o Mogi, que manteve o bom momento no Campeonato Paulista.

O resultado manteve os santistas e o Mogi nas mesmas colocações. O time praiano segue na terceira posição, agora com 29 pontos. Um lugar abaixo na tabela de classificação, o Mogi soma 27 pontos ganhos.

Na próxima rodada, os alvinegros vão até Bauru, onde enfrentam o Oeste de Itápolis, no domingo, a partir das 18h30 (horário de Brasília), no Estádio Alfredo de Castilho. No mesmo dia e horário, o Mogi Mirim visita o São Caetano, no Anacleto Campanella.

O jogo

O Santos começou a partida pressionando e chegou com perigo ao gol adversário, logo aos quatro minutos. Arouca iniciou a jogada, Giva tentou o arremate e foi bloqueado, com a bola voltando para o volante, que dentro da grande área, bateu de perna esquerda para boa defesa de Daniel.

Bem armado em campo, o Mogi Mirim conseguiu amenizar a pressão santista e, também, ameaçou o gol de Rafael. Aos 21, Val arriscou um chute forte, de fora da área, com a bola passando próxima a meta defendida pelo camisa 1 do Santos.

Dois minutos depois, os alvinegros voltaram a criar uma boa chance. Neymar encontrou Léo, dentro da área, mas o experiente lateral-esquerdo, após fintar o seu marcador, pegou fraco na bola, de pé direito, facilitando a defesa do arqueiro do Mogi.

Antes do intervalo, o Santos conseguiu furar o forte sistema defensivo do Mogi e abriu o placar. Aos 42, Arouca cruzou pela direita para Neymar, mesmo pressionado pela zaga, ajeitar para Cícero, que entrava na grande área e emendou de perna esquerda, superando Daniel: 1 a 0 para o Peixe.

Na volta para a etapa complementar, os santistas foram surpreendidos pelo Mogi Mirim. Aos quatro, João Paulo cobrou falta pela direita, Lucas Fonseca desviou a bola e Henrique completou para as redes, sem chance de defesa para Rafael, empatando o jogo para os visitantes.

Com o gol de empate do Sapão, o time praiano voltou a carga e retomou a pressão. Aos 12, Bruno Peres cruzou da direita, Neymar tentou dominar, Lucas Fonseca afastou parcialmente e a bola sobrou para Montillo finalizar. O chute foi desviado pela zaga do Mogi, exigindo boa defesa de Daniel, que mandou a bola para escanteio e salvou a sua equipe de sofrer o segundo gol na Vila.

Os visitantes responderam, aos 20, quando Wagner cobrou escanteio fechado e Rafael se deslocou para conseguir o desvio. Os alvinegros quase levaram um gol olímpico. No minuto seguinte, Wagner foi substituído por Carlos Alberto.

No entanto, o Santos não deixou o Mogi Mirim crescer na partida e tratou de passar a frente no marcador novamente. Aos 22, Cícero deixou o jovem Giva livre, para tocar na saída de Daniel e anotar o segundo do Peixe no confronto. Dois minutos após o gol, o técnico Muricy Ramalho foi obrigado a sacar Léo, que com dores no tornozelo, deu lugar a Guilherme Santos.

Os santistas quase ampliaram a vantagem em cobrança de falta de Neymar, aos 30. Com categoria, a Joia deslocou a bola de Daniel, mas o seu chute acertou o travessão, em grande oportunidade da sua equipe para chegar ao terceiro gol no duelo.

Em desvantagem, o Mogi viu o técnico Dado Cavalcanti trocar Roni por Wagninho, aos 33. Um minuto mais tarde, Wagninho recebeu pela ponta direita, dentro da grande área, e soltou a bomba, vencendo Rafael e igualando mais uma vez o placar: 2 a 2.

Nos minutos finais, com o empate, o treinador do Mogi Mirim sacou o meia Roger Gaúcho, colocando o volante Juninho para reforçar a marcação no setor de meio-campo. Aos 43, o Alvinegro Praiano quase chegou à vitória, com Neymar. Após cruzamento de Giva, o craque do Santos dominou no peito e tentou uma bicicleta. Roniery travou o arremate e evitou o que poderia ser o gol da vitória do Santos.

Bastidores – Santos TV:

Neymar tenta se esquivar, mas admite tristeza com vaias da torcida

Na volta da seleção, atacante segue em jejum de gols e não consegue ajudar o Santos a bater o Mogi Mirim

O atacante Neymar não conseguiu impedir que o Santos empatasse com o Mogi Mirim, por 2 a 2, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro. O resultado deixou a torcida insatisfeita e a equipe foi vaiada ao deixar o gramado. Indagado com a reação dos torcedores, a joia santista tentou desconversar sobre o episódio.

“Eu não ligo muito, não. Xingam hoje, amanhã ficam felizes. Futebol é assim, a cobrança é muito grande”, disse Neymar, que com a insistência no assunto, revelou não ter ficado feliz com a postura da torcida.

“A gente fica triste. Claro que ser vaiado e criticado a gente não gosta, por tudo que eu fiz no clube, ainda mais eu que fiz muito por esse clube. Eu gosto de ganhar. Claro (que fico triste pela vaia), são torcedores que eu gosto e um clube que eu amo muito”, comentou.

O camisa 11 alvinegro ainda aproveitou a oportunidade para sair em defesa do futebol apresentado pela equipe praiana, mesmo após o tropeço com o Sapão. “O time é muito bom, é uma grande equipe. Acabamos empatando hoje. Não sei o que não deu certo. Vamos treinar e organizar o time para vencer na próxima”, encerrou.

Muricy sinaliza o Santos ideal com Giva no ataque: “Achei o parceiro do Neymar”

“Agora não tem dúvida. Ele entrou na equipe, está se achando no campo, faz gol, e não tenta inventar nada”, disse o treinador sobre o jovem atleta

Após empatar com o Mogi Mirim na noite de quinta-feira, na Vila Belmiro, em confronto válido pela 15ª rodada do Campeonato Paulista, o técnico Muricy Ramalho pareceu ter encontrado mais pontos positivos do que negativos no Santos. Com muitos elogios para Giva, recém-promovido ao elenco principal santista, o treinador acredita que o jovem atacante é a peça que faltava na formação titular do Peixe.

“Esse time está jogando junto há algumas rodadas, os zagueiros são os mesmos, e a dúvida era o atacante. Estava faltando só o parceiro do Neymar, e o Giva ganhou a posição. Agora não tem dúvida. Ele entrou na equipe, está se achando no campo, faz gol, e não tenta inventar nada. Achei o parceiro do Neymar”, afirmou Muricy.

Indagado se os alvinegros não perderiam o chamado jogador de referência na área com a escalação de Giva, que é um segundo atacante de origem e atua mais pelos lados do campo, o comandante não se abalou.

Para Muricy Ramalho, o Santos pode jogar tanto com um centroavante quanto com dois avantes de velocidade, que aparecem na área para concluir as jogadas criadas pelo time, casos de Neymar e do próprio Giva, autor do segundo gol da equipe praiana contra o Sapão.

“Volto a repetir: às vezes o cara é fixo e fica no meio de dois zagueiros. Se a gente tivesse feito essa opção contra o Mogi, o cara não jogaria, praticamente. O Giva é difícil de marcar, pois ele não fica em um lugar fixo. O Giva confunde um pouco a defesa adversária, mais do que o atacante fixo. Existem vezes em que funciona. Como o Giva está bem, fazendo gol, continua assim”, concluiu.