Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Grêmio 2 x 0 Santos

Data: 28/08/2013, quarta-feira, 21h50.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 26.960 (25.871 pagantes)
Renda: R$ 967.346,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Fabiano da Silva Ramires (ES).
Cartão amarelo: Souza, Kleber e Maxi Rodríguez (G); Renê Júnior e Gustavo Henrique (S).
Gols: Souza (09-2) e Werley (42-2).

GRÊMIO
Dida; Werley, Rhodolfo e Bressan; Pará, Souza, Ramiro (Gabriel), Riveros (Maxi Rodríguez) e Alex Telles; Kleber e Barcos (Yuri Mamute).
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
Aranha; Rafael Galhardo, Gustavo Henrique, Durval e Mena; Alison, Renê Júnior (Neto), Cícero e Montillo (Léo Cittadini); Gabriel (Everton Costa) e Thiago Ribeiro.
Técnico: Claudinei Oliveira



Com gol no fim, Grêmio faz 2 a 0 e tira o Santos da Copa do Brasil

O zagueiro Werley marcou a três minutos do fim e garantiu vaga dos gaúchos, que encaram o Corinthians nas quartas

Foi com drama, mas o Grêmio conseguiu reverter a vantagem obtida pelo Santos na Vila Belmiro. Depois de perder por 1 a 0 no jogo de ida, o Tricolor fez 2 a 0 no Peixe em Porto Alegre. Souza abriu o placar aos nove da etapa final e Werley, a três minutos do fim, fez o gol da classificação gremista às quartas de final, para festa dos 27 mil torcedores que foram à Arena nesta quarta-feira.

O Grêmio partiu com tudo para cima do Santos nos minutos iniciais. O Peixe suportou a pressão gremista e passou a contragolpear, até o jogo cair de ritmo na primeira etapa. A equipe santista voltou mais segura para a etapa inicial, mas aos nove minutos Souza abriu o placar para o Tricolor Gaúcho, igualando o placar feito pelo Santos na Vila. A partir daí, o jogo caiu de ritmo, as equipes passaram a arriscar cada vez menos, e quando a decisão parecia ir para os pênaltis, Werley fez o segundo gol e classificou o Grêmio.

Classificado, o time gaúcho enfrentará o Corinthians nas quartas de final da Copa do Brasil. As duas equipes voltam a campo no fim de semana, pelo Brasileiro. O Grêmio recebe a Ponte Preta, no sábado, mesmo dia em que o Peixe visita o Fluminense, no Maracanã.

O jogo

Precisando de dois gols para reverter a desvantagem da Vila Belmiro, o Grêmio começou o jogo em cima do Santos. Com menos de um minuto, Barcos conseguiu escanteio ao arrematar contra a zaga do Peixe. Aos oito e aos 14 duas novas conclusões perigosas do Pirata de cabeça. Ao time paulista, restava os contragolpes. Aos 20, Gabriel chegou a marcar em um deles, mas estava em impedimento.

Além das chegadas pelos lados, o Grêmio teve nos chutes longos uma arma. Aos 21, Ramiro quase marcou um golaço arriscando da intermediária. Três minutos depois, uma perda importante para o Peixe: Montillo, lesionado, deu lugar a Léo Cittadini, que perdeu grande chance aos 29, ao tocar de cabeça após cruzamento de Cícero por cima do gol.

O jogo caiu bastante de ritmo nos minutos finais. Com sua marcação acertada, o Santos conseguiu conter as investidas do Grêmio com maior segurança e correu poucos riscos até o intervalo. Os erros de passe do time gaúcho, que ficava ansioso por não abrir o placar, eram cada vez mais comuns.

Um desses erros quase resultou em gol do Santos, no começo do segundo tempo: Bressan recuou errado para Dida, Gabriel chegou mais rápido que o goleiro gremista, mas em vez de chutar cruzou rasteiro, e ninguém do time paulista chegou para a conclusão. Quando o jogo parecia melhor para o lado do Peixe veio o gol gremista: aos nove minutos, Barcos fez grande jogada e centrou para a chegada de Souza, que desviou para as redes.

Com o gol, o Grêmio igualou o placar feito pelo Santos na Vila Belmiro, o que levaria o duelo para os pênaltis. Com isso, a partida ficou estudada e com poucas chegadas de perigo de ambos os lados. Uma das poucas ocorreu aos 37: Everton Costa recebeu livre na área após escanteio e chutou cruzado para fora. Quando tudo parecia levar para os pênaltis, um golaço que classificou o Tricolor: após grande tabela na área santista, Pará deixou Werley livre para fazer 2 a 0.

Com Santos fora, Alison lamenta falhas e chances perdidas contra o Grêmio

Volante do Santos acredita que o time poderia ter aproveitado melhor as oportunidades criadas nesta quarta

O Santos foi derrotado pelo Grêmio , por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Arena do Grêmio, e está eliminado da Copa do Brasil. O volante Alison lamentou o revés sofrido pela equipe praiana e acredita que o Peixe poderia, caso tivesse aproveitado melhor as oportunidades de gols que criou, ter saído com a classificação para as quartas de final do torneio.

“Acabamos falhando nos dois gols e perdemos a vaga. Mas sabemos que decisão é assim. Tivemos chances de aumentar a vantagem, tanto no primeiro quanto no segundo tempo, e não fizemos o gol”, disse o meio-campista, referindo-se a jogadas com Thiago Ribeiro e Gabriel, respectivamente.

Alison também destacou que, em uma competição de mata-mata, como a Copa do Brasil, qualquer tipo de deslize pode ser o suficiente para que um time permaneça ou seja eliminado da disputa.

“Em decisão, você não pode errar. Futebol é assim. Não fizemos os gols e, em duas oportunidades, eles marcaram e conseguiram a classificação”, concluiu.

Montillo sofre lesão muscular e reclama: “O calendário é muito apertado”

Com problema muscular na coxa esquerda, meia deixou o Santos no confronto com o Grêmio e viu time ser eliminado da Copa do Brasil

Substituído no primeiro tempo da derrota para o Grêmio, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Arena do Grêmio, resultado que eliminou o Santos da Copa do Brasil, o meia Montillo lamentou o fato de ter se contundido na partida contra o Tricolor Gaúcho. Preocupado, o camisa 10 ainda aguarda uma análise mais precisa do departamento médico para saber a extensão da lesão muscular na coxa esquerda.

A suspeita dos médicos santistas é de que Montillo tenha sofrido um estiramento no local, que precisaria de duas semanas de tratamento. Para confirmar o diagnóstico, o jogador argentino passará por exames de ressonância magnética nesta quinta.

“É algo chato. Ninguém gosta de se machucar. Mas, infelizmente, o calendário (brasileiro) é muito apertado, não se pode escolher os jogos (para ficar fora). Estava me sentido bem, só que senti essas dores. Essa lesão chegou em uma hora inesperada”, afirmou Montillo.

Triste com a situação, o meia destacou que irá torcer pelos seus companheiros, nos próximos desafios. O primeiro deles é contra o Fluminense, no próximo sábado, às 21 horas (de Brasília), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

“Agora é torcer do lado de fora, o que é ainda mais duro do que estar em campo. Vamos torcer por um grande resultado contra o Fluminense, pois no sábado é um jogo importante pelo Brasileirão”, concluiu o argentino.

Lesão de Montillo preocupa o Santos e técnico alerta para falta de substitutos

Claudinei diz que elenco do clube não apresenta soluções para ausência do seu camisa 10

Com uma lesão muscular na coxa esquerda, o meia Montillo preocupa o técnico do Santos, Claudinei Oliveira. O camisa 10 deixou a partida contra o Grêmio na última quarta-feira ainda no primeiro tempo. A suspeita do departamento médico do clube é de que Montillo tenha sofrido um estiramento na região fique duas semanas em tratamento.

“Temos volantes para substituir, zagueiros, mas não temos meias da qualidade dele, que fazem o que ele faz. O Montillo é o nosso melhor jogador, o que faz a diferença”, disse Claudinei, temendo ficar sem o meio-campista durante um bom período do Campeonato Brasileiro.

O comandante santista, aliás, admitiu que Montillo fez grande falta para a sua equipe, no revés em Porto Alegre, que eliminou os alvinegros da Copa do Brasil. “Perdê-lo foi terrível, é mais um fator ruim. O Léo Cittadini (que substituiu o argentino) tem qualidade, mas sentiu um pouco o jogo. Ele pode render bem mais, mas fez o que podia, fez o seu melhor”, comentou.

Claudinei Oliveira acredita que, se o seu camisa 10 estivesse em campo no restante do confronto, talvez o rumo da eliminatória com os gremistas tivesse sido diferente. “Se ele estivesse no segundo tempo, nós teríamos criado mais chances, pela qualidade que ele tem. Mas ninguém está tirando os méritos do Grêmio. Eles mereceram, foram mais competentes. É ‘briga de cachorro grande’, um acaba perdendo, não tem jeito”, encerrou.

Claudinei descartou que Léo, de 38 anos, que anunciou que não irá mais atuar na lateral esquerda, substitua Montillo. “Eu não penso no Léo como camisa 10 para esse jogo”, disse o treinador santista, que irá aproveitar o treino de sexta-feira, no CT Rei Pelé, para definir quem vai ocupar a vaga de Montillo. O Santos volta a campo neste sábado. O rival será o Fluminense às 21 horas no Maracanã.