Renúncia em massa

Em uma carta de 66 linhas, o Presidente do Santos, Manoel dos Santos Sá, conhecido por “Maneco das Tintas” por ser dono de uma fábrica, anunciou sua renúncia ao cargo. Seu gesto foi acompanhado pelos demais diretores.
Manoel abandonava os 30 milhões que havia investido no clube. Antes, porém, empenhou as verbas de TV até o final de 1988. Manoel da Tintas renuncia à Presidência do Santos

Motivo: o episódio do veto do Conselho Deliberativo à venda dos passes dos jogadores César Sampaio e Marco Antônio Cipó ao empresário Juan Figer. “Daria um superávit de 20 milhões de cruzados”, alegou o empresário.

Com a renúncia, assumiu o Presidente do Conselho Deliberativo, Otávio Alves Adegas, que tem 30 dias para convocar novas eleições.



Fontes:
– Revista Placar, nº 928, pág. 52, 18/03/1988.
– Revista Placar, nº 979, pág. 29, 17/03/1989.