Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Fluminense 0 x 2 Santos

Data: 31/08/2013, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 10.481 presentes (8.136 pagantes)
Renda: R$ 230.740,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO).
Cartões amarelos: Gum (F); Mena (S).
Gols: Thiago Ribeiro (12-1) e Cícero (28-1).

FLUMINENSE
Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Anderson e Carlinhos; Edinho, Willian (Felipe), Rhayner (Marcos Junior) e Eduardo (Wagner); Rafael Sobis e Fred.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Durval e Eugenio Mena; Renê Júnior, Alan Santos (Pedro Castro) e Cícero; Everton Costa, Thiago Ribeiro (Giva) e Leandrinho (Léo).
Técnico: Claudinei Oliveira



Santos vence no Maracanã e agrava turbulência do Fluminense

Com vitória fora de casa, paulistas sobem para 11º na tabela do Brasileirão, enquanto cariocas ficam a apenas dois pontos da zona de rebaixamento

O Fluminense voltou a decepcionar sua torcida. Em partida disputada na noite deste sábado, no Maracanã, o Tricolor das Laranjeiras foi derrotado pelo Santos por 2 a 0. O resultado fez o Tricolor das Laranjeiras cair para a 15ª posição na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com 18 pontos ganhos. O Santos subiu para a 11ª colocação, com 22 pontos ganhos.

O Fluminense fez um péssimo primeiro tempo e permitiu que o Santos estabelecesse a boa vantagem. No segundo tempo, quando começava a reagir, o time tricolor perdeu o atacante Fred. O artilheiro sentiu um problema muscular e só ficou em campo, porque o técnico Vanderlei Luxemburgo já havia esgotado todas as substituições.

O time paulista soube aproveitar as oportunidades para construir sua vitória e depois se fechar para segurar o resultado. Na próxima rodada, o Fluminense vai encarar o Atlético-MG, no Independência. O Santos terá pela frente o Atlético Paranaense, na Vila Capanema.

O jogo

Fluminense e Santos começaram a partida de forma cautelosa, trocando muitos passes no meio campo e encontrando dificuldades para criar jogadas de área. Só aos cinco minutos é que a torcida viveu seu primeiro momento de emoção, quando Bruno investiu pela direita, driblou Thiago Ribeiro e cruzou para Fred, mas a zaga santista desviou.

A resposta do Peixe veio aos sete minutos. Thiago Ribeiro fez boa jogada individual e rolou para Alan Santos que chutou forte para boa defesa de Diego Cavalieri. Aos nove minutos, Rhayner se aproveitou da desatenção da zaga santista, invadiu a área e chutou cruzado, mas sem qualquer pontaria, para alívio do goleiro Aranha. O Santos acabou marcando o primeiro gol, aos 12 minutos.Cicinho tabelou com Alan Santos e cruzou rasteiro para Thiago Ribeiro se antecipar à marcação e tocar para as redes de Diego Cavalieri.

O Tricolor das Laranjeiras partiu para o ataque e, aos 17 minutos, Fred foi derrubado por Edu na entrada da área, mas a cobrança feita por Rafael Sobis explodiu na barreira. O time dirigido por Vanderlei Luxemburgo passou a pressionar.em busca do gol de empate, acionando principalmente o lateral-direito Bruno que levava vantagem sobre o lateral Mena, mas não conseguia efetuar bons cruzamentos.

Aos 23 minutos, o Santos desperdiçou uma grande oportunidade para ampliar o marcador. Thiago Ribeiro cobrou falta e Everton Costa entrou livre, mas cabeceou para fora.

Desfalcado de Jean, o Fluminense encontrava dificuldades para armar as jogadas, enquanto o Santos se ressentia da ausência de Montillo, mas contava com movimentação intensa dos seus atacantes.

O Santos marcou o segundo gol aos 28 minutos. Falta na entrada da área que Cícero bateu com violência e ainda contou com a colaboração do goleiro Diego Cavalieri que tocou na bola, mas não conseguiu desviá-la. Um minuto depois, Diego Cavalieri teve que sair do gol para impedir que Cícero fosse lançado na área em condições de concluir.

Por volta dos 30 minutos, torcedores do Fluminense começaram a brigar na arquibancada, exigindo a intervenção dos policiais para acalmar o ambiente. O Fluminense pressionava em busca do primeiro gol, mas o time da Vila Belmiro se defendia com segurança e não permitia espaços para a conclusão dos atacantes tricolores. Aos 43 minutos, depois de cruzamento, Fred caiu e a torcida pediu pênalti, mas o árbitro considerou que o lance foi normal. No encerramento do primeiro tempo, a torcida vaiou os jogadores do Fluminense.

O Tricolor voltou para o segundo tempo com Felipe e Wagner no lugar dos jovens William e Eduardo. Aos cinco minutos, Rafael Sobis cobrou falta do lado esquerdo, o goleiro Aranha saiu muito mal e a bola se chocou com a trave esquerda, dando um grande susto na defesa da equipe paulista.

O Fluminense mostrava um desempenho melhor do que o mostrado na etapa inicial e pressionava em busca do primeiro gol.Aos dez minutos, Fred recebeu inteiramente livre, na entrada da área, mas chutou muito mal e colocou a bola por cima do travessão, sem levar qualquer perigo para o goleiro Aranha. O Santos procurava administrar o resultado, tocando a bola e buscando espaços na defesa tricolor.

Aos 13 minutos, Marcos Junior cruzou e Wagner, na pequena área, bateu de primeira, mas o goleiro Aranha usou o pé direito para impedir que a bola entrasse. A pressão tricolor aumentava a cada minuto e o time paulista apenas se defendia. O atacante Fred sentiu uma lesão na coca esquerda, mas continuou em campo, já que o Fluminense já havia gasto todas as substituições.

Aos 16 minutos, sem condições de chutar, Fred recebeu na pequena área e foi obrigado a rolar para Rafael Sobis que dividiu com um zagueiro e perdeu a bola. Aos 19 minutos, Rafael Sobis chutou cruzado e Aranha espalmou para escanteio. Fred continuava em campo, mas pouco se movimentava, em função da lesão. Aos 22 minutos, novamente Rafael Sobis invadiu a área pela esquerda e chutou forte, mas a bola bateu na rede, pelo lado de fora.

No Santos, o técnico Claudinei resolveu segurar o resultado e colocou o experiente lateral Léo no lugar do atacante Leandrinho. O time paulista não conseguia criar jogadas de ataque e se limitava a tentar bloquear as investidas do adversário.

Só aos 32 minutos, é que o Peixe descobriu um espaço na defesa tricolor. Thiago Ribeiro invadiu a área em velocidade, mas o goleiro Diego Cavalieri saltou nos pés do atacante e fez grande defesa. No minuto seguinte, Everton Costa entrou livre na área, mas errou o passe quando tinha tudo para definir a jogada, com sucesso.

Nos últimos minutos, o Tricolor carioca seguiu pressionando para tentar marcar, pelo menos, um gol, mas a defesa santista conseguiu segurar o resultado, para irritação da torcida tricolor que voltou a vaiar o time no final da partida.

Bastidores – Santos TV:

Claudinei se anima com vitória no Rio e projeta Santos na briga por lugar no G-4

Técnico santista aprovou atuação e acredita que vitória contra o Flu dá confiança ao time

A vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense , no Maracanã, encheu o técnico Claudinei Oliveira de confiança para a sequência do Santos no Campeonato Brasileiro . Apesar de ainda estar na parte intermediária da classificação, o treinador efetivado vislumbra o Peixe na luta pela classificação para a próxima Copa Libertadores da América.

“Nós vamos brigar pelo G-4. Não sei se vamos conseguir, mas nosso time vem mostrando a cada jogo que luta por todas as bolas e isso, aliado à qualidade técnica, faz a diferença”, afirmou.

O Santos assegurou sem sustos o triunfo sobre o Fluminense, na noite de sábado, com gols de Thiago Ribeiro e Cícero, ainda no primeiro tempo. Com o resultado positivo, o Peixe alcançou a 11ª posição, mas pode perder o lugar no complemento da rodada, neste domingo. Entretanto, o treinador lembra que seu time ainda tem dois jogos adiados para dar um salto na tabela.

“Esperamos chegar longe e temos dois jogos a menos. O G-4 não é impossível, mas temos pés no chão. Vamos enfrentar agora mais um adversário difícil, que é o Atlético-PR. O time deles está muito bem desde que o Vágner Mancini chegou. Vamos ver o que temos de melhor para buscar os pontos em Curitiba”, completou.

Claudinei, que nesta semana deixou a condição de interino e foi efetivado, com contrato reformulado, tem seu próximo compromisso na quarta-feira, quando enfrentará o Furacão, em Curitiba.

Lesão de Montillo causa alerta

Oliveira está preocupado com a sequência de partidas que o Santos terá em setembro. Depois de ter perdido Montillo por lesão, o treinador tem o receio de que a sequência no Campeonato Brasileiro traga mais problemas.

“Está complicado. Quando o jogo do Santos contra o Náutico não aconteceu, alegaram que haveria um desequilíbrio técnico na tabela. Mas, agora, teremos uma série com duas partidas fora, uma em casa e mais duas fora. Isso sim é um desequilíbrio técnico, é inconcebível. Falo agora porque ganhamos e para não parecer desculpa”, afirmou.

O próximo jogo do Santos será na noite de quarta-feira contra o Atlético-PR, na Vila Capanema, em Curitiba. Em seguida, recebe o Goiás (dia 7, na Vila Belmiro), visita o Internacional (dia 10, em Novo Hamburgo) e também o Flamengo (dia 12, fora de casa, mas em local ainda indefinido).

“Se tivermos uma pontuação boa, podemos revezar nas posições em que temos mais jogadores. O Montillo estourou por causa da sequência de jogos. Perdemos a estrela do time, que vinha se destacando. Isso é ruim para o Santos e para o torcedor que vai ao campo”, lamentou.

O armador sofreu um edema na coxa esquerda na quarta-feira, na derrota para o Grêmio, pela Copa do Brasil, e desfalcou o Santos no triunfo sobre o Fluminense.

Thiago Ribeiro faz seu primeiro gol pelo Santos e confia em evolução da equipe

Atacante desencantou e ajudou equipe paulista a crescer na tabela e a sonhar mais alto

O atacante Thiago Ribeiro marcou seu primeiro gol com a camisa do Santos, na vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, na noite de sábado. Contratado para virar a referência da linha de frente santista a partir deste segundo semestre, o jogador ficou satisfeito por ter dado início ao triunfo do time no Maracanã.

“Foi um gol importante, que nos deu mais oportunidades no jogo. Claro que tem um sabor especial e tivemos mais tranquilidade”, afirmou o atleta, que foi escalado entre os titulares nesta rodada do Campeonato Brasileiro.

O primeiro gol de Thiago Ribeiro com a camisa do Peixe saiu aos 12 minutos da etapa inicial. Cicinho, que teve boa atuação na partida, cruzou rasteiro da direita e viu o atacante se antecipar ao lateral direito Bruno e ao goleiro Diego Cavalieri para completar para as redes.

Ainda antes do intervalo, Cícero marcou o segundo e acabou com as forças do adversário. Apesar de triste pela eliminação na Copa do Brasil, diante do Grêmio, Thiago Ribeiro acredita que o placar positivo no Maracanã será importante para a sequência do Peixe no Campeonato Brasileiro.

“É uma vitória que nos dá confiança. A eliminação na Copa do Brasil foi nossa única derrota depois do jogo contra o Barcelona, mas quem viu a partida (diante do Grêmio) sabe que poderíamos ter feito 1 a 0. Quando erramos no mata-mata, fica difícil. Mas estamos mostrando bom rendimento no Brasileiro”, completou.

Claudinei diz que 8 a 0 do Barça o fez repensar defesa e valoriza novo sistema

Técnico afirma que passou a proteger mais os zagueiros em campo e ainda disse que não mudará a postura diante do Santos depois da efetivação no comando

Com a vitória sobre o Fluminense, no último sábado, no Maracanã, o Santos saltou duas posições e agora ocupa o 11º lugar na tabela do Campeonato Brasileiro, com 22 pontos. Para o técnico do Peixe, Claudinei Oliveira, boa parte desse crescimento na competição passa pela solidez do sistema defensivo da equipe praiana, o segundo menos vazado da Série A, com apenas 12 gols sofridos.

O treinador destacou que, após a goleada sofrida pelos santistas para o Barcelona (Espanha), por 8 a 0, no dia 2 de agosto, no Camp Nou, resolveu repensar algumas ideias acerca do seu time e uma maior proteção para os zagueiros foi uma das medidas tomadas, com a entrada de um volante com maior poder de marcação na frente da zaga.

“Eu repensei. Não posso ser escravo das minhas convicções. No sub-20, jogávamos sem volantes, mas o nosso nível era bem superior aos outros times. Vi que a nossa equipe é boa, mas que eu não poderia abrir mão da defesa. Por isso, nós passamos a proteger mais os zagueiros”, explicou Claudinei.

Sobre o seu trabalho na equipe alvinegra, o comandante ressaltou que nada mudou com a sua efetivação no cargo. Claudinei Oliveira, que ocupava o posto interinamente desde a saída de Muricy Ramalho, demitido no final de maio deste ano, agora recebeu um reajuste salarial e tem contrato até o fim do ano com o Santos, com opção de renovação por mais uma temporada.

“Continuo com a minha postura humilde, tranquila. Daqui dez anos, se Deus quiser, serei um treinador de sucesso e vou ser a mesma pessoa tranquila, conversando aqui com vocês (jornalistas)”, concluiu o técnico santista.