Goiás 4 x 1 Santos

Data: 08/07/2015, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia, GO.
Público: 1.829 pagantes
Renda: R$ 50.925,00
Árbitro: Anderson Daronco (RS).
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison e Rafael da Silva Alves (ambos do RS).
Cartões amarelos: Thiago Maia, Daniel Guedes, Werley (S).
Gols: Felipe Menezes (03-2), Fred (06-2), Felipe Menezes (13-2), Carlos Eduardo (16-2) e Ricardo Oliveira (43-2).

GOIÁS
Renan; Clayton Sales, Felipe, Fred e Diogo; Rodrigo, David, Liniker e Felipe Menezes (Juliano); Bruno Henrique e Carlos Eduardo (Murilo).
Técnico: Augusto César (interino)

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes (Caju), Werley, David Braz e Victor Ferraz; Lucas Otávio (Neto Berola), Thiago Maia, Rafael Longuine e Lucas Lima; Gabriel (Marquinhos Gabriel) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Marcelo Fernandes



Santos é atropelado pelo Goiás fora de casa e segue em crise profunda

No provável último jogo de Marcelo Fernandes à frente do time, o Santos foi humilhado pelo Goiás, nesta quarta-feira, no estádio Serra Dourada. Com dois gols de Felipe Menezes, ex-Palmeiras, Fred e Carlos Eduardo, todos marcados no segundo tempo, o Esmeraldino fez 4 a 1 no atual campeão Paulista, que descontou com Ricardo Oliveira, já no fim, de pênalti, e ficou mais distante da zona de rebaixamento ao chegar aos 13 pontos. Por outro lado, com a quarta derrota consecutiva e o jejum de vitórias fora de casa mantido, o Peixe segue na zona da degola, com 10 pontos.

A partida marcou a despedida de Augusto César do comando do Goiás, já que a diretoria já se acertou com Juninho Camargo, ex-auxiliar de Paulo Roberto Falcão. Aliás, o novo comandante assistiu a atuação de gala de sua equipe dos camarotes do estádio.

Em crise profunda, o Santos recebe o Figueirense na Vila Belmiro, às 18h30 do próximo sábado. Já o Goiás, que venceu uma partida depois de oito rodadas sem sair de campo com os três pontos, visita o Cruzeiro, no Mineirão, às 16 horas de domingo.

Sem empolgação
Goiás e Santos iniciaram o duelo desta quarta empatados com 10 pontos e necessitando da vitória para fugir da zona de rebaixamento. Porém, a primeira etapa não empolgou os poucos torcedores que compareceram ao estádio Serra Dourada. Com as arquibancadas praticamente vazias, as duas equipes pareciam mais preocupadas em não levar gols e se respeitaram muito na primeira metade da etapa inicial.

Aos 6 minutos, Bruno Henrique teve a melhor chance de marcar, após receber lançamento nas costas de David Braz, mas Vancerlei saiu rápido do gol e ganhou a dividida com o atacante.

O jogo só engrenou à partir dos 25 minutos, quando Thiago Maia deu um lindo passe para Gabriel, em lance de contra-ataque. Só zinho, o camisa 10 do Peixe bateu quase sem ângulo e forçou Renan a trabalhar.

Aos 28, já com o jogo mais movimentado, o Santos chegou de novo. Rafael Longuine jogou em Gabriel, que fez a parede e tocou para Ricardo Oliveira, mas Renan evitou o gol ao tirar a bola com o pé.

No lance seguinte, Liniker, que recebeu o nome em homenagem ao craque inglês, arriscou chute de longe e quase surpreendeu Vanderlei, que fez bela defesa. Aos 40, novamente o atleta do Goiás arriscou de fora da área e mais uma vez viu Vanderlei se dar bem, desta vez em bola rasteira.

Na sequência da jogada, Rodrigo cabeceou, após cobrança de escanteio, e viu a bola sair pela linha de fundo, assustando o time santista.

O jogo

Oposto ao primeiro tempo, a etapa complementar começou agitada. Logo aos dois minutos, Lucas Otávio atropelou Bruno Henrique dentro da área e cometeu pênalti. Na cobrança, Felipe Menezes deslocou Vanderlei e abriu o placar.

O Peixe voltou irreconhecível após o intervalo e foi punido por isso. Aos 6 minutos, Felipe Menezes cobrou falta na área. Werley afastou mal e o zagueiro Fred bateu para o fundo do gol.

Marcelo Fernandes, então, resolveu colocar o time para frente e sacou Lucas Otávio para a entrada de Neto Berola. O alvinegro quase diminuiu com Ricardo Oliveira, mas aos 13 levou o terceiro em uma falha terrível de Thiago Maia. O jovem volante perdeu a bola ainda no campo de defesa. No contra-ataque, Felipe Menezes bateu de fora da área e fez seu segundo gol no jogo.

A jovem equipe santista sentiu o momento ruim e não conseguia mais sair jogando. E em mais um erro infantil, o Esmeraldino chegou ao quarto gol. Daniel Guedes foi atrasar a bola de cabeça para Vanderlei, mas acabou servindo Bruno Henrique, que avançou até a linha de fundo e cruzou para Carlos Eduardo marcar, já com gol vazio. A esta altura, o Santos tentava apenas se reencontrar em campo. O Goiás sobrava e tocava a bola como queria. Com triangulações e sem qualquer dificuldade, o time da casa por pouco não chegou ao quinto gol na sequência.

No Peixe, Gabriel e Daniel Guedes saíram para as entradas de Marquinhos Gabriel e Caju, respectivamente. Com isso, Marcelo Fernandes conseguiu colocar seu time novamente no jogo. Até porque o ímpeto dos goianos já não era mais o mesmo.

Aos 43, Neto Berola ainda sofreu pênalti de Rodrigo e Ricardo Oliveira diminuiu o prejuízo santista. O camisa 9 chegou aos oito gols no Campeonato Brasileiro e segue como artilheiro isolado da competição, mas sequer teve coragem de comemorar. Desta forma, o jogo acabou com muita comemoração dos donos da casa e com os santistas nitidamente abatidos com mais um tropeço.

Após sofrer goleada, David Braz sai em defesa de Marcelo Fernandes

O Santos acabou sendo goleado no confronto direto frente o Goiás, nesta quarta-feira, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com a derrota por 4 a 1 e a manutenção da equipe na zona de rebaixamento, o clima no time de Vila Belmiro ficou ainda pior. Agora, já são quatro derrotas seguidas. Apenas uma vitória nos últimos dez jogos. Diante dessa situação, David Braz fez questão de defender Marcelo Fernandes das críticas, mesmo ciente de que o técnico deixará o comando do time. A diretoria santista já avisou que deve anunciar o novo treinador nesta quinta. Dorival Jr, Alexandre Gallo e Doriva concorrem à vaga.

“Com certeza a diretoria procura fazer o melhor. Na minha opinião, o Marcelo não tem culpa. É um grupo. Ele ajudou a conquistar o Paulista. Estamos passando por um momento ruim, a responsabilidade é de todos. Deixamos para a diretoria fazer o melhor. Vamos respeitar a decisão deles e procurar fazer o melhor para o Santos”, comentou o zagueiro.

Ao analisar a péssima partida da equipe, o zagueiro teve dificuldades para explicar o apagão sofrido no segundo tempo, quando o Peixe acabou levando quatro gols em 16 minutos, e acusou o cansaço dos jogadores como justificativa.

“O segundo tempo foi muito rim. O pênalti desestabilizou a equipe. O Goiás é rápido, acabamos dando espaços. Viemos de duas partidas fortes, Porto Alegre, Rio de Janeiro, ficamos com um a menos contra o Grêmio, viemos jogar em um campo grande, contra uma equipe rápida. Agora é levantar a cabeça para poder ganhar contra o Figueirense. Vamos levantar a cabeça para reverter lá na Vila Belmiro”, afirmou.

Capitão, Ricardo Oliveira detona postura da diretoria santista

Se algum jogador ainda goza de credibilidade no elenco santista mesmo diante da atual crise do time, este é Ricardo Oliveira. Capitão da equipe, artilheiro do Campeonato Brasileiro e autor de oito dos 13 gols que o Peixe marcou até agora na competição, o centroavante não perdoou a diretoria santista pela postura adotada nos últimos dias sobre a situação que envolve a saída de Marcelo Fernandes e a chegada de um novo técnico, tudo sem consulta ou conversa com o grupo de jogadores.

“Atrapalha muito. Atrapalha não só na programação, na organização. Mas deixa uma situação desconfortável para todos, porque é uma demonstração de que o trabalho que está sendo realizado aqui não está sendo muito bom. E deixar essa situação aberta a todos… E a gente fica sabendo pela imprensa, porque não é passado nada”, desabafou o camisa 9, que também foi artilheiro e melhor jogador do Campeonato Paulista.

Sobre o jogo, o sempre sereno e racional Ricardo Oliveira tentou poupar críticas aos companheiros de time, mas se mostrou irritado com a situação depois da goleada sofrida pelo Goiás por 4 a 1.

“Não dá para a gente ficar encontrando algumas situações. É evidente, está claro. Temos levado alguns gols que são inadmissíveis”, disse. “Fato é que a gente está em uma situação muito complicada. Não sei se tem haver com essas indefinições, mas não podemos permitir fazer um segundo tempo igual o que fizemos”, completou, lembrando que, nesta quarta, o Peixe levou todos os gols na etapa complementar, mais precisamente em apenas 16 minutos.

Nesta quinta-feira, mesmo sem qualquer consulta ao elenco, a diretoria santista deve acertar a contratação de Dorival Jr. Marcelo Fernandes, que segue com prestígio com o grupo, voltará a ser auxiliar no clube.

Fernandes vê trabalho positivo e reclama de ‘silêncio’ da diretoria

Marcelo Fernandes fez, provavelmente, seu último jogo à frente do Santos nesta quinta, quando a equipe acabou sofrendo uma goleada por 4 a 1 para o Goiás. Mesmo assim, ao analisar seu próprio trabalho no comando do Alvinegro Praiano, o treinador se mostrou orgulhoso e convicto de que fez o seu melhor, e lamentou apenas a falta de transparência da diretoria com o elenco.

“Avaliação super positiva. Minha consciência é super positiva. O pessoal que vai no dia a dia sabe o quanto eu trabalho, sabe o quanto foi duro mudarmos aquela postura que tinha no Paulsita, naquelas sete rodadas, onde o grupo realmente estava angustiado pelas circunstâncias que aconteciam”, disse Fernandes, lembrando do clima pesado e da falta de união que existia por causa da insatisfação do elenco com até então treinador, Enderson Moreira.

“Eu, modéstia à parte, junto com o Serginho (Chulapa), tivemos uma conversa legal com a molecada. A molecada entendeu, já vinha na nossa faz tempo. E, graças a Deus, fomos premiados com o título. E as coisas aconteceram, perdemos muitos jogadores, o Campeonato Brasileiro é pesado. Minha avaliação é muito boa por tudo que a gente passou, e faz parte um clube grande passar por tudo isso”, completou.

A falta de resultados, porém, fez com que a diretoria desistisse de Marcelo Fernandes, que voltará a ser auxiliar. Nesta quinta-feira, Dorival Jr se reúne com a cúpula do clube para selar seu retorno ao Peixe.