Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Atlético-MG 3 x 1 Santos

Data: 29/09/2013, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 24ª rodada
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte, MG.
Público: 8.465 pagantes
Renda: R$ 260.650,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Marcos Rocha e Neto Berola (A); Gustavo Henrique e Mena (S).
Gols: Cicinho (14-1), Luan (17-1) e Marcos Rocha (35-1); Alecsandro (42-2).

ATLÉTICO-MG
Giovanni; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Júnior César; Pierre, Josué, Tardelli e Luan (Dátolo); Fernandinho (Neto Berola) e Jô (Alecsandro).
Técnico: Cuca

SANTOS
Aranha; Bruno Peres (Everton Costa), Edu Dracena, Gustavo Henrique e Mena; Alison, Arouca, Cicinho, Renato Abreu (Willian José) e Cícero; Thiago Ribeiro (Giva).
Técnico: Claudinei Oliveira



Atlético-MG bate Santos de virada no Horto e sobe para quinta posição

Com gols de Luan, Marcos Rocha e Alecsandro, time mineiro vence por 3 a 1, segue em boa fase e alcança os 35 pontos no Brasileirão

O torcedor do Atlético-MG que compareceu ao Horto neste domingo deve ter gostado do que viu. O time mineiro recebeu a visita do Santos e saiu atrás no placar, mas rapidamente reagiu e saiu de campo com uma vitória por 3 a 1 que confirma a boa fase no Campeonato Brasileiro e o leva ao quinto lugar da competição.

Os santistas abriram o placar com Cicinho, completando cruzamento de Mena. Os atleticanos empataram na sequência com Luan, que recebeu ótima assistência de Fernandinho antes de igualar o marcador. Ainda no primeiro tempo, Marcos Rocha acertou o ângulo de Aranha e virou o placar. No fim do jogo, Alecsandro fechou o marcador.

Com o triunfo, o Atlético-MG chega aos 35 pontos e é o quinto lugar. Na quinte-feira, o time recebe a visita da Ponte Preta, em duelo adiado da oitava rodada. No domingo, também em casa, encara o Corinthians. Já o Santos, estacionado nos 33 pontos, cai para a nona posição do Brasileirão e tentará a reabilitação na quarta-feira, na Vila Belmiro, contra o São Paulo.

O jogo

Jogando em casa, o Atlético-MG não teve dificuldades para controlar a posse de bola, mas o Galo não conseguiu imprimir um ritmo acelerado devido a marcação do Santos, que marcou os mineiros no campo defensivo, aguardando uma chance de emplacar um contra-ataque. Sem espaços para finalizar dentro da área do Peixe, a primeira conclusão em gol foi do volante Josué, em chute de longa distância.

Aos poucos, o Galo começou a explorar mais os lados do campo, principalmente com Fernandinho e Tardelli, que deram muito trabalho para os defensores santistas. Centralizado, o avante Jô procurou fazer o pivô para os jogadores que chegam do meio-campo, jogada tradicional da equipe mineira, mas que sempre preocupa os adversários.

Até os 14 minutos, o Santos ainda não tinha conseguido agredir o time da casa com perigo, mas na primeira oportunidade, os visitantes chegaram ao gol com Cicinho, que apareceu livre na área para escorar cruzamento de Mena pela esquerda, em uma falha do setor defensivo atleticano. A resposta do Galo não demorou e veio com Luan, que completou cruzamento de Fernandinho, que passou com facilidade pelos marcadores para dar assistência perfeita para o empate alvinegro.

Os dois gols incendiaram a partida no Horto, que ficou mais aberta com as duas equipes perseguindo a vitória. Aos 19, o Santos quase marcou o segundo com Cícero, que encontrou espaços na área do Galo e fuzilou o goleiro Giovanni, que fez grande defesa. A torcida atleticana passou a empurrar a equipe em busca da virada, deixando o duelo eletrizante e muito bem jogado.

Atuando em casa, o Atlético-MG procurou ter o controle da partida nas mãos, mas o time da Vila Belmiro se mostrou muito perigoso na saída para o ataque. A insistência do Galo foi coroada com uma bela trama ofensiva, que terminou aos 35 minutos, com uma finalização de rara felicidade do lateral Marcos Rocha, que de fora da área, acertou o ângulo de Aranha, levando o Independência à loucura.

Mesmo em desvantagem, o Santos não mudou o jeito de jogar, esperando o Atlético-MG chegar para tentar encaixar um ataque em velocidade. Com essa postura, a partida perdeu um pouco em intensidade na etapa final, mas seguiu disputada em grande nível e com jogadas de qualidade.

Melhor no jogo, os atleticanos foram aos poucos acuando o rival no campo defensivo e agredindo com mais força. Preocupado com o recuou do Santos, o técnico Claudinei Oliveira resolveu trocar Renato Abreu, figura apagada no jogo, por Willian José na tentativa que os visitantes adiantassem as linhas de marcação.

Correndo riscos de sofrer o terceiro gol, os paulistas passaram a sair um pouco mais do campo defensivo, criando algumas chances de empatar, mas os mineiros continuaram com as rédeas do jogo. Somente na parte final da partida é que o Atlético-MG passou a administrar o resultado, mesmo assim, Alecsandro ainda encontrou tempo para anotar o terceiro gol da equipe da casa, fechando o placar.

Nova derrota abala confiança de Claudinei em briga por vaga na Libertadores

Ao perder por 3 a 1 do Atlético-MG neste domingo, Santos ficou estacionado nos 33 pontos e vê grupo dos quatro melhores do Brasileirão cada vez mais longe

A derrota de virada para o Atlético-MG por 3 a 1 neste domingo abalou a confiança do técnico Claudinei Oliveira no que diz respeito às chances do Santos de brigar por vaga na Libertadores. O revés fez o time cair para o nono lugar do Brasileirão e perder a chance de se aproximar do Atlético-PR, quarto colocado, que também foi derrotado.

“A gente lamenta. Se tivéssemos feito quatro pontos nas últimas duas rodadas, estaríamos numa situação muito boa na competição. Se a gente começar a ganhar os jogos, sim (sobre a possibilidade de chegar ao G4). Se a gente parar nesta situação, fica complicado”, declarou.

O treinador elegeu o lateral esquerdo Mena como melhor do Santos na partida contra os mineiros e disse que a equipe pode tirar lições da postura do adversário. “Quando o Atlético fez 2 a 1, não deu o contra-ataque em nenhum momento. Quando o jogo estava empatado em 1 a 1, nós ficamos no campo de ataque, não terminamos a jogada como deveríamos e tomamos o gol no contra-ataque”, afirmou.

A vitória deixaria o Santos na quinta colocação do Campeonato Brasileiro, a cinco pontos do Atlético-PR, quarto colocado. Com a derrota, a equipe caiu para o nono lugar e estacionou nos 33 pontos – oito a menos que os paranenses.

Santos diz que rápida reação do Atlético-MG determinou derrota em Minas

Equipe paulista saiu na frente no primeiro tempo, mas levou o empate apenas 3 minutos depois e acabou sofrendo a virada

Os santistas foram unânimes ao apontar a velocidade com que o time sofreu o gol de empate diante do Atlético-MG como principal fator para a derrota neste domingo. Em partida disputada no estádio Independência, válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos abriu o placar com Cicinho, aos 14 minutos do primeiro tempo, mas três minutos depois sofreu o empate, em gol de Luan. Alecsandro determinou a vitória atleticana aos 42 minutos do segundo tempo

“Infelizmente, logo na sequência do nosso gol tomamos o empate. Não conseguimos aproveitar o que poderia ser o jogo antes de tomar o gol. Tivemos uma ocasião muito boa com o Cícero (quando a partida estava empatada em 1 a 1), mas depois o jogo ficou aberto”, disse o atacante Thiago Ribeiro após o jogo.

O capitão santista, Edu Dracena, também lamentou o primeiro gol atleticano e disse que houve falha da marcação do time paulista no lance. “O gol saiu por causa de um mau posicionamento. É lógico que jogamos contra o campeão da América, mas poderíamos ter tido um resultado bem melhor”, afirmou Dracena.