Santos 5 x 0 Portuguesa Santista

Data: 18/05/1997, domingo.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.686 pagantes
Renda: R$ 142.100,00
Árbitro: Alfredo Santos Loebeling (SP)
Cartões amarelos: Rodrigo, Ivan e Pita (P)
Gols: Muller (09-1), Ronaldão (29-1) e Alessandro (42-1); Careca (07-2) e Alessandro (31-2).

SANTOS
Zetti (Marcelo); Ânderson Lima (Michel), Jean, Ronaldão e Rogério Seves; Baiano (Fernando Fumagalli), Élder e Caíco; Alessandro, Macedo (Careca) e Muller.
Técnico: Wanderley Luxemburgo

PORTUGUESA SANTISTA
Ivan (Paulo Dinei); Davi, Marinho, Ricardo e Pita; Marcelo Fernandes, Gustavo (Fernando), Rodrigo (Elton) e Paulinho Kobayashi; Juarez e Carioca (Paulinho).
Técnico: Orlando Pereira



Em ritmo de treino, Santos goleia e se garante na final

Em ritmo de treino, o Santos goleou a Portuguesa Santista por 5 a 0, ontem à tarde, na Vila Belmiro, em Santos, e conquistou a segunda e última vaga do Grupo 1 para o quadrangular decisivo do Paulista.

O destaque foi o atacante Careca, que, aos 7min do segundo tempo, marcou seu primeiro gol no Santos, o quarto da partida.

O placar poderia ter sido maior se os atacantes do Santos não desperdiçassem várias oportunidades de gol. O técnico Wanderley Luxemburgo levantou-se do banco de reservas várias vezes para pedir mais atenção nas finalizações.

O primeiro gol aconteceu logo aos 9min. Macedo tocou a bola para Muller, que driblou um adversário e chutou forte no canto esquerdo do goleiro Ivan.

Aos 29min, Ânderson cobrou escanteio pela direita. Ronaldão cabeceou no canto esquerdo.

A Portuguesa não esboçou reação e, para complicar, aos 37min, o técnico Orlando Pereira foi expulso por reclamação.

O Santos ampliou aos 42min com Alessandro, que recebeu passe de Caíco, invadiu a área livre de marcação e driblou o goleiro Ivan antes de marcar.

No segundo tempo, Careca substituiu Macedo. Aos 7min, ele recebeu passe de Caíco e marcou o quarto do Santos. Foi o gol mais festejado pela torcida.

A goleada foi fechada aos 31min, com novo gol de Alessandro.

Equipe busca reforço para o quadrangular

O Santos pode reforçar o elenco com a contratação de mais um ou dois jogadores. Segundo a diretoria, os clubes têm até a próxima quarta-feira para inscrever novos jogadores.

O técnico Wanderley Luxemburgo não descarta a possibilidade. “Amanhã (hoje), vamos conversar a esse respeito com a diretoria. Não podemos descartar nenhuma possibilidade de ajuda, pois nossa meta é o título”, disse.

Na primeira rodada do quadrangular, Luxemburgo se preparar para enfrentar o Corinthians.

“Não há favoritismo na reta de chegada. O Corinthians é um adversário de respeito”, afirmou.

A maior preocupação da comissão técnica é com o lateral Ânderson, que deixou o campo queixando-se de dor na virilha e pendurado com dois cartões amarelos.

Lusa vai usar Muller para tentar vaga

Para a Lusa, a disputa pela vaga no quadrangular do Paulista-97 com o Santos não foi encerrada com os resultados de ontem. A vitória sobre o União São João, ontem, por 2 a 1, não foi suficiente para levá-la à fase final do torneio. Para atingir esse objetivo, seria necessária, além de uma vitória por 4 a 0, a combinação com uma derrota do Santos, que ficou com a vaga após vencer a Portuguesa Santista por 5 a 0.

Eliminada dentro de campo, a Lusa vai tentar agora a classificação juridicamente.

Para o diretor de futebol do clube, Camões Salazar, o atacante santista Muller está atuando irregularmente, o que implicaria a perda de pontos do Santos e a automática classificação da Lusa.

“Amanhã (hoje) nós iremos verificar juridicamente esta situação e tomar as providências devidas”, afirmou Salazar.

A situação do jogador, na verdade, é pendente com o São Paulo, ex-clube do atleta. Quando foi vendido ao Perugia (da Itália), uma cláusula do contrato especificava que o São Paulo teria direito a receber R$ 1,2 milhão de multa caso Muller voltasse a jogar em um clube brasileiro antes de fevereiro de 98.
Contratado pelo Santos, Muller jogou, e a multa não foi paga.

“Se ele estiver irregular na competição, nada mais justo que o Santos perder cinco pontos, o que nos daria a classificação”, afirmou.

Onze camisas brancas ameaçam o trio de ferro – Por Alberto Helena Jr.

Olha, que se cuide o trio de ferro, pois vêm lá da beira-mar 11 camisas brancas infladas pelos ventos da competência. Tá certo que a briosa já entrou em campo, ontem, desfigurada. Mas os 5 a 0 -que poderiam ter sido o dobro, sem nenhum exagero- impostos pelo Santos revelaram um time com traços de campeão.

É bem verdade que o Palmeiras, depois de penar durante todo o primeiro tempo diante do Mogi, no Parque, renasceu no segundo, graças à volúpia desse incansável Cafu e, sobretudo, do lançamento do menino Neto, que entrou no lugar de Djalminha.

Pode ter sido mesmo um renascimento. Mas há quem desconfie que tenha sido o canto do cisne -aquele instante mágico que antecede o fim.