Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 1 x 0 Atlético-MG

Data: 12/06/2013, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 5ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.178 pagantes
Renda: R$ 120.385,00
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS).
Auxiliares: Fábio Pereira (TO) e José Javel Silveira (RS).
Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Cícero e Léo Cittadini (S); Rafael Marques e Guilherme (A).
Cartão vermelho: Marcos Rocha (A).
Gol: Cícero (04-1).

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo (Renê Júnior), Gustavo Henrique, Durval e Léo (Marcos Assunção); Arouca, Leandrinho, Cícero e Pedro Castro (Léo Cittadini); Neílton e Willian José.
Técnico: Claudinei Oliveira (interino)

ATLÉTICO-MG
Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Rafael Marques e Richarlyson; Pierre (Josué), Leandro Donizete, Michel (Neto Berola) e Ronaldinho Gaúcho; Luan e Alecsandro (Guilherme).
Técnico: Cuca



Santos bate Atlético-MG, vence a primeira e deixa zona de rebaixamento

Cícero marca no início do jogo o gol da vitória por 1 a 0 que faz a equipe da Vila Belmiro subir para cinco pontos

Com um gol de Cícero nos primeiros minutos de jogo, o Santos fez a lição de casa e alcançou a sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro. Dentro da Vila Belmiro, o time paulista derrotou o Atlético-MG por 1 a 0 na noite desta quarta-feira.

O resultado fez o Santos deixar a lanterna, pulando para fora da zona de rebaixamento, ocupando agora a 15ª posição, com cinco pontos. Já o Atlético-MG, fica estacionado nos quatro pontos e volta para o grupo dos quatro piores da competição.

Após esta vitória santista, as duas equipes só voltam a jogar em julho, por conta da paralisação do Brasileirão para a disputa da Copa das Confederações. No próximo dia 6, os mineiros recebem o Criciúma, no Estádio Independência. No dia seguinte, o Santos faz o clássico com o São Paulo, no Morumbi.

O jogo

O Santos começou a partida pressionando e, logo nos primeiros minutos, conseguiu abrir o placar. Aos quatro, após boa trama do ataque do Peixe, a bola foi tocada para Cícero soltar a bomba, de perna esquerda, balançando as redes do goleiro Victor: 1 a 0 para a equipe praiana.

Os santistas quase ampliaram a vantagem aos 12, quando o atacante Willian José resolveu arriscar de fora da área e quase surpreendeu o goleiro atleticano, mas a bola passou rente ao travessão do Galo.

Aos 22, Rafael Galhardo cruzou, a bola sofreu um leve desvio, pingou na frente de Victor, que fez grande defesa. No rebote, Neílton, que tinha pouco ângulo para o chute, mandou a bola na rede, pelo lado de fora.

Três minutos depois, Arouca roubou a bola e acionou Leandrinho, que chutou forte, exigindo mais uma boa intervenção de Victor, evitando o segundo tento dos donos da casa.

Após essa chance de Leandrinho, o ritmo do jogo diminuiu e as oportunidades de gol se tornaram mais raras.

Vale lembrar ainda que, antes do intervalo, o volante Pierre sentiu uma lesão e deixou o gramado. Aos 37, Josué entrou em seu lugar, na primeira substituição do Atlético-MG no duelo.

Para a etapa complementar, o técnico Cuca fez outra modificação, sacando Michel para a entrada de Neto Berola, com o Galo passando a atuar com três atacantes.

Com pouco espaço, a primeira boa oportunidade de gol do segundo tempo foi do visitantes. Aos 18, Leandro Donizete arriscou de longa distância, mas o seu arremate passou ao lado da trave direita de Rafael.

Já o Santos, que teve a entrada do volante Renê Júnior no lugar do lateral-direito Rafael Galhardo, respondeu aos 20, com Cícero cobrando uma falta pela direita, de perna esquerda, e exigindo uma boa defesa de Victor.

O treinador interino santista, Claudinei Oliveira, ainda trocou Pedro Castro, contundido, para a entrada de Léo Cittadini, e o lateral-esquerdo Léo pelo volante Marcos Assunção, visando os minutos finais do confronto. Do outro lado, Alecsandro deixou o jogo, com Guilherme sendo o seu substituto.

Cittadini, aliás, foi responsável pela expulsão do lateral Marcos Rocha, aos 34. O jogador atleticano interrompeu o contra-ataque dos donos da casa e recebeu o cartão vermelho.

Nos minutos finais, o Peixe conseguiu administrar o resultado, com um homem a mais em campo, até o apito final do árbitro, confirmando a sua primeira vitória na competição nacional.

Bastidores – Santos TV:

Léo pede permanência de Claudinei; Interino agradece e elogia Bielsa

Veterano do Santos, lateral-esquerdo defende continuidade do trabalho do treinador vindo das categorias de base

Após a vitória do Santos sobre o Atlético-MG, por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, o lateral-esquerdo Léo saiu em defesa do trabalho do técnico interino, Claudinei Oliveira. Para o camisa 3 do Peixe, o treinador, que estava nos Juniores (sub-20) do clube, tem condições de ser efetivado no cargo, principalmente pelo fato de ter dado mais chance aos talentos oriundos da base, no time principal.

“Tem que dar tempo para o Claudinei, ele conhece os meninos. Com o pouco tempo de trabalho que tivemos com ele, o Claudinei está mostrando que é um grande treinador. A meninada está jogando muito bem, marcando, indo para o jogo. Acho que todos estão jogando bem, de maneira geral”, disse Léo, na saída do gramado da Vila.

Indagado sobre as declarações do veterano ala santista, Claudinei se mostrou lisonjeado com as palavras de Léo, mas deu a entender que esta deve ter sido a sua última partida no comando da equipe praiana.

“Fico feliz pelas palavras do Léo e agradeço. Mas acho que qualquer decisão estava tomada antes de hoje (quarta). Não creio que dependia deste resultado (contra o Galo) a minha permanência. Não acho que se eu ganhasse ia permanecer. Por isso, procurei trabalhar tranquilamente, independentemente do que vai acontecer daqui em diante”, comentou.

Apesar disso, Claudinei Oliveira fez elogios ao trabalho de Marcelo Bielsa, técnico argentino e principal candidato a ocupar o posto, vago desde a demissão de Muricy Ramalho. ‘El Loco’, como é conhecido no meio do futebol, deve desembarcar nos próximos dias no Brasil, para definir se irá ou não aceitar a proposta do Santos.

Claudinei ainda destacou não acreditar que Bielsa poderia adiar a sua transferência para janeiro de 2014, hipótese que também circula nos bastidores do Peixe. “Se vier o Bielsa, não acho que vai ser em janeiro. Creio que ele vai querer assumir prontamente, pois sempre foi um profissional que encarou desafios, vencedor por onde passou. Tenho certeza que quando ele conhecer a estrutura (do Santos) vai ficar encantando e querer começar a trabalhar no dia seguinte”, encerrou.

Após primeira vitória, Santos não vê necessidade de mudanças drásticas

Técnico interino, Claudinei Oliveira aposta no sucesso dos jogadores da base entre os profissionais e tem sua efetivação defendida pelo experiente Léo

Depois de quatro partidas, o Santos finalmente venceu no Brasileirão. Nesta quarta-feira, bateu o Atlético-MG na Vila Belmiro pelo placar de 1 a 0 , graças ao gol de Cícero logo nos minutos iniciais. A primeira vitória na competição parece ter dado uma injeção de confiança ao elenco e à comissão técnica, que não veem necessidade de mudanças drásticas no clube para a sequência da temporada, após a venda de Neymar e a demissão do técnico Muricy Ramalho.

Técnico do time do Santos campeão da Copa São Paulo de Juniores neste ano, Claudinei Oliveira exerce o cargo de comandante do time principal de forma interina desde a saída de Muricy. Por ter trabalhado com os jovens jogadores e conhecê-los bem, o treinador os defende e acredita que as promessas têm condição de se firmar entre os profissionais e conquistar a torcida.

A confiança é tanta que Claudinei não vê necessidade da diretoria ir atrás de muitos reforços durante a pausa no Brasileirão. “O nosso grupo é bom, não é ruim. O Santos não precisa de tanta gente assim. A equipe precisa apenas de contratações pontuais”, ponderou.

Com relação ao talento dos jovens atletas, Claudinei não demonstra ter a menor dúvida. “Nosso time sub 20 era fantástico. Se essa equipe disputar 20 jogos, vai empatar um, perder um e ganhar o resto. Mas é sub 20. Não dá para apostar em todos de uma vez, como foi em 2002, que era uma geração fantástica e que teve muito tempo para ficar treinando. Foram quase três meses com o (Emerson) Leão trabalhando aquele pessoal. Acho que o Santos pode, paulatinamente, lançar esses atletas. Capacidade eles têm, mas depende apenas do momento certo de colocá-los na equipe.”

Se Claudinei demonstra confiança na capacidade das promessas, o mesmo acontece com o próprio treinador em relação ao restante do elenco. Um dos jogadores mais experientes do Santos, o lateral-esquerdo Léo aprova o rendimento do comandante e defende que o interino seja efetivado no cargo.

“Tem que dar tempo para o Claudinei, ele conhece os meninos”, disse Léo. “Com o pouco tempo de trabalho que tivemos com ele, o Claudinei está mostrando que é um grande treinador. A meninada está jogando muito bem, marcando, indo para o jogo. Acho que todos estão jogando bem, de maneira geral”, disse Léo.