Santos 2 x 0 Joinville

Data: 26/07/2015, domingo, 11h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.974 pagantes
Renda: R$ 335.725,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Marcio Eustaquio Sousa Santiago e Marcus Vinicius Gomes (ambos de MG)
Cartões amarelos: Zeca e David Braz (S); Fabrício e Anselmo (J).
Gols: Gabriel (03-1) e Gabriel (17-1).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Renato, Paulo Ricardo e Marquinhos Gabriel; Geuvânio (Elano), Gabriel (Marquinhos) e Nilson (Serginho).
Técnico: Dorival Junior

JOINVILLE
Agenor; Arnaldo, Guti, Douglas Silva e Rogério; Anselmo, Fabrício (Luis Meneses) e Naldo (Marcelo Costa); William Popp (Kempes), Marion e Silvinho.
Técnico: Adilson Baptista



Com show de Gabriel, Santos vence JEC e deixa a zona de rebaixamento

Tirado da cama mais cedo neste domingo, o torcedor do Santos poderá curtir o restante do dia com alívio e tranquilidade. Na Vila Belmiro, o Peixe bateu o lanterna Joinville por 2 a 0 em jogo iniciado às 11 horas e deixou a zona de rebaixamento para trás nesta 15ª rodada.

Sem Ricardo Oliveira e Lucas Lima, os gols foram marcador pelo garoto Gabriel aos três e aos 17 minutos do primeiro tempo. Sob muitos aplausos, o atacante deixou o gramado com dores na coxa ainda aos 41 da etapa inicial, substituído por Marquinhos.

Com o triunfo, o Alvinegro Praiano é o 15º colocado na tabela da Série A do Campeonato Brasileiro com 16 pontos somados. São sete a mais do que o próprio JEC, lanterna com apenas nove. Vale destacar que Goiás, Vasco e Coritiba ainda entram em campo na tarde deste domingo, mas seus resultados não podem devolver o Santos à degola.

O jogo

Se a ideia do técnico Dorival Júnior era vencer e convencer na Vila Belmiro, o treinador tem muito a agradecer ao garoto Gabriel. Logo aos três minutos de jogo, Zeca – que vinha desacreditado antes da chegada do treinador – trabalhou com Geuvânio e cruzou fechado, encontrando o atacante no segundo pau. Com um carrinho, Gabriel empurrou para o fundo da rede e abriu o placar para o Santos.

Nervoso com a situação na lanterna, o atual campeão da Série B reagiu com agressividade após o gol. Aos 13, Fabrício aplicou um carrinho perigoso sobre Nilson, que por pouco não tirou o santista da partida. Do mesmo modo, Gabriel passou a ser caçado em campo, já antecipando as pancadas na coxa que o tirariam do jogo mais tarde.

Do outro lado, o Santos respondeu aos 17 minutos, quando Marion bobeou na intermediária e entregou a posse da bola de presente para Marquinhos Gabriel. Substituto de Lucas Lima na partida, o meia lançou o “xará” Gabriel, que reagiu às pancadas invadindo a área e tocando na saída do goleiro para ampliar o placar na Vila Belmiro.

Aos 39, o Peixe ainda chegou com Geuvânio, que driblou a marcação tricolor e concluiu para meta, exigindo uma bela defesa de Agenor. Dois minutos depois, a coxa de Gabriel recebeu o último toque deste domingo, quando o atacante enfim sentiu dores musculares na região e, sob muitos aplausos, foi substituído por Marquinhos.

Sem a velocidade de Gabriel, o Santos tratou de encontrar alternativas ofensivas para o segundo tempo, uma vez que o técnico Dorival Júnior não tinha atacantes no banco de reserva. Deste modo, o zagueiro David Braz surpreendeu ao aparecer na área em mais de uma oportunidade. Na primeira delas, foi flagrado em posição de impedimento.

Na segunda, entretanto, protagonizou um dos lances mais polêmicos do jogo. Alvo de um lançamento pelo alto, o beque se aproximava do domínio quando o goleiro Agenor fez o corte com as mãos – fora da área, segundo a torcida santista. Para a frustração da Vila Belmiro, a arbitragem não viu nenhuma irregularidade na saída do arqueiro.

Talvez o lance mais perigoso do Joinville em todo o confronto tenha ocorrido aos seis minutos, quando Zeca interrompeu o contra-ataque de Silvinho com uma falta na entrada da grande área. Mas a expectativa de Adilson Batista não se tornou realidade, uma vez que a cobrança de Marcelo Costa deixou a desejar e não assustou o goleiro Vanderlei ao passar à esquerda da meta.

Se o ritmo santista já estava lento sem Gabriel, a equipe desacelerou ainda mais após a saída de Geuvânio, que deixou o campo para a entrada de Elano. Mais experiente, o meio-campista auxiliou na contenção das poucas investidas do Joinville, que não voltou à área alvinegra. Melhor para o Peixe, que agora pode curtir o restante do domingo com a garantia de não voltar à degola da Série A.

Bastidores – Santos TV:

Capitão no triunfo sobre o JEC, Renato avisa: “Falta vencer fora da Vila”

Com o artilheiro Ricardo Oliveira suspenso, a faixa de capitão coube a Renato. Para a felicidade do volante, o Santos conseguiu a vitória por 2 a 0 sobre o Joinville, na Vila Belmiro, e deixou a zona de rebaixamento nesta 15ª rodada. Mesmo assim, o atleta deixou o alerta: falta uma vitória fora de casa.

“Temos que continuar buscando os pontos que a gente deixou escapar aqui em casa. Claro que essa vitória traz alivio, mas ainda estamos brigando para manter distância da zona de rebaixamento. É uma situação incomoda para qualquer clube e vamos brigar jogo a jogo por isso. Nós ainda não conseguimos vencer fora de casa, falta essa regularidade”, alertou o volante.

“Falta buscar os pontos fora de casa, não só dentro da Vila. O grupo mostrou maturidade e a gente espera crescer e somar pontos a cada jogo para subir na tabela. Nenhum clube gosta de trabalhar na zona de rebaixamento, ainda mais um time como o Santos, que sempre briga por coisas mais importantes”, completou Renato. Até o momento, o Santos disputou oito partidas fora de casa, empatando duas e perdendo seis.

Mais uma vez não vazado, o goleiro Vanderlei celebrou o triunfo. “A gente sabe que se não tomar gols ali atrás, os atacantes ganham mais tranquilidade na frente. O nosso time é muito técnico e capaz de fazer gols. Com as vitórias, vem a tranquilidade e a confiança, que são fundamentais”, avaliou o arqueiro, em sintonia com o centroavante Nilson.

“É bom para respirarmos mais aliviados na competição. A gente vem treinando muito forte para aguentar jogar os dois tempos, mas as pernas cansaram um pouco agora no finalzinho devido ao horário (a partida ocorreu às 11 horas) e o calor. O centroavante vive de gols, mas sou muito solidário quando estou jogando. Procuro ver quem está melhor posicionado para passar a bola. O time está unido e brigando para deixar essa situação incomoda”, finalizou Nilson.

Dorival aponta desgaste físico por jogo contra o Sport e novo horário

Embora o Santos tenha selado o placar de 2 a 0 com 17 minutos de jogo, o técnico Dorival Júnior conseguiu apontar as dificuldades enfrentadas pela sua equipe na vitória sobre o Joinville. Segundo o treinador, o Peixe sofreu por não estar plenamente recuperado do duelo contra o Sport, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil.

“Hoje eu senti que o desgaste do jogo com o Sport ainda não havia sido plenamente recuperado, estávamos bem abaixo do vigor físico necessário em razão do desgaste nos 90 minutos anteriores”, avaliou Dorival, que ainda viu seu time tendo que se adaptar ao horário das 11h.

“Para nós, fora de campo, o horário é um pouco diferente do habitual. Imagine então para quem está dentro, altera muita coisa. Tentamos nos adaptar a essa nova rotina, mas é difícil”, desabafou.

Pelo menos, o Alvinegro Praiano também havia vencido a desgastante partida contra os rubro-negros por 3 a 1 com dois gols de Gabriel – que também marcou uma dobradinha neste domingo, na Vila – e um de Geuvânio.

“Não posso me esquecer dessa garotada. Alguns saíram da equipe titular, mas estão trabalhando forte e esperando o momento oportuno para aparecer e corresponder. Estou satisfeito, até porque nessas ultimas apresentações nós sofremos muito pouco e conseguimos criar um pouco mais”, celebrou o treinador.

“O Zeca realmente teve um bom início, vem crescendo bastante com a gente. Hoje fez uma bela partida, assim como o Marquinhos Gabriel. São jogadores que ainda podem dar muito mais. Espero que esse crescimento continue acontecendo, acho que vai ser muito importante”, finalizou Dorival Júnior, que dará folga ao elenco santista nesta segunda-feira.

Otimista por reforços, Dorival ressalta nova “noção tática” de Gabriel

O bom desempenho do atacante Gabriel contra Sport e Joinville agradou ao professor Dorival Júnior. Mesmo assim, os quatro gols marcados pelo garoto nas duas partidas não são prioridade para o treinador.

“Tomara que ele continue mantendo essa postura. Para mim não importa se são cinco, quatro, três ou nenhum gol. Para mim, importa a presença que ele tem tido dentro de campo e o interesse em nos ajudar. Isso é o mais importante”, exaltou Dorival.

“O que eu vejo é coletivo, o Gabriel está trabalhando muito nesse sentindo e ganhando uma noção tática maior. Tenho certeza que os treinadores anteriores também pegaram no pé dele”, avaliou o comandante, que perdeu Gabriel por uma lesão na coxa aos 41 minutos do primeiro tempo e se viu sem atacantes no banco de reservas.

Por isso, o treinador santista já admite dar atenção ao mercado. “Nós realmente não tínhamos atacantes no banco, e essa é uma carência que estamos buscando resolver. O meu banco era formado praticamente em cima de jogadores de meio e retaguarda. Nós estamos em busca desses atletas para que possamos dar um suporte ofensivo maior”, revelou Dorival.

“Estou otimista em relação à chegada de reforços, a diretoria vem trabalhando de forma intensa em busca de alguns nomes. Dentro das nossas condições, não tenho dúvida de que chegarão dois ou três atletas”, concluiu o técnico, que não pôde contar com o artilheiro e capitão Ricardo Oliveira na vitória sobre o Joinville.

Gabriel retoma confiança com Dorival e decola em dois jogos no Santos

Santista declarado e com fome de bola, Gabriel viu do banco de reservas o título paulista do Santos ano e trabalhou à sombra de Robinho durante o primeiro semestre de 2015. Situação alterada com a chegada de Dorival Jr ao comando técnico da equipe e a saída do camisa 7, rumo à China. O jovem de 18 anos marcou quatro gols nos últimos dois jogos.

O bom futebol de Gabriel voltou à Baixada junto com Dorival, também reincidente. Na estreia do novo técnico, o garoto balançou as redes contra o Figueirense, e contribuiu para a vitória santista.

Passou em branco contra o Palmeiras, no Palestra Itália, mas não sem ter uma boa atuação, bem como grande parte do time escalado na capital. As pazes com as redes foram seladas de vez na partida seguinte.

Pela Copa do Brasil, na última quarta-feira, o camisa 10 marcou dois na vitória por 3 a 1 sobre o Sport, e foi fundamental na classificação do Santos às oitavas de final da competição na partida da Vila Belmiro.
Mais uma vez em casa, Gabriel precisou de 18 minutos para sacramentar o triunfo santista contra o lanterna do Brasileirão, Joinville, neste domingo. O primeiro gol saiu aos três e o segundo aos 18 da etapa inicial.

Substituído aos 41 com dores musculares na coxa direita, o camisa 10 garantiu sua permanência em campo no sacrifício, se preciso fosse. Dorival não arriscou perder seu atacante para os próximos compromissos.

São sete gols na temporada com a camisa do Peixe, cinco nos últimos quatro jogos. Gabriel terá a semana livre para se recuperar e mostrar no Maracanã, no próximo sábado, que merece de fato ser titular do Santos, justamente contra o Flamengo, time contra o qual estreou em maio de 2013, no Mané Garrincha, em Brasília, na despedida de Neymar.