Santos 1 x 0 São Paulo

Data: 03/10/2001, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 16ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e Renda: N/D
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP).
Cartões amarelos: Viola (S); Alexandre, Reginaldo Araújo e Luis Fabiano (SP).
Cartões vermelhos: Robert (S) e Wilson (SP).
Gol: Viola (14-1, de pênalti).

SANTOS
Fábio Costa; Russo, Preto, Cléber e Léo (Valdir); Paulo Almeida, Marcelo Silva (Orestes), Elano (Renato) e Robert; Marcelinho Carioca e Viola.
Técnico: Cabralzinho

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Reginaldo Araújo, Reginaldo, Wilson e Gustavo Nery; Alexandre (Reinaldo), Douglas, Fàbio Simplício (Jean) e Julio Baptista; Kaká (Maurício) e Luis Fabiano.
Técnico: Nelsinho Baptista



Santos vence e São Paulo continua em jejum de gols

Time de Cabralzinho faz 1 a 0 na Vila Belmiro, gol de Viola, de pênalti

O São Paulo não conseguiu passar pela defesa menos vazada do Brasileiro nem acabou com o jejum de seu ataque e perdeu o clássico para o Santos por 1 a 0, ontem, na Vila Belmiro. A equipe do Morumbi não vence e não marca gols há três jogos, dois pelo Campeonato Brasileiro e um pela Copa Mercosul.

Os santistas chegaram aos 25 pontos no Nacional e ocupam o sexto lugar. Os são-paulinos permanecem com 24, em oitavo, com o mesmo número de pontos de Paraná, Inter e Ponte Preta.

Com quatro jogadores de características ofensivas -Elano, Robert, Marcelinho e Viola-, o Santos foi ao ataque no início do jogo.

Os são-paulinos entraram em campo com os volantes Alexandre, Douglas e Fábio Simplício. Essa foi a formação mais defensiva usada pelo técnico Nelsinho Baptista desde que assumiu o clube do Morumbi.

A estratégia do Santos era explorar as jogadas pelas laterais, com cruzamentos para Viola.

Aos 13min, o atacante Luis Fabiano, que marcava Viola dentro da área, segurou o adversário. O juiz Cleber Wellington Abade marcou pênalti, contestado pelo time da capital. Viola cobrou bem, no canto esquerdo de Rogério, aos 14min, e abriu o placar.

No lance do pênalti, Luis Fabiano recebeu o seu décimo cartão amarelo no Brasileiro. Ontem, ele voltou após cumprir suspensão pela terceira vez na competição. A diretoria do São Paulo chegou a multar o atacante depois de ele ter sido punido pela sexta vez. Depois de ser multado, Luis Fabiano foi advertido em todos os jogos que fez, mas foi perdoado pelos dirigentes e pelo treinador.

O gol de Viola não tirou a tranquilidade dos são-paulinos. Com Júlio Baptista avançando pela direita, o São Paulo equilibrou o jogo. Ele e Kaká se revezaram no ataque para suprir a ausência de França, na seleção brasileira. Por causa do desfalque, Luis Fabiano procurou se movimentar mais fora da área, como França costuma fazer. Com isso, faltou ao São Paulo um atacante para finalizar as jogadas.

Mesmo sem recuar, o time de Nelsinho evitou dar espaço para o adversário contra-atacar.

Como havia acontecido no primeiro tempo, o Santos começou a etapa final no ataque. Dessa vez, os santistas foram mais rápidos e objetivos.

A equipe da casa só não ampliou a vantagem no começo por causa dos erros nas finalizações e das defesas de Rogério.

Pressionado, o São Paulo tentou reagir nos contra-ataques, mas errou muito nos passes.

Atletas dos dois times demonstraram nervosismo, e o jogo começou a ficar violento, com desentendimentos entre os atletas. Aos 17min, Wilson e Gustavo Nery brigaram com Robert. O juiz expulsou Wilson e Robert. “Não entendi. Me bateram, fui pisado e acabei sendo expulso”, afirmou o jogador santista.

Para compensar a saída de Wilson, Nelsinho tirou Fábio Simplício e colocou o zagueiro Jean. Ele também deu oportunidade ao júnior Maurício, no lugar de Kaká.

Sem Robert, o Santos passou a ter dificuldade na armação. O São Paulo conseguiu ter a bola por mais tempo e criou chances para empatar a partida.

Ainda com problemas para entrar na área adversária, os são-paulinos arriscaram chutes de longe, a maioria sem pontaria. No final, o Santos também desperdiçou oportunidades.

Hoje, a diretoria do São Paulo espera a chegada do atacante Dill, que estava no Servette (Suíça). Ele fará exames médicos e assinará contrato com o clube.

Clássico leva público recorde à Vila Belmiro

O clássico entre Santos e São Paulo levou um público recorde à Vila Belmiro neste Campeonato Brasileiro.

Os cerca de 19 mil ingressos para a partida colocados à venda se esgotaram no final da manhã de ontem.

O público na Vila foi superior ao de Corinthians e Palmeiras -17.205 pessoas-, que jogaram ontem às 15h.

À tarde, quando as bilheterias do estádio santista já estavam fechadas, os cambistas agiam livremente nas imediações da Vila Belmiro. Um bilhete de arquibancada, antes encontrado nos postos de venda por R$ 10, era vendido pelo dobro do preço -R$ 20.

Os policiais militares, preocupados com um possível confronto entre os torcedores, não intervieram contra os vendedores clandestinos. Segundo a PM, a chegada das torcidas à Vila foi tranquila.



Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/2001/10/04/20//5435277