Cilinho desiste, e Santos acaba contratando Paulo Autuori

O carioca Paulo Autuori assume hoje o cargo de técnico do Santos, em substituição a Emerson Leão, demitido na última sexta, e em meio a um ambiente tenso devido à derrota por 2 a 1 para o Guarani anteontem na Vila Belmiro.

Autuori estava sem clube desde sua demissão do Inter-RS, no início do Brasileiro. Ele foi contratado na tarde de ontem, após uma reunião de quase seis horas que envolveu diretores do Santos e Pelé, homem-forte do clube.

Os dirigentes tiveram de buscar outro treinador porque Cilinho, virtualmente contratado no sábado, desistiu, preferindo permanecer no América de Rio Preto.

Ele não aceitou a oferta santista devido, principalmente, ao período do contrato -quatro meses, prazo que resta de mandato para a atual diretoria.

Antes de consultarem Autuori, os dirigentes santistas tentaram Cabralzinho, vice-campeão brasileiro pelo Santos em 1995 -o título ficou com o Botafogo, à época treinado pelo próprio Autuori.

Cabralzinho não aceitou porque está trabalhando no Oriente Médio e tem contrato a cumprir.

Paulo Autuori será apresentado como novo treinador às 11h de hoje, no centro de treinamento do clube. Ele aceitou assinar um contrato de quatro meses, prorrogável caso o trabalho seja aprovado e o grupo atual que dirige o Santos permaneça à frente do clube após as eleições de dezembro.

O presidente Samir Jorge Abdul-Hak disse que a contratação de Autuori não está condicionada à contratação de reforços.

“Ele vem para treinar o time (atual). Isso (a contratação de reforços) nem foi cogitado na conversa que tivemos com ele”, afirmou Abdul-Hak, principal alvo da ira dos torcedores, que pediram em coro sua saída durante o jogo contra o Guarani.

Auto-estima será o “reforço” do Santos (Em 25/08/1999)

Com pouca esperança de obter contratações, o novo técnico do Santos, Paulo Autuori, elegeu “o resgate da auto-estima do grupo” como “grande reforço” do Santos para a sequência do Brasileiro.

“Meu discurso é o da valorização daqueles que aqui estão”, afirmou o técnico ao assumir o cargo.

Acompanhado dos dirigentes e de Pelé, homem-forte do clube, Autuori, que completou ontem 43 anos, foi apresentado pela manhã e à tarde já comandou um treino.

Ele apontou o jogo de sábado, contra o Vasco na Vila Belmiro, como referência para definir a equipe titular. “Acredito que só se conhece quem é quem nos momentos difíceis”, declarou.

Do elenco santista, Autuori só trabalhou com Lúcio, entre 97 e 98, quando dirigiu o Flamengo.

O treinador substitui Emerson Leão, que, após 18 meses no cargo, foi demitido em razão de um histórico de divergências com os dirigentes e de uma sequência de sete jogos sem vitórias.

O contrato de Autuori termina daqui a quatro meses, junto com o mandato da diretoria. Mas isso, para ele, não é novidade -em clubes brasileiros (Botafogo, Cruzeiro, Flamengo e Inter), nunca ficou mais do que sete meses.