Santos 0 x 0 Bahia

Data: 18/08/2013, quarta-feira, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador, BA.
Público: 12.909 presentes, sendo 10.247 pagantes.
Renda: R$ 389.850,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Carolina Romanholi Melo (CE).
Cartões amarelos: Aranha, Cicinho e Mena (S); Raul e Titi (B).
Cartões vermelhos: Titi (B).

BAHIA
Marcelo Lomba; Madson, Lucas Fonseca, Titi e Raúl; Fahel, Rafael Miranda e Hélder; Marquinhos (William Barbio), Wallyson (Anderson Talisca) e Fernandão.
Técnico: Cristóvão Borges

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Durval e Mena; Alison (Alan Santos), Marcos Assunção, Cícero e Léo Citadini (Leandrinho); Montillo e Willian José (Thiago Ribeiro).
Técnico: Claudinei Oliveira



Em jogo fraco tecnicamente, Bahia e Santos não saem do zero

Bahia volta a somar e agora aparece com 20 pontos, enquanto o Santos não conseguiu se afastar da zona de rebaixamento, com 16 pontos

Em uma partida fraca tecnicamente, Bahia e Santos ficaram no 0 a 0 na Arena Fonte Nova, em jogo válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, as equipes aumentaram a série de jogos sem vencer na competição nacional.

O Bahia, que vinha de três derrotas consecutivas, conseguiu ao menos voltar a somar, e agora aparece com 20 pontos na tabela de classificação. Já o Santos, que não vence desde a 7ª rodada, chegou ao quarto empate consecutivo e não conseguiu se afastar da zona de rebaixamento. Os santistas agora têm 16 pontos somados.

A partida marcou o retorno de Marcos Assunção à equipe santista. Pouco utilizado durante esta temporada, o experiente volante de 38 anos tinha feito seu último jogo contra o Atlético-MG, dia 12 de junho, quando o Santos venceu por 1 a 0 na Vila Belmiro. Segundo o técnico Claudinei Oliveira, Assunção foi premiado pela boa exibição nos treinamentos.

As duas equipes sofreram baixas para os próximos compromissos no Brasileirão. O Bahia não terá Titi, que foi expulso por reclamação no fim do jogo. Pelo lado do Santos, Cicinho recebeu o terceiro cartão amarelo e também cumprirá suspensão.

O jogo

A primeira chance do jogo foi dos donos da casa. Após boa troca de passes do ataque tricolor, a bola sobrou para Hélder, que chutou de perna esquerda para o gol, obrigando Aranha a fazer boa defesa e ceder escanteio ao Bahia.

A primeira finalização santista foi do experiente Marcos Assunção, que voltou ao time neste domingo depois de longo período sem jogar. O volante aproveitou uma sobra de bola e arriscou de primeira, mas o chute passou longe de gol defendido por Marcelo Lomba. Uma boa oportunidade de abrir o placar foi perdida pelo Santos aos 27 minutos. A equipe paulista saiu rápido em contra-ataque, William José avançou sozinho e chutou de longe, para defesa de Marcelo Lomba. Cicinho, livre de marcação na ponta direita, reclamou muito com o companheiro.

Aos 34 minutos, Montillo avançou pela esquerda, livrou-se da marcação de Lucas Fonseca, invadiu a área e chutou cruzado, mas nenhum santista apareceu para finalizar o lance.

O Bahia respondeu com perigo aos 40 minutos. Madson avançou pela direita e cruzou para Wallyson, que cabeceou para o gol. Aranha espalmou para a frente, Wallyson teve nova chance no rebote, mas o goleiro santista se recuperou da falha e evitou o gol tricolor.

O panorama do primeiro tempo se manteve na segunda etapa, com as duas equipes valorizando a marcação. A primeira chance de perigo saiu somente aos 12 minutos, quando Titi apareceu livre na pequena área após cobrança de escanteio. O zagueiro do Bahia não conseguiu desviar para o gol, e a bola só pegou de raspão em sua cabeça, saindo pela linha de fundo.

O Tricolor chegou novamente com perigo aos 18, quando Rafael Miranda apareceu livre na área após cruzamento da esquerda. O meio-campista tricolor dominou mal a bola, e acabou proporcionando a chegada de Aranha, que fechou o ângulo e evitou o gol do adversário.

Recém-contratado, Thiago Ribeiro foi o autor da melhor chance de gol do Santos até então. Aos 23 minutos, o atacante recebeu belo passe de Cícero na ponta esquerda, cortou para o meio da área e chutou, acertando a trave direita de Marcelo Lomba.

O Bahia respondeu da mesma forma seis minutos depois. Raul encontrou uma brecha na defesa santista, avançou pela esquerda e arriscou de fora da área, obrigando Aranha a se esticar para dar um toque sutil na bola, que ainda tocou na trave direita antes de sair para escanteio.

A principal arma de Marcos Assunção quase deu resultado para o Santos. Aos 45, o volante cobrou escanteio e Alan Santos, livre de marcação, subiu e cabeceou para o chão. A bola quicou e subiu, passando muito perto do travessão de Marcelo Lomba.

Autor de bola na trave pelo Santos, Thiago Ribeiro lamenta chances perdidas

“É complicado, né? Quando a fase não está boa, pega na trave, a gente cabeceia no gol e a bola bate no chão e vai pra fora”, disse o atacante

Após o empate sem gols do Santos contra o Bahia , neste domingo, na Arena Fonte Nova, o atacante santista Thiago Ribeiro lamentou as chances de gols perdidas pela equipe paulista no segundo tempo do jogo.

“Tivemos, no meu modo de ver, duas chances muito claras. Aquele meu chute na trave e o escanteio agora, no final. É complicado, né? Quando a fase não está boa, pega na trave, a gente cabeceia no gol e a bola bate no chão e vai pra fora”, disse o atacante.

Aos 23 minutos da etapa final, Thiago Ribeiro, que entrou no lugar de William José, recebeu bom passe de Cícero, puxou para o meio e acertou a trave em chute de direita. No fim da partida, aos 45, o Santos teve nova chance de evitar o quarto empate consecutivo, quando Marcos Assunção cobrou escanteio e Alan Santos, sozinho, cabeceou para o chão, vendo a bola passar muito perto do travessão defendido por Marcelo Lomba.

“Acho que poderíamos ter saído com a vitória, mas empatamos. Estamos empatando muito. Na minha opinião, não jogamos mal. Tivemos chances de gol. Infelizmente, a bola está insistindo em não entrar”, disse Thiago Ribeiro.