Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 2 Coritiba

Data: 21/07/2013, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 9.577 pagantes
Renda: R$ 273.395,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison e José Eduardo Calza (ambos do RS).
Cartões amarelos: Leandro Almeida (C).
Gols: Neílton (20-1) e Alex (41-1); Cícero (19-2) e Alex (42-2).

SANTOS
Aranha; Rafael Galhardo (Pedro Castro), Edu Dracena, Durval e Léo; Alan Santos, Cícero, Leandrinho (Cicinho) e Montillo; Neílton e Willian José (Giva).
Técnico: Claudinei Oliveira

CORITIBA
Vanderlei; Victor Ferraz, Leandro Almeida, Chico e Iberbia; Junior Urso, Robinho, Alex e Botinelli (Keirrison); Geraldo (Everton Costa) e Deivid.
Técnico: Marquinhos Santos



Alex faz a diferença e arranca empate para o Coritiba diante do Santos

Jogando em casa, paulistas ficaram na frente duas vezes, mas com dois gols do meia, o Coritiba conseguiu um ponto e divide a liderança com o Botafogo

Em uma partida muito movimentada na Vila Belmiro, o Santos perdeu um caminhão de oportunidades e não passou de um empate em 2 a 2 diante do Coritiba, que tinha em seu lado Alex, que buscou o ponto para manter a invencibilidade do time no Campeonato Brasileiro 2013. Enquanto a equipe paulista chega aos 12 pontos, ainda próximo do G-4 da competição, o Coxa, com 16 pontos, fica com a vice-liderança.

Depois de muito equilíbrio nos primeiros minutos, o Peixe abriu o placar aos 20 minutos da primeira etapa, com Neílton, que entrou na área com liberdade, recebeu na medida e empurrou para o fundo das redes. O empate veio com Alex, aos 41 minutos, tocando por cima de Aranha para marcar. Depois do intervalo, Cícero, aos 19 minutos, fez o segundo. Mas Alex, aos 42 minutos, apareceu para igualar.

Na próxima rodada, o Santos vai a Campinas, onde no sábado encara a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli. Já o Coritiba terá pela frente o Vitória, domingo, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba.

O jogo

A partida começou brigada na Vila, com as duas equipes buscando o ataque e enfrentado forte marcação. Aos dois minutos, Cícero cobrou falta venenosa e Vanderlei espalmou para salvar. O Coxa respondeu com Júnior Urso, que arriscou de fora da área, mas sem força, fácil para Aranha. A equipe alviverde errava muitos passes no meio-campo, proporcionando alguns contra-ataques ao Peixe.

Lancei incrível aos 11 minutos. Robinho deixou para Alex, que invadiu a área e acertou a trave. No rebote, Deivid, de frente para o gol, mandou pela linha de fundo. O Coritiba subiu de produção e tinha maior posse de bola no ataque. Pelo lado do Santos, sem conseguir entrar na defesa coxa-branca, Montillo arriscou um petardo, de longe, e a boa passou com perigo. Victor Ferraz respondeu de pronto, aos 17 minutos, entrando em diagonal e batendo no ângulo, para fora.

O Peixe chegou ao gol aos 20 minutos, em jogada pela direita que sobrou para Neílton, que com liberdade, dentro da área, só teve o trabalho de empurrar para as redes. O Coritiba sentiu o gol e passou a dar mais espaço. Aos 29 minutos, Galhardo chegou pela direita e mandou a bomba pela linha de fundo. Jogada individual de Alex, aos 36 minutos, e chute saiu torto. Tabela santista na área, aos 39 minutos, e Wiliam José aparece na frente de Vanderlei para arrematar para fora. Aí apareceu o talento de Alex, que aos 41 minutos recebeu com liberdade e com um toque de categoria por cima de Aranha deixou tudo igual.

Para a etapa final, a mesma formação para as duas equipes. Aos dois minutos, Neílton recebeu lançamento em profundidade e Victor Ferraz apareceu para travar e impedir a conclusão da jogada. Ataque coxa-branca, aos nove minutos, o estreante Ibérbia deixou a defesa para trás e bateu em cima de Edu Dracena. O Peixe era um pouco superior, mas sem poder de definição.

Alex voltou a aparecer com um cruzamento preciso, aos 16 minutos, que encontrou a cabeçada certeira de Chico, que parou nas mãos de Aranha. Após cobrança de escanteio, Chico desviou e a bola beijou a trave. Mas a resposta foi fatal. Depois de cobrança de falta, Cícero subiu na área e testou firme para balançar as redes. Neílton chegou a marcar, aos 21 minutos, mas o árbitro anotou impedimento.

O Coxa quase chegou ao empate com Bottinelli, que recebeu na área e com oportunismo desviou pela linha de fundo. O jogo pegou fogo e, aos 23 minutos, bela jogada individual de Montillo, que carimbou a trave. No rebotem Giva bateu a queima roupa e Vanderlei fez milagre. Após quase dois anos fora dos gramados, Keirrison entrou em campo aos 33 minutos. Mas quem quase marcou foi Giva, que parou mais uma vez em Vanderlei. É quando Alex, sempre ele, surge no meio da defesa em bela tabela e chuta no cantinho para deixar tudo igual, aos 42 minutos.

Bastidores – Santos TV:

Claudinei avalia empate do Santos como “amargo”, mas isenta jovens de culpa

Santos esteve à frente do placar contra o Coritiba por duas vezes, mas cedeu o empate

Um empate com “gosto amargo”. Foi assim que o técnico do Santos , Claudinei Oliveira, definiu o r esultado de 2 a 2 contra o Coritiba, na tarde deste domingo, em partida válida pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro . Apesar de demonstrar frustração pelas inúmeras oportunidades perdidas, o treinador santista reconheceu o equilíbrio da partida.

“Principalmente pelas chances que a gente teve depois que fizemos o segundo gol. Eu acho que no primeiro tempo o Coritiba foi melhor. Nos segundo, tivemos mais volume de jogo, marcamos pressão a saída de bola. A sensação que eu tenho é que foi um jogão. Para quem não torce para nenhum dos times, foi um dos melhores jogos do Brasileiro”, disse Claudinei.

O treinador não acredita que a pouca idade de boa parte do ataque santista tenha sido determinante para os erros nas finalizações. Além do experiente Montillo, os jovens Neilton, Giva e Pedro Castro perderam ao menos uma chance clara de gol.

“O Alex também saiu cara a cara com o Aranha, e acertou a trave. Eles não perderam o gol porque são jovens. Perderam porque o goleiro foi bem ou tiveram uma infelicidade. (Também pesa) o momento do jogo e o emocional. Acho que a experiência pesa no momento de segurar a bola”, afirmou.

Lamentação por empate demonstra evolução do Santos, acredita Claudinei

O treinador ainda se mostrou contrário da opinião do lateral esquerdo Léo, que afirmou que a equipe não precisa mais provar nada

Para o técnico Claudinei Oliveira, as lamentações do elenco santista por causa do empate por 2 a 2 contra o Coritiba , em partida disputada no último domingo, na Vila Belmiro, são uma demonstração da evolução do Santos desde que ele assumiu o comando da equipe.

“Olhando para trás, estamos aqui lamentando um empate contra uma equipe que começou a rodada na liderança do campeonato, que é muito entrosada, muito bem armada”, declarou o treinador após o duelo contra os paranaenses.

O treinador ainda se mostrou contrário da opinião do lateral esquerdo Léo, que afirmou que a equipe não precisa mais provar nada.

“Eu particularmente acho que a gente sempre tem que provar alguma coisa”, disse o treinador, citando as desconfianças que cercaram as vitórias contra Atlético-MG, São Paulo e Portuguesa. “Disseram que ganhamos do São Paulo por 2 a 0 porque eles estavam em crise. Sempre tem um ‘mas’. A gente tem que trabalhar para não ter mais esse ‘mas'”.

Claudinei promete conversar sobre posicionamento com Thiago Ribeiro

Thiago Ribeiro foi contratado por 3 milhões de euros (R$ 8,75 milhões) pelos alvinegros, após o Santos fracassar nas tentativas por outros nomes para o setor ofensivo

Novo reforço do Santos , o atacante Thiago Ribeiro chega para ajudar o clube praiano em busca dos seus objetivos no segundo semestre, tanto na Copa do Brasil quanto no Campeonato Brasileiro. O técnico interino, Claudinei Oliveira, elogiou a nova contratação do Peixe, mas fez questão de destacar que pretende conversar com o jogador para saber qual será o seu aproveitamento dentro da equipe santista.

“Precisamos esperá-lo chegar, primeiro. Ele vinha jogado como meia na Itália (no Cagliari), atrás do centroavante. Precisamos ver em que situações ele está apto para jogar. É um jogador bom de atuar pelas beiradas também. Temos de conversar com ele e saber em que situações o Thiago se sente bem”, disse Claudinei, após o empate com o Coritiba, no último domingo, na Vila Belmiro.

Thiago Ribeiro foi contratado por 3 milhões de euros (R$ 8,75 milhões) pelos alvinegros, após o Santos fracassar nas tentativas por outros nomes para o setor ofensivo, como Robinho, do Milan, Kleber, do Grêmio, e Fernandinho, do Al-Jazira-EAU.

Apesar disso, o treinador santista não garante que o atleta será titular incontestável do Peixe. “Temos de valorizar quem está no grupo e respeitar quem está aqui também. Estávamos entre os últimos, subimos na tabela, estamos em sétimo lugar, e com o mesmo time. Ele chega com peso e qualidade para jogar. Mas todos estão buscando seu espaço. Vai depender de quem estiver jogando. É questão de fazer as coisas com coerência e honestidade”, concluiu.

Além de Thiago Ribeiro, que assinou até dezembro de 2017 com o clube praiano, a cúpula alvinegra já havia acertado as contratações dos laterais Cicinho, que estava na Ponte Preta, e Eugênio Mena, chileno que defendia a Universidad do Chile. O volante Misael, que rescindiu com o Grêmio e pertence ao Deportivo Maldonado-URU, também foi contratado.

Léo recordista

Lateral-esquerdo fez a sua 446ª partida com a camisa alvinegra e é o 10º que mais vezes defendeu o clube da Vila Belmiro na história.