Goleiros:
Sergio
Nilton
Ferreira
Nilton Pellegrine
Raul


Laterais:
Heraldo
Wladimir
Luisinho
Éder José


Zagueiros:
Davi
Luiz Carlos
Cássio
Nildo


Volantes:
César Sampaio
César Ferreira
Axel


Meias:
Sócrates
Júnior
Cesar Pereyra
Marco Antônio Cipó
Nenê


Atacantes:
Juary
Totonho
Leonardo Manzi
Tuíco
Miraglia
Aluísio Guerreiro
Essinho
Careca
Edilson


Técnicos:
Raul Pratalli
Nicanor de Carvalho



Santos Futebol Clube

Presidente: Miguel Assad Macool Filho – (1988-1989)
Patrocínio: Coca-Cola
Fornecedor: Penalty

Elenco:

G – Ivanílton Sérgio Guedes
G – João Ferreira Couto
G – Nílton José Pellegrine
G – Nílton Orlando da Costa
G – Raul

LD – Heraldo Gonçalves da Silva
LE – Wladimir Rodrigues dos Santos
LE – José Luis de Carvalho (Luisinho)
LD – Éder José Sanches

QZ – Davi Cortez da Silva
Z – Luiz Carlos Canhizares
QZ – Cássio Adriano Vilaça
ZC – Ivanildo Alves de Souza (Nildo)

V – Carlos César Sampaio Campos
V – Carlos César Ferreira
V – Axel Rodrigues de Arruda

M – Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira
MD – Irineu Parmegiani Júnior
M – Cesar Pereyra
MD – Marco Antônio da Conceição (Cipó)
M – Nenê

CA – Juary Jorge dos Santos Filho
CA – Antônio Carlos S. Pinto (Totonho)
A – Leonardo Caetano Manzi
PE – Antônio Carlos Azevedo Martins (Tuíco)
PD, M – Carlos Miraglia
CA – Aluísio Chaves Ribeiro Moraes (Aluísio Guerreiro)
A – Edson Luiz Valente Correa (Essinho)
A – Careca
CA – Edilson

TI – Raul Pratalli Filho / T – Nicanor de Carvalho Júnior

Comissão Técnica: Gilberto Tim (Preparador Físico), Luís Flávio Buongermino (Preparador Físico), Wilson Quiqueto (Preparador de Goleiros), Buongermino (Fisioterapeuta), Francis (Massagista) e Ênio Zicardi (Médico).



Quem chegou: Wladimir (LE, Cruzeiro), Carlos Miraglia (PD, Sud América-URU), Edilson (CA, Umuarama-PR), Juary (CA, Boavista-POR)

Quem saiu: Giba (PD, Marília), Lula (LE, Flamengo), Sidney (PE, Sport Recife), Aluísio Guerreiro (CA, dispensado)

Time-base: Sérgio; Heraldo, Davi (Luisinho), Luiz Carlos e Wladimir; César Sampaio, César Ferreira, Júnior e Sócrates; Juary e Tuíco (Totonho).



Santos aposta sua sorte em Sócrates


O fator que mais animava o presidente Miguel Assad, do Santos, era saber que, exceção feita ao Palmeiras, todos os outros times estavam na mesma condição do ano anterior, sem grandes reforços, e o Santos poderia contar com Sócrates. “É o único ídolo do Campeonato”, acreditava Assad.

O técnico Marinho Peres abandonou o cargo as vésperas do início do Campeonato Paulista. Raul Pratalli, técnico dos juniores, assumiu o time nas cinco primeiras rodadas, até a chegada de Nicanor de Carvalho.

(…)