Santos 3 x 0 Ituano

Data: 01/02/2015, domingo, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 9.121 torcedores
Renda: R$ 269,839,00
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado
Auxiliares: Paulo de Souza Amaral e Vitor Carmona Metestaine
Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Chiquinho (S); Clayson, Leonardo, Ricardinho (I).
Gols: Geuvânio (06-1), Chiquinho (29-1) e Geuvânio (10-2).

SANTOS
Vladimir, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Chiquinho; Alison, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Ricardo Oliveira), Robinho (Lucas Crispim) e Thiago Ribeiro (Elano).
Técnico: Enderson Moreira

ITUANO
Diego, Dick, Léo, Leonardo (Naylhor) e Zé Carlos; Josa, Clayson (Jheimy), Cristian e Jackson Caucaia (Gercimar); Misael e Ricardinho.
Técnico: Tarcísio Pugliese



Peixe “se vinga” e bate o Ituano com facilidade na Vila

Carrasco santista na grande final do Campeonato Paulista de 2014, o Ituano desta vez não foi capaz de segurar o alvinegro praiano. Neste domingo, na estreia de ambas as equipes no Paulistão de 2015, o Peixe passou com facilidade pelo time do interior do Estado com uma vitória por 3 a 0, na Vila Belmiro. Geuvânio, grande revelação do último Paulistão, marcou duas vezes e Chiquinho, logo em seu primeiro jogo com a camisa do Santos, fechou o placar.

O resultado levou os donos da casa à liderança do Grupo D, empatado com o Bragantino. Capivariano, XV de Piracicaba e Penapolense completam a chave. Enquanto isso, o Ituano segura a lanterna do Grupo A ao lado do São Bernardo e vê a disputa com São Paulo, Mogi Mirim e RB Brasil ficar complicada.

O jogo

O Campeonato Paulista do Santos começou do jeito que o torcedor gosta. Assim que soou o apito do árbitro, o time partiu para cima do adversário, em uma tentativa de surpreender e se impor em seu território. Principalmente no caso deste domingo, já que o adversário era o Ituano, clube que derrotou o Peixe na final do Estadual ano passo e ficou entalado na garganta tanto do elenco quando do torcedor.E a estratégia deu certo. Logo ao 6 minutos de jogo, Geuvânio recebeu na entrada da área, pela direita. Cortou para dentro e acertou um lindo chute de canhota. Golaço e festa na Vila Belmiro. O Galo de Itu, porém, não se abateu e chegou a calar o estádio santista por alguns segundos. Logo após a saída de bola, os visitantes buscaram o empate e, após bela jogada pela esquerda, a bola sobra para Ricardinho que, dentro da área, bateu forte, no contrapé de Vladimir. A trave salvou o Santos e Misael foi interceptado por Chiquinho no rebote.

Depois de um início de jogo eletrizante, a partida caiu de rendimento. Os times pareciam sentir o gramado alto e em más condições da Vila Belmiro. Por alguns instantes, a agitação maior aconteceu nas arquibancadas, quando policiais militares agiram e retiraram algumas faixas de protestos da torcida contra a antiga diretoria do Peixe. “Cadê o dinheiro que tava aqui”, dizia uma das faixas.

De volta ao campo, o Santos ampliou sua vantagem com mais um belo gol, desta vez de Chiquinho, único reforço desta temporada a começar como titular na equipe de Enderson Moreira. Lucas Lima bateu falta na barreira e o lateral esquerdo pegou a sobra de primeira, acertando um petardo de fora da área, no ângulo. 2 a 0 antes dos 30 minutos.

A partir daí, a chuva passou a acompanhar o confronto e acabou esfriando o ânimo dos atletas. O Ituano, muito aquém do que o esperado, mal trocava três passes seguidos e deixou o primeiro tempo, talvez, mais preocupado em não levar uma goleada.Para não dar chance

Ainda sob chuva, até um pouco mais intensa, o Santos voltou para o segundo tempo senhor do jogo. O Ituano, aparentando um certo conformismo com a inferioridade técnica e física, era incapaz de esboçar uma reação.

Aos 6 minutos, Chiquinho quase marcou seu segundo gol no jogo após bela cobrança de falta. Aos 9, Geuvânio penetrou na área e pediu pênalti, mas o juiz mandou seguir.

Mas era questão de tempo. E aos 10 minutos da etapa complementar não teve jeito. Geuvânio girou bem em cima da marcação após receber cobrança de lateral, pela direita, tabelou com Lucas Lima e bateu firme, já dentro da área, para estufar as redes mais uma vez, marcando o terceiro do Peixe no jogo.

Com o resultado nas mãos, Enderson Moreira deu o gosto especial para Geuvânio deixar o campo aplaudido e com seu nome entoado pelas arquibancadas. Ricardo Oliveira entrou em seu lugar e voltou a pisar na Vila Belmiro com a camisa santista após 13 anos.O Ituano também realizou substituições, aliás, três de uma só vez, e, com as equipes já bastante modificadas e com o placar de 3 a 0, a partida esfriou o ímpeto dos dois times, que fizeram apenas o primeiro jogo no ano.

Neste momento, então, os torcedores passaram a pedir a entrada de Elano. E foram atendidos prontamente por Enderson Moreira. Com a camisa 22, o meia também retornou neste domingo ao local onde se consagrou para o futebol, agora com 33 anos. Essa é a terceira passagem de Elano pelo Peixe.

Robinho também deixou o jogo antes do término para descansar e deu lugar para o jovem Lucas Crispim, mais uma revelação da base santista. Mas o cansaço já preponderava e o confronto chegou ao fim sem mais grandes emoções.

Bastidores – Santos TV:

Após conversa e dedicação, Geuvânio começa bem o ano no Santos

O Santos bateu o Ituano por 3 a 0 com dois belos gols de Geuvânio. O jovem atacante mostrou que inicia a temporada em grande forma e começa a se destacar na briga por uma vaga entre os titulares. “A gente valoriza quem faz gol, é fundamental”, admitiu Enderson Moreira, neste domingo, após a estreia da equipe no Paulistão.

O técnico, aliás, é um profundo admirador do futebol de Geuvânio. Em 2014, o atacante recebeu o prêmio de revelação do Campeonato Paulista e chegou a receber a mítica camisa 10 do Peixe. Porém, seu rendimento acabou caindo e alguns problemas extra-campo atrapalharam sua ascensão. Com isso, Geuvânio perdeu espaço na equipe e só voltou a ter novas oportunidades no segundo turno do Campeonato Brasileiro.

Com ânimo renovado e com respaldo do treinador, Geuvânio terminou a temporada bem, marcando gols e sendo importante para o time. Agora, mesmo com Robinho, Ricardo Oliveira, Thiago Ribeiro e Gabriel, o camisa 45 quer garantir seu espaço no time e mostrou que está preparado para isso.

“Percebemos nos treinos o destaque dele. Foi uma conversa. O Luiz, meu auxiliar, foi importante nesse aspecto. Vimos no dia a dia que ele voltou a buscar espaço. Isso foi importante. Ele tem demonstrado isso. Onde ele vai chegar depende do que ele conseguir na temporada”, explicou Enderson Moreira.

Enderson elogia Chiquinho e aprova estreia do Peixe na Vila Belmiro

Chiquinho chegou sem badalação e até mesmo sob certa desconfiança. Porém, neste domingo, foi o único dos sete reforços contratados pelo Santos nesta temporada a iniciar no time titular. Além disso, o estreou um golaço de fora da área, criou perigo em cobrança de falta e sustentou bem a lateral esquerda. Ao fim do jogo, a torcida aplaudiu o atleta, que estava claramente feliz com a situação. No entanto, Enderson Moreira garante que não foi pego de surpresa.

“Esses problemas são interessantes no futebol. Poucos deram valor a ele quando chegou. Fez uma temporada boa no Fluminense. Não é lateral. Foi meu jogador com 16 anos, no Atlético-MG. É meia. Tem essa versatilidade. Consegue jogar na segunda linha também, sei do potencial”, comentou o técnico santista, sem cravar quem será o lateral esquerdo da equipe após o retorno de Caju, que está com a seleção brasileira Sub-20, na disputa do Sul-Americano. “É um primeiro jogo. A briga de posição vai ser boa, tomara que seja acirrada. Assim que se faz grupo competitivo”, salientou Enderson.

Ao comentar sobre o desempenho da equipe na vitória por 3 a 0 contra o Ituano nesta 1ª rodada do paulistão, Enderson também ficou satisfeito com o que viu.

“A gente sabe que é um primeiro jogo, muita coisa evolui, mas foi positivo. Dentro do que colocamos e cobramos, foi bom. O fato do campo estar molhado fez a gente perder o timing, apesar de ter qualidade e competir. Fico feliz. Era um jogo especial, difícil, jogadores que estão juntos há um tempo. As dificuldades eram grandes e a equipe se comportou bem”, avaliou.

Importância dos veteranos

O Santos começou o confronto contra o Ituano com Renato e Robinho em campo. No segundo tempo, Ricardo Oliveira e Elano também foram a campo e ajudaram a equipe a vencer na estreia. E a experiência, além da qualidade, desses jogadores já identificados com a torcida podem ser cruciais para o Peixe neste ano, segundo Enderson Moreira.

“O Robinho e o Renato vêm do ano passado, o Elano e o Ricardo vão nos ajudar muito. Vão nos ajudar fora também. Teve a ansiedade da estreia e deram palavras muito sábias. Eles podem ajudar os mais jovens a trilharem esse caminho. Vamos viver cada jogo. A partir de agora, pensamos no Mogi Mirim”, explicou o treinador.