Portuguesa Santista 0 x 2 Santos

Data: 13/04/1997, domingo, 15h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, SP.
Público: 8.000 pagantes
Renda: R$ 79.445,00
Árbitro: Edilson Pereira de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Marinho, Calazans e Demétrios (P); Élder e Ronaldão (S).
Cartões vermelhos: Orlando Pereira (P).
Gols: João Fumaça (25-1) e Fernando (49-2).

PORTUGUESA SANTISTA
Ivan; Paulinho Goiano (Juares), Marinho, Émerson e Pita (Wanderlan); Calazans, Amilton (Célio), Rodrigo e Gian; Toni e Demétrios.
Técnico: Orlando Pereira

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Narciso, Ronaldão e Cássio (Ronaldo Marconato); Marcos Assunção, Élder, Vágner e Caíco (Eduardo Marques); Macedo (Fernando Fumagalli) e João Fumaça.
Técnico: Wanderlei Luxemburgo



Santos vence clássico e conquista troféu

O Santos venceu por 2 a 0 a Portuguesa Santista no chamado “clássico das praias”, disputado ontem à tarde no estádio Ulrico Mursa. Os gols foram dos juniores João Luís Fumaça e Fernando.

O Santos também conquistou o troféu Cidade de Santos oferecido pela Prefeitura Municipal.

O placar não espelha o que foi a partida. A Portuguesa exerceu muita pressão e criou inúmeras chances de gol, mas esbarrou no goleiro Zetti.

Além da derrota, a Portuguesa sofreu outros prejuízos. Como solicitou a carga de 12 mil ingressos, e a Polícia Militar só autorizou, por medida de segurança, a venda de 8.000.

A Portuguesa foi punida pela Federação Paulista de Futebol com interdição temporária de seu estádio (até o impasse ser resolvido) e terá de pagar R$ 40 mil referentes aos ingressos que não foram vendidos.

No segundo turno da segunda fase, a Portuguesa enfrentará em casa o Juventus, o Palmeiras, a Lusa e o Botafogo de Ribeirão.

Dentro de campo

Por jogar em casa, a Portuguesa começou pressionando.

O Santos só chegou com perigo aos 15min, em jogada individual de Vágner.

Aos 25min, o Santos abriu o placar. Cássio recebeu a bola pela esquerda, driblou Paulinho Goiano e cruzou. João Fumaça se antecipou à zaga e, com o pé direito, fez 1 a 0.

O Santos voltou para o segundo tempo tocando a bola enquanto a Portuguesa partiu para cima pressionando e conseguindo 14 escanteios, mas esbarrando em Zetti.

O Santos não soube explorar os contra-ataques. O técnico Orlando substituiu o lateral direito Goiano pelo atacante Juares.

O segundo gol aconteceu aos 49min. Eduardo Marques lançou Fernando que foi à linha de fundo e chutou para o gol. O goleiro Ivan, que esperava o cruzamento, ainda tentou interceptar a bola, mas acabou empurrando-a para dentro do gol.

Luxemburgo critica interdição de estádio

O técnico Wanderley Luxemburgo criticou a decisão da Federação Paulista de Futebol de interditar o estádio Ulrico Mursa.

“Por que o Santos jogou no campo da Portuguesa Santista e os demais também não poderão jogar aqui?”, perguntou. Segundo Luxemburgo, o Farah (Eduardo José Farah, presidente da federação) não pode tirar jogos do Ulrico Mursa. “O Santos não pode ser prejudicado.”

A estréia do Santos na segunda fase do segundo turno do Paulista é contra a Inter, domingo, em Limeira.

A diretoria espera promover a estréia do atacante Muller, contratado do Perugia, da Itália. “Já pagamos US$ 1 milhão e acertamos a forma de pagar o US$ 1 milhão restante”, disse o diretor de futebol, José Paulo Fernandes.



Clássico da praia volta hoje após 18 anos ( Em 13/04/1997 )

Santos e Portuguesa Santista disputam o “clássico da praia”, hoje, às 15h, no estádio Ulrico Mursa, em Santos.

A última partida oficial entre as duas principais equipes da Baixada Santista foi disputada em 3 de dezembro de 1978, válida pelo Campeonato Paulista. O Santos venceu por 2 a 1, na Vila Belmiro.

Os times não se enfrentam oficialmente no estádio da Portuguesa Santista há quase 30 anos.

O último jogo foi em 11 de fevereiro de 1968, quando o Santos venceu por 6 a 0, com gols de Toninho Guerreiro (3), Negreiros, Edu e Douglas.

O Santos jogará desfalcado de Robert, Alexandre e Baiano, que receberam o terceiro cartão amarelo na goleada da última quinta-feira contra o Araçatuba, na Vila Belmiro.

O atacante Alessandro não se recuperou da lesão no músculo posterior da coxa direita e fica mais uma vez fora da equipe.

O técnico Wanderley Luxemburgo dá nova oportunidade para o atacante João Fumaça, que marcou três dos quatro gols da equipe diante do Araçatuba (4 a 1).

“Fico contente com mais essa oportunidade. Espero não decepcionar,” disse Fumaça, que já soma quatro gols no Paulista e foi aplaudido pela torcida na quinta.

A novidade santista é a volta de Marcos Assunção ao meio-campo, depois de cumprir suspensão. O setor será completado por Elder, Vágner e Caíco.

Sem Müller

Para a torcida, a decepção é a ausência de Müller, contratado junto ao Perugia (Itália).

A documentação do jogador ainda não está regularizada com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Luxemburgo quer o time tomando a iniciativa no jogo. “O Santos é o time grande, tem que atacar, não pode se limitar aos contragolpes. O chamado time pequeno é que costuma usar esse esquema”, disse o técnico.

Para a partida de hoje, foram colocados antecipadamente à venda 12 mil ingressos. Se todos foram vendidos, a renda deverá ser de R$ 120 mil.

Não haverá venda de ingressos hoje para o jogo. As bilheterias não vão funcionar.

Vágner aceita jogar na lateral direita

O volante Vágner tem sido um dos destaques do Santos, principalmente no plano tático. O técnico Wanderley Luxemburgo tem aproveitado o jogador no trabalho de proteção à defesa, armação de jogadas e improvisado pela lateral-direita, quando quer dar agressividade ao setor.

Ele disse que joga onde o Luxemburgo quiser. Leia os principais trechos da entrevista.

Repórter – Como você se sente no esquema tático?
Vágner – À vontade. O importante é privilegiar o conjunto. A equipe tem tido dificuldades devido aos problemas de contusão e punição por cartão amarelo. É hora de todos darem um pouco mais de si à equipe.

Repórter – Você tem sido elogiado na lateral direita. Já pensou em adotar essa posição?
Vágner – Sou profissional, jogo onde for melhor para o grupo. O Ânderson é um bom jogador, tem provado isso. Ocorre que, numa partida, o treinador pode ser obrigado a alterar a tática da equipe. Não cabe a mim decidir onde jogar.

Repórter – O Santos é candidato ao título?
Vágner – Todos os grandes clubes entram na competição pensando no título. Só que temos que vencer etapas. A primeira é obter a classificação para o quadrangular. Estamos disputando uma vaga no Grupo 1 com a Lusa. Nesses nove jogos que restam, temos que somar o maior número de pontos e torcer por um tropeço da Lusa, que está um ponto à nossa frente.

Repórter – Você já é um dos líderes do elenco?
Vágner – Sei que o futebol é meu ganha-pão. Entro em campo para mostrar o que sei fazer e da melhor maneira possível. O Santos tem jogadores experientes, como Zetti e Ronaldão. O importante é cada um dar o melhor, não criticar o companheiro, mas procurar se superar caso ele não esteja bem num jogo.

Portuguesa entra motivada por 2 vitórias

Depois de vencer o Guarani por 3 a 2 e ganhar do Botafogo por 2 a 1, a Portuguesa Santista entra em campo hoje motivada contra o Santos.

O técnico Orlando Pereira faz mistério quanto à escalação de seu time. É possível que o lateral-direito Paulinho Goiano, que cumpriu suspensão na última partida, retorne à equipe.

O lateral-esquerdo Vanderlan, contratado ao América-RJ, teve sua documentação regularizada e pode estrear.

As duas últimas vitórias levaram a equipe a 16 pontos no Campeonato Paulista e afastaram o time momentaneamente da zona do rebaixamento.

O vencedor da partida entre a Portuguesa Santista e Santos receberá o troféu Cidade de Santos, oferecido pela Secretaria Municipal de Esportes.