Joinville 0 x 1 Santos

Data: 08/05/2013, quarta-feira, 22h00.
Competição: Copa do Brasil – 2ª fase – Jogo de ida
Local: Arena Joinville, em Joinville, SC.
Público e renda: N/D
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: João Monteiro de Souza Júnior e Jorge Eduardo Bernardi (ambos do RS).
Cartões amarelos: Matheus Carvalho, Marcelo Costa, Rafael e Carlos Alberto (J); Renê Júnior e Marcos Assunção (S).
Gol: Durval (37-2).

JOINVILLE
Ivan; Carlos Alberto, Sandro, Rafael e Rafinha; Marcus Vinícius, Augusto Recife, Ricardinho (Martín Liguera) e Marcelo Costa; Matheus Carvalho (Somália) e Lima (Ronaldo).
Técnico: Arturzinho

SANTOS
Rafael; Neto, Edu Dracena e Durval; Felipe Anderson, Renê Júnior (Marcos Assunção), Arouca, Cícero e Emerson Palmieri; Miralles (André) e Neymar.
Técnico: Muricy Ramalho



Santos derrota Joinville com gol de Durval, mas não evita segunda partida

Zagueiro marca gol da vitória santista por 1 a 0, em duelo pela segunda fase da Copa do Brasil. Segundo confronto será no dia 22

Embalado pela classificação para a final do Campeonato Paulista, o Santos conquistou uma importante vitória pela Copa do Brasil. Nesta terça-feira, bateu o Joinville por 1 a 0 na Arena Joinville, em jogo válido pela segunda fase da competição nacional. O zagueiro Durval marcou o gol da vitória santista.

O resultado não elimina o segundo confronto. Agora, os dois times voltam a se enfrentar no próximo dia 22, na Vila Belmiro. Antes disso, o Santos decide o Estadual, em dois confrontos com o Corinthians – no próximo domingo, no Pacaembu, e no dia 19, na Vila.

O jogo

Empurrado pela sua torcida, o Joinville começou melhor e ameaçou o gol de Rafael, logo aos três minutos. Rafinha fez o cruzamento na área, Lima dividiu com Durval e a bola ficou com Carlos Alberto. O lateral emendou um chute forte, mas o goleiro do Santos estava atento, espalmando a bola e salvando a sua equipe do perigo.

O Santos respondeu, aos 16, em jogada de Cícero. O meia santista arriscou de fora da área, a bola caiu próxima ao gol e pingou, exigindo boa defesa de Ivan. No rebote do arqueiro do JEC, o lateral-esquerdo alvinegro, Emerson Palmieri, fez falta e o lance acabou sendo interrompido pela arbitragem.

O time paulista aproveitou o melhor momento e voltou a assustar o goleiro Ivan, aos 28, quando o meia Felipe Anderson passou pelo zagueiro Rafael e soltou a bomba, que saiu pela linha de fundo, balançando a rede pelo lado de fora.

Com o Santos pressionando, os catarinenses voltaram a se aventurar no campo de ataque e levaram perigo ao gol defendido por Rafael. Aos 31, Marcus Vinícius arriscou de longe e a bola passou perto do ângulo da meta do camisa 1 do Peixe.

O volante Renê Júnior, com cartão amarelo, foi sacado antes do intervalo, para a entrada do experiente Marcos Assunção.

Mas, antes do fim do primeiro tempo, os santistas criaram a última chance de gol. Aos 41, Cícero tocou para Miralles, que dentro da área, conseguiu o arremate, mas a bola desviou na zaga do Joinville e saiu pela linha de fundo, em escanteio. Neymar, que acompanhava a jogada, não conseguiu chegar a tempo de completar para o gol.

Na volta para a etapa complementar, o JEC criou uma boa oportunidade para abrir o placar. Aos cinco, Lima aproveitou cobrança de falta pelo lado direito, subiu mais alto do que a zaga santista, mas viu Rafael fazer grande defesa e evitar o gol catarinense.

Aos 17, com o uruguaio Martín Liguera já em campo, na vaga de Ricardinho, o Joinville teve a melhor chance de gol da partida, até então. Lima cruzou pela esquerda, a bola passou por toda a grande área e sobrou para Carlos Alberto. O lateral desviou a bola para dentro, só que Martín Liguera errou a finalização, desperdiçando a oportunidade de marcar para os donos da casa.

O JEC teve mais uma boa chance para marcar, aos 36, com Ronaldo, que havia entrado no lugar de Lima. Depois de bate-rebate, o goleiro santista faz grande defesa no arremate do atacante, impedindo o gol do adversário.

No minuto seguinte, os alvinegros foram mais felizes e abriram o placar. Marcos Assunção cobrou falta para a área, Durval desviou de cabeça e abriu o placar para a equipe praiana.

Nos minutos finais, o Santos ainda tentou chegar ao segundo gol, que eliminaria o duelo de volta contra o Joinville, mas o placar se manteve no 1 a 0 a favor do Peixe, até o último apito do árbitro.

Bastidores – Santos TV:

Muricy justifica saída de Renê Jr. e defende Santos “competitivo”

Técnico destaca que o fato de Renê estar pendurado, por ter recebido o cartão amarelo na etapa inicial, contribuiu para a decisão de sacá-lo durante a partida

Titular do Santos , o volante Renê Júnior foi substituído nos minutos finais do primeiro tempo, para a entrada do experiente Marcos Assunção, na vitória sobre o Joinville, na noite desta quarta-feira, na Arena Joinville. O técnico Muricy Ramalho destacou que o fato de Renê estar pendurado, por ter recebido o cartão amarelo na etapa inicial, contribuiu para a decisão de sacá-lo durante a partida.

“O Renê tomou o cartão amarelo e, pelo fato de o jogo estar muito ‘pegado’, seguramente ele seria expulso. Ele tem que ter calma em algumas jogadas. Não é a primeira vez que isso acontece, ele está fazendo algumas faltas no meio, sem necessidade. Ele joga muito bem, não precisa dessas faltas”, afirmou Muricy.

Com Assunção no time, a equipe praiana perdeu um pouco em poder de marcação, mas ganhou uma arma importante: a bola parada. E foi em uma jogada deste gênero que, aos 37 minutos do segundo tempo, o zagueiro Durval aproveitou cruzamento do veterano meio-campista para, com um toque de cabeça, decretar o triunfo alvinegro sobre o JEC, pela segunda fase da Copa do Brasil.

“O Renê Júnior saiu ‘amarelado’ e o Marcos Assunção, pela qualidade dele na bola parada, nos ajudou bastante. Temos que aproveitar esse tipo de jogada e hoje (quarta) aconteceu”, comentou o treinador.

Muricy Ramalho ainda se irritou com um repórter, ao ser indagado se o Santos não precisaria evoluir, para as finais do Campeonato Paulista.

Vale lembrar que o Peixe enfrenta o Corinthians, no próximo domingo, no Pacaembu, na partida de ida da decisão do Estadual. O segundo e decisivo confronto será no dia 19, na Vila Belmiro.

“Os dois tiveram chances. Criamos no primeiro tempo, mas futebol é assim. O time foi competente na hora certa e ganhou. Mas você (jornalista) vai sempre pensar assim. Podemos ganhar de 5 a 0, que vai falar a mesma coisa. Somos um time competitivo e continuaremos sendo assim”, finalizou o comandante santista.

Muricy reconhece dificuldades do Santos em meio às finais do Paulistão

Segundo o treinador, não é uma tarefa simples “trocar o chip” do campeonato estadual para jogar a Copa do Brasil

Com um gol aos 37 minutos do segundo tempo, do zagueiro Durval, o Santos derrotou o Joinville, na noite desta quarta-feira, na Arena Joinville. O técnico Muricy Ramalho reconheceu as dificuldades enfrentadas pela sua equipe, diante do JEC, no confronto de ida da segunda fase da Copa do Brasil, e valorizou o fato de o Peixe estar dividido entre a competição nacional e a decisão do Campeonato Paulista.

Segundo o treinador, não é uma tarefa simples “trocar o chip” do Paulistão, no qual o time praiano tem a possibilidade de conquistar o tetracampeonato estadual, para jogar contra os catarinenses, que são fortes atuando dentro de casa, com o apoio da torcida.

“A gente está vindo de decisões seguidas, no mata-mata do Paulista, que é duríssimo. Não é fácil desligar um botão e ligar o outro. Não é assim que funciona. Nós esperávamos um jogo corrido, pois o Joinville só tem essa competição. Felizmente, o nosso time foi competitivo, mais uma vez, e ganhou”, disse Muricy, que por outro lado, garantiu que os santistas estarão inteiros para enfrentar o Corinthians.