Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Atlético-PR 2 x 1 Santos

Data: 04/09/2013, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Estádio Durival de Britto, em Curitiba, PR.
Público: 12.595 pagantes
Renda: R$ 191.170,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Thiago Gomes Brigido (CE) e José Javel Silveira (RS).
Cartões amarelos: Marcelo e Felipe (A)
Gols: Marcelo (05-1) e Marco Antônio (37-1); Emerson (41-2).

ATLÉTICO-PR
Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Willian Rocha (Deivid); João Paulo, Zezinho, Marco Antônio (Felipe) e Paulo Baier; Marcelo (Dellatorre) e Ederson.
Técnico: Vagner Mancini

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Durval e Léo (Emerson); Alison, Alan Santos (Pedro Castro), Cícero e Leandrinho (Giva); Everton Costa e Thiago Ribeiro.
Técnico: Claudinei Oliveira



Com apoio da torcida, Atlético-PR vence o Santos e segue arrancada épica

Equipe paranaense faz 2 a 1 e alcança 11ª partida sem derrotas pelo Campeonato Brasileiro

O Atlético Paranaense segue com sua arrancada épica no Campeonato Brasileiro e chegou à 11ª partida seguida sem derrota na competição ao vencer o Santos, por 2 a 1, na Vila Capanema. Com o resultado, chega aos 33 pontos, segue no G4 e cada vez mais próximo da liderança. Já o time paulista teve sua sequência de três vitórias interrompida e, com 22 pontos, fica fora da lista dos dez primeiros.

O Atlético precisou de cinco minutos para abrir o placar, com Marcelo, que aproveitou contra-ataque para entrar na defesa alvinegra e fuzilar para as redes. Marco Antônio fez o segundo, aos 37 minutos, aproveitando confusão na área. Depois do intervalo, a partida seguiu movimentada e o time paulista descontou aos 41 minutos, com Emerson.

O jogo

O Santos começou a partida mostrando velocidade e, logo aos dois minutos, Éverton Costa recebeu o lançamento, abriu espaço e arriscou o chute, pela linha de fundo. O Atlético respondeu com William Rocha, que mandou um petardo para Durval afastar de cabeça. Mas, aos cinco minutos, a chegada foi fatal. Após contra-ataque, Paulo Baier lançou Marcelo, que deixou a marcação para trás e fuzilou para dentro das redes.

O Atlético conseguiu segurar o ímpeto inicial do Santos e, após o gol, passou a dominar as ações. Aos 12 minutos, Marcelo desviou de cabeça na área e Aranha fez boa defesa. Durval devolveu com 13 minutos, após cruzamento de Leandrinho, mas errou o alvo, mandando para fora. Aos 15 minutos, William Rocha caiu no gramado com dores no joelho e foi substituído por Deivid.

Paulo Baier arriscou de fora da área, aos 20 minutos, após cruzamento de Léo, e a bola passou por cima da meta santista. O jogo era bom na Vila e, aos 27, Cícero mandou uma bomba para defesa de Weverton, que quase se complicou o lance. Um minuto depois, o goleiro atleticano salvou cabeçada de Durval. Mas, aos 37, Marco Antônio aproveitou rebote de Aranha e confusão na área para empurrar para o fundo do gol.

Para a segunda etapa, nenhuma nova alteração nas equipes. Aos três minutos, Manoel tabelou com Marcelo e, na devolução, saiu com bola e tudo. Aos seis minutos, o artilheiro Ederson soltou uma pancada pra defesa de Aranha. Na resposta, aos nove minutos, Thiago Ribeiro encobriu Weverton, porém, exagerou na força. A partida seguia cheia de alternativas, com os times buscando o ataque.

Jogada individual de Thiago Ribeiro, aos 16 minutos, com a bola sobrando para Leandrinho que, dentro da área, cochilou e desperdiçou o ataque. Aos 20 minutos, Durval pegou sobra de bola e bateu forte, em cima de Manoel, que salvou o Atlético. O ritmo do jogo caiu bastante em sua reta final. Aos 27 minutos, Ederson tentou encontrar Paulo Baier, e Alisson apareceu para dominar o lance.

Após as mudanças realizadas pelos dois treinadores, o jogo voltou apegar fogo, com algumas jogadas mais ríspidas. Aos 37 minutos, Paulo Baier cobrou falta tentando surpreender Aranha, que fez grande defesa para ceder escanteio. Aos 40 minutos, Cicinho fez o cruzamento, Thiago Ribeiro cabeceou e a bola explodiu na trave. Mas, no lance seguinte, Emerson fez tabela recebeu na área e chutou cruzado para descontar.Éverton Costa teve a chance de empatar, aos 49 minutos, e Weverton fez grande defesa para garantir os três pontos.

Jogadores do Santos acreditam que não mereciam a derrota diante do Atlético-PR

Revés por 2 a 1 nesta quarta-feira interrompe série invicta do clube da Vila Belmiro que já durava seis rodadas no Brasileiro

Após quatro empates e duas vitórias, o Santos voltou a perder no Campeonato Brasileiro . A série invicta foi interrompida com a derrota diante do Atlético-PR nesta quarta-feira por 2 a 1 . Mas, para os jogadores, a equipe merecia ter saído de campo ao menos com o empate.

“Sofremos gols em erros nossos, depois fica complicado para correr atrás. Fizemos o gol (com o jovem lateral-esquerdo Emerson Palmieri) e poderíamos ter empatado. Criamos muitas chances, sufocamos o Atlético-PR e creio que poderíamos ter conseguido um resultado melhor”, lamentou o atacante Thiago Ribeiro.

O lateral-direito Cicinho fez uma avaliação semelhante. Para ele, o rendimento do Santos no segundo tempo poderia ter sido recompensado. “Nós melhoramos, principalmente no segundo tempo. Conseguimos criar boas oportunidades e perdemos várias chances de gol. Acho que o resultado mais justo seria o empate”, analisou.

Técnico do Santos lamenta derrota em Curitiba: ‘Empate seria mais justo’

Claudinei Oliveira também apontou falhas na defesa de seu time diante do Atlético-PR

A derrota para o Atlético-PR por 2 a 1 , na noite desta quarta-feira, no estádio Durival de Britto, deu fim a série invicta de seis jogos do Santos no Campeonato Brasileiro. O técnico Claudinei Oliveira fez uma avaliação do resultado e lamentou o revés, destacando que a sua equipe poderia ter saído de campo, ao menos, com um empate.

“Em alguns momentos, o Atlético-PR teve mais volume de jogo, em outros o volume foi do Santos. Acho que, no cômputo geral, talvez o empate fosse mais justo. Mas no futebol não tem justiça ou injustiça, pois a bola na rede é o que prevalece. È assim”, disse Claudinei, que apesar de ter visto aspectos positivos na atuação santista, também citou os erros do time praiano.

Para o treinador, os alvinegros falharam nos dois gols da equipe paranaense. “Vou sempre assumir a responsabilidade pelos resultados negativos, não estou aqui para culpar ninguém. Mas a realidade é que tomamos dois gols em falhas nossas. Tínhamos a bola dominada e permitimos que eles fizessem os gols. No segundo gol, por exemplo, sabíamos que eles têm essa jogada forte de ‘bola parada’, pois foi alertado na preleção. Erramos todos”, comentou.

Apesar de ter visto erros do Santos, que custaram um resultado melhor em Curitiba, Claudinei Oliveira reconheceu que o Atlético-PR teve os seus méritos para ganhar o duelo. Com a vitória, o Furacão ocupa a vice-liderança da Série A, com 33 pontos.

“As nossas alterações surtiram efeito no segundo tempo, mas o Atlético-PR é um time bem armado taticamente, que se defende muito bem. Eles marcaram as subidas dos laterais, com todos atrás da linha da bola, o que dificultou para fazermos os gols”, encerrou o comandante.

Claudinei Oliveira volta a criticar calendário: “Parece brincadeira”

Técnico do Santos reclamou da maratona de jogos do time nos próximos dias e disse que o futebol virou negócio

A maratona de jogos a qual o Santos deve ser submetido nos próximos dias tem deixado o técnico Claudinei Oliveira bastante irritado. Tanto que, após a derrota para o Atlético-PR, na noite da última quarta-feira, no Estádio Durival de Britto, o treinador da equipe praiana voltou a criticar o remanejamento feito pela Confederação Brasileira de Futebol, na tabela do Campeonato Brasileiro.

“Isso parece brincadeira. O futebol virou negócio, todo mundo ganha com isso, mas os atletas sofrem. Depois, dizem que os jogadores ganham bem para fazer o trabalho deles, porém, temos que lembrar que todos são cobrados por um bom futebol. Vai sofrer uma derrota pesada para ver como as coisas ficam? Todos somos cobrados por isso, então, não dá para entrar em campo ‘arrebentado’”, disse Claudinei.

Até o final da semana que vem, o Peixe irá disputar quatro partidas. Primeiro, os santistas recebem o Goiás, sábado, na Vila Belmiro. Depois, os alvinegros encaram Internacional-RS, na próxima terça, em Novo Hamburgo (RS) – confronto atrasado da 10ª rodada do Brasileirão -, e Flamengo, dois dias mais tarde, no Maracanã. Por último, o Santos volta a atuar na Vila, diante do Botafogo, no dia 15.

“Agora, nós temos que fazer o dever de casa, porque depois temos mais dois jogos fora, Inter e Flamengo, em três dias. É um absurdo. Quem jogou bola sabe que o cansaço não é maior no dia seguinte a uma partida, mas dois dias depois de uma atividade física desse porte. Ou seja, vamos entrar para jogar cansados. Vamos ver o que dá para fazer de melhor. Queremos ganhar do Goiás, usar a força máxima contra o Internacional-RS, para vermos o que vamos fazer contra o Flamengo”, encerrou o comandante.

Vale lembrar que, com dois jogos a menos em relação à maior parte dos seus concorrentes, o Peixe atualmente ocupa a 11ª posição na Série A, com 22 pontos ganhos.