Santos 2 x 2 São Bento

Data: 29/05/2015, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 13ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.149 pagantes
Renda: R$ 106.920,00
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Fausto Augusto Viana Moretti
Cartões amarelos: Lucas Otávio e Gabriel (S).
Gols: Renan Teixeira (10-1), Ricardo Oliveira (14-1, de pênalti); Éder (12-2) e Gabriel (22-2)

SANTOS
Vladimir; Vitor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Lucas Otávio (Elano), Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Lucas Crispim), Gabriel (Thiago Ribeiro) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Marcelo Fernandes

SÃO BENTO
Henal; Alex Reinaldo, Wanderson, João Paulo e Marcelo Cordeiro; Éder, Serginho Catarinense, Renan Teixeira (Xandão) e Renan Mota (Chico); Giovanni e Nilson.
Técnico: Paulo Roberto Santos



Antes de clássico, Santos só empata com São Bento na Vila Belmiro

O Santos voltou a tropeçar no Campeonato Paulista, neste domingo, em plena Vila Belmiro. Depois de sofrer sua primeira derrota no ano, que acabou com uma série invicta de 14 jogos da equipe, na última quinta-feira, o time de Marcelo Fernandes ficou apenas no 2 a 2 com o São Bento, de Sorocaba.

O Peixe esteve atrás do placar por duas vezes, graças aos gols de Renan Teixeira e Éder. Ricardo Oliveira, de pênalti, e Gabriel, no segundo tempo, evitaram a segunda derrota seguida.

Com 30 pontos, o Alvinegro praiano se mantém na segunda colocação geral, mas fica a cinco pontos do líder Corinthians e agora tem o São Paulo na sua cola, com 29 pontos.

Na próxima rodada, a 14ª e penúltima da primeira fase, o Santos terá a semana inteira para descansar e treinar de olho no clássico contra o Corinthians, às 16 horas (de Brasília), no próximo domingo, em Itaquera. Já com a liderança praticamente definida nas mãos do Timão, a partida será fundamental para o Alvinegro praiano pelo menos na luta pelo segundo lugar na classificação geral do Campeonato Paulista, o que daria o direito do time de Marcelo Fernandes decidir às quartas e as semifinais como mandante.

O jogo

Mais uma vez com poucos torcedores presentes na Vila Belmiro, o Santos recebeu o São Bento com a obrigação de vencer após sofrer o primeiro revés na temporada, na última quinta. E mesmo com os desfalques de Robinho, Valencia, Cicinho, Chiquinho e Caju, o time de Marcelo Fernandes entrou em campo ciente de que precisava do resultado positivo para não deixar o líder Corinthians se distanciar na tabela de classificação. O Timão, mais cedo, bateu o Bragantino por 1 a 0 e chegou aos 35 pontos.

Em campo, Gabriel foi o jogador mais acionado pela equipe durante toda a primeira etapa. Logo aos 5 minutos, o jovem atacante arriscou da entrada da área e Henal fez grande defesa, no ângulo do gol oposto ao placar do estádio Urbano Caldeira.

No lance seguinte, o camisa10 recebeu no meio da defesa do São Bento e mandou a bola para as redes, porém, a jogada foi corretamente anulada pelo auxiliar.

E na primeira tentativa de ataque da equipe de Sorocaba, Vladimir foi vazado. Após cobrança de escanteio pela direita. Renan Teixeira subiu completamente sozinho e cabeceou de dentro da pequena área para abrir o marcador.

Porém, não deu muito tempo dos visitantes comemorarem a vantagem, porque três minutos depois, Lucas Lima foi derrubado por Serginho Catarinense dentro da área. Ricardo Oliveira cobrou a penalidade no meio do gol e empatou o jogo.

Dai para frente, só deu Santos. Mas Henal mostrou que estava em noite inspirada e salvou o São Bento em chutes de fora da área de Gabriel e Lucas Lima.

Na segunda etapa, o Peixe seguiu com uma atuação apática, desorganizada e, aos poucos, viu o São Bento se encorajando no jogo.

Aos 11 minutos, o goleiro Vladimir, que deve ocupar a vaga de Vanderlei por pelo menos dois meses em função da fratura na face, assustou a torcida santista ao perder o tempo de bola, mas contou com o cabeceio para fora de Giovanni.

Mas o que ninguém esperava, aconteceu. Em contra-ataque nas costas do lateral Zeca, Éder lançou Nilson. O zagueiro David Braz escorregou sozinho e o centroavante do Azulão teve tempo e tranquilidade para tabela com Éder, que encheu o pé. A bola passou em baixo de Vladimir e colocou o São Bento mais uma vez na frente, em plena Vila Belmiro.

Novamente tendo de correr atrás do prejuízo, o alvinegro praiano por pouco não igual o marcador com David Braz, que ganhou de todo mundo e testou para o gol aos 17 minutos. Mas Henal estava implacável e fez linda defesa, antes da bola sair pela linha de fundo.

Aos 22, enfim, Gabriel chegou ao gol. Depois de tanto insistir, o atacante foi mais rápido que a zaga do Azulão e chegou batendo para completar cruzamento de Geuvânio. Tudo igual na Vila.

No fim da partida, Henal mais uma vez brilhou e evitou o gol da virada santista após defender, à queima roupa, a cabeçada de Werley.

Desta forma, o Santos tropeçou em casa diante do São Bento e praticamente deu adeus ao objetivo de terminar a primeira fase do Paulistão na liderança. Domingo que vem, o Peixe encara o Corinthians, em Itaquera.

Bastidores – Santos TV:

Após novo tropeço, Ricardo Oliveira diz que Santos não tem que se preocupar

Há quase cinco meses, o torcedor santista não passava por uma semana tão ruim. Depois de perder para a Ponte Preta, em Campinas, na última quinta-feira, neste domingo, o Peixe empatou com o São Bento, na Vila Belmiro, por 2 a 2, após ficar duas vezes atrás do marcador. Mesmo assim, para Ricardo Oliveira, a equipe ainda não tem com o que se preocupar.

“Não é para isso. Infelizmente não tivemos uma boa atuação. O time deles veio com uma proposta defensiva, fizeram os gols em contra-ataques. Não temos que nos preocupar. Temos que ficar alerta para que isso não se repita nos próximos jogos”, analisou o camisa 9, que marcou o primeiro gol santista, neste domingo, em cobrança de pênalti.

O volante Renato também tentou minimizar o segundo tropeço seguido e ressaltou a importância do time ter evitado a derrota. “Sabia que hoje o jogo seria complicado, infelizmente vacilamos em alguns pontos, mas o importante foi não perder. A gente sabe que temos que buscar as vitórias, mas, infelizmente, não conseguimos”, disse.

Com o empate diante do time de Sorocaba, o time de Marcelo Fernandes agora precisa vencer o Corinthians, em Itaquera, no próximo domingo, e torcer por um tropeço do arquirrival na última rodada para, aliado a uma vitória santista, terminar a primeira fase na primeira colocação. A missão é difícil, mas o zagueiro David Braz garante que a equipe irá buscar a liderança até o fim.

“Enquanto houver chances de lutar a gente vai acreditar. Temos que vencer lá e torcer no último jogo. Hoje tivemos duas falhas, tivemos oportunidades, mas não conseguimos. Infelizmente, não aconteceu”, afirmou o jogador, antes de completar.

“A gente sabia que a cobrança ia ser grande pelos resultados positivos. Mas tem que entender que o futebol é difícil, o campeonato é difícil e, às vezes, não dá para ter a sequência que a gente estava tendo. Mas estamos classificados e é lutar para decidir os jogos em casa”, resumiu.

Marcelo Fernandes lamenta falhas pontuais, mas elogia atuação santista

O empate em 2 a 2 com o São Bento na Vila Belmiro pegou a muitos de surpresa. O Santos liderava o Campeonato Paulista até o início da semana e sustentava uma invencibilidade de 14 jogos. Porém, a derrota na quinta-feira, para a Ponte Preta, quebrou a série positiva. E, neste domingo, o time de Marcelo Fernandes teve de buscar a igualdade no marcador duas vezes para evitar um novo revés. Para o técnico, porém, seus comandados se portaram bem em campo e não houve uma queda de rendimento.

“Não achei, não. O time lutou, caiu para cima o tempo todo. O São Bento veio para se defender, mas acho que a equipe do Santos e portou muito bem, não caiu de produção, a equipe lutou, a torcida veio junto, mas dessa vez não deu”, analisou o treinador, após a partida válida pela 13ª rodada do Estadual.

O treinador evitou, inclusive, relacionar o empate deste domingo aos seus inúmeros desfalques.

“Acho que Cicinho, Valencia, Robinho, Gustavo (Henrique), fazem falta, sim, porque são jogadores de extrema experiência e fariam falta para qualquer time. Acho que o Santos tem um grande grupo e hoje, infelizmente, a bola não entrou. A gente tem que saber que temos que jogar constante o jogo inteiro”, disse o comandante, que também aguarda ainda a recuperação de Chiquinho e Caju, que seguem em tratamento de suas lesões, além do goleiro Vanderlei, que fraturou a face na última quinta e só deve voltar a ficar à disposição em junho.

Apesar de enaltecer o espírito de luta da equipe e a busca pelo gol o tempo todo, Marcelo Fernandes admitiu que os lances que originaram nos gols do time de Sorocaba precisam ser corrigidos o quanto antes.

“Preocupa, sim. Esses momentos de apagão não podem ter. A equipe tem que estar sempre ligada porque no momento das finais isso é importante”, explicou. “São assuntos pontuais que temos que corrigir durante a semana. No segundo gol, foi um contra-ataque, podia ter matado a jogada. No primeiro, outro de bola parada. Já tínhamos falhado nisso em dois gols da Ponte Preta, na quinta, mas a equipe se portou bem”, concluiu.

Agora, o Santos terá a semana inteira para trabalhar e recuperar seus jogadores. Robinho, que estava com a Seleção Brasileira, retorna, assim como Cicinho e Valencia, que cumpriram suspensão automática. E o elenco alvinegro precisa, mais do que nunca, de seus principais jogadores, já que no próximo domingo encara o Corinthians, em Itaquera, em confronto crucial para determinar as posições finais dos times na tabela de classificação a duas rodadas do fim da primeira fase.