Santos 2 x 0 Corinthians

Data: 10/05/1997, sábado, 21h40.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 19.210 pagantes
Renda: R$ 207.910,00
Árbitro: Oscar Ruiz (COL)
Cartões amarelos: Narciso, Élder e Muller (S); Rodrigo, Célio Silva, André, Gilmar, Romeu, Souza e Donizete (C).
Carões vermelhos: Ronaldo e Donizete (C).
Gols: Caíco (33-1) e Muller (47-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson, Ronaldo Marconato, Narciso e Ronaldão; Marcos Assunção, Élder e Caíco; Alessandro (Careca), Muller e Macedo (Juari).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

CORINTHIANS
Ronaldo; Rodrigo (Ayupe), Célio Silva, Antonio Carlos e André; Gilmar, Romeu, Souza (Maurício) e Donizete; Túlio e Mirandinha.
Técnico: Nelsinho Batista



Derrota para Santos alarma Corinthians

A vitória do Santos sobre o Corinthians, por 2 a 0, anteontem, serviu para os dois times. Para os santistas, valeu pelos três pontos que fizeram o time se aproximar da Lusa na luta pela classificação para a próxima fase do Campeonato Paulista. Segundo os corintianos, a derrota foi uma lição a ser aplicada na próxima quinta-feira, frente ao Grêmio, pela Copa do Brasil.

“O resultado foi um alerta. Jogamos sem união, sem força de vontade”, disse o lateral André. Para ele, os treinos funcionarão para resgatar a confiança do time, que terá de reverter o placar de 2 a 1, jogando em Porto Alegre (RS).

Mais preocupado se mostrou o técnico Nelsinho. “Vou conversar com os jogadores. Não quero mais expulsões por reclamação.” O treinador se referia aos cartões vermelhos de Ronaldo e Donizete.

Com o resultado, o Santos está empatado com a Lusa (40 pontos) na segunda colocação no Grupo 1 -os dois disputam com o Palmeiras (42) uma vaga às semifinais. No primeiro critério de desempate (número de vitórias), ambos os times têm 11. No segundo critério (saldo de gols), estão empatados, com 16. A Lusa supera o Santos somente no terceiro critério, o de gols marcados (43 a 39).

Nas duas últimas rodadas, o Santos pega o Araçatuba (fora) e a Portuguesa Santista (em casa). A Lusa enfrenta o São Paulo e o União, ambos em São Paulo.

Terminado o clássico, o técnico santista, Wanderley Luxemburgo, fez uma palestra para conter a euforia. “Estamos crescendo em um momento importante, mas precisamos ter os pés no chão.”

Luxemburgo venceu a batalha tática contra o técnico Nelsinho. Ele surpreendeu com a escalação de três zagueiros (Ronaldão, Ronaldo Marconato e Narciso) como forma de suprir a falta de um lateral-esquerdo -machucados. Com a estratégia, Luxemburgo manteve sempre um zagueiro na sobra para anular as jogadas dos atacantes do Corinthians.

Psicologia ajuda Caíco

Com a ajuda da psicóloga do Santos, Suzy Fleury, o meio-campista Caíco diz ter superado a má fase que o fez um dos jogadores mais visados pela torcida. Vaiado em jogos anteriores, Caíco se transformou no destaque no clássico. Principal articulador do meio-campo, marcou o primeiro gol, de fora da área. E comemorou colocando a bola por baixo da camisa -imitando uma mulher grávida, em homenagem ao Dia das Mães- e dedicou a vitória ao técnico Wanderley Luxemburgo, que anteontem fez 45 anos.

Pergunta – No primeiro tempo, você jogou mais solto. No segundo, o Romeu ficou mais em cima de você. Isso dificultou?
Caíco – O Nelsinho viu que eu estava subindo pelo lado esquerdo. Então, adiantou um jogador de meio-campo para sair em mim e deixou o outro no Muller. Mas, com movimentação, continuamos envolvendo o rival.

Pergunta – Antes, você parecia tímido em campo, sentindo a pressão da torcida. Hoje se sente mais à vontade?
Caíco – Sim. Conversei bastante com a psicóloga Suzy Fleury e ela disse que eu tenho potencial -não é à toa que estou aqui. Desde o jogo contra a Inter, em que eu entrei no segundo tempo, botei isso na cabeça. Depois veio o jogo contra o São Paulo. Fiz um gol e isso me motivou bastante.

Pergunta – Você Já achou seu melhor posicionamento na equipe?
Caíco – Sim. Agora tenho facilidade de sair mais para o ataque e poder voltar na marcação. Com a movimentação do ataque, tenho mais opções de jogadas.



Créditos:
Fonte: Jornal Folha de SP.
Vídeo: Wesley Miranda