Bahia 2 x 2 Santos

Data: 23/01/2016, sábado, 19h30.
Competição: Amistoso
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador, BA.
Público: 10.429 pagantes
Renda: R$ 250.561,50
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Auxiliares: Dijalma Silva Ferreira Júnior e Marcos Welb Rocha de Amorim (ambos da BA).
Cartões amarelos: Paulo Roberto, Gustavo, Hayner e Paulo Roberto (B); Victor Ferraz, Alison, Lucas Lima e Caju (S).
Cartão vermelho: Caju (S)
Gols: Gabriel (24-1); Hernane (03-2), Hernane (10-2) e Serginho (46-2).

BAHIA
Marcelo Lomba; Cicinho (Hayner), Robson (Dedé), Gustavo (Éder) e João Paulo (Júnior); Paulo Roberto (Yuri), Danilo Pires (Gustavo Blanco) e Juninho (Rômulo); Luisinho (Mario), Hernane (Jeam) e Edgar Junio (Zé Roberto)
Técnico: Doriva

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz (Caju), Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Zeca (Léo Cittadini); Alison (Rafael Longuini), Thiago Maia (Lucas Otávio) e Lucas Lima (Ronaldo Mendes); Paulinho (Vitor Bueno), Gabriel (Marquinhos) e Joel (Serginho).
Técnico: Dorival Júnior



Bahia e Santos empatam em amistoso comemorativo na Fonte Nova

A festa pelos 85 anos do Bahia foi quase completa. Neste sábado, o amistoso comemorativo com o Santos terminou empatado por 2 a 2. Gabriel abriu o placar para o Peixe, no primeiro tempo. O Bahia virou o jogo com dois gols de Hernane Brocador, no início da etapa final, mas nos últimos minutos, o Santos igualou o marcador com Serginho.

A partida marcou a apresentação oficial do uniforme e do elenco do Bahia para a temporada de 2016, além de celebrar o aniversário do clube. Antes de a bola rolar, teve jogo entre o time máster do Bahia e o Ypiranga e show da banda Ara Ketu.

O jogo

A partida começou equilibrada, com as duas equipes marcando forte e dificultando as ações ofensivas do adversário. Os donos da casa controlavam a posse de bola no início e buscavam o ataque, principalmente pelo lado direito. Aos seis minutos, Luisinho fez boa jogada e deixou com Cicinho, que cruzou para a área. A zaga do Santos afastou o perigo, mas a bola sobrou para Danilo Pires, que chutou de primeira. A bola desviou na marcação santista e ficou tranquila para a defesa de Vanderlei.

O Santos se fechava na defesa e apostava no contra-ataque. Na marca de sete minutos, Gabriel puxou o contragolpe e acionou Joel, que caiu pela direita. O camaronês cruzou rasteiro para a área e Marcelo Lomba interceptou, mandando para escanteio. Paulinho aparecia na segunda trave pronto para empurrar para o gol.

O Bahia seguia mais presente no campo de ataque, criando oportunidades de marcar. Aos oito minutos, Hernane avançou pelo meio e tocou em profundidade para Luisinho, que se projetou na área. Vanderlei saiu nos pés do atacante tricolor e abafou a jogada. Em outra jogada dos donos da casa, Cicinho recebeu de Luisinho na direita, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro. Hernane chegou batendo, mas mandou por cima do gol.

O Santos suportava a pressão do adversário e também chegava ao ataque. Aos 18 minutos, Thiago Maia recebeu pelo meio, se livrou da marcação e chutou no canto de Marcelo Lomba, que defendeu com firmeza. O Bahia respondeu na sequência, com Juninho. O meia arriscou de longa distância e carimbou o travessão de Vanderlei.

O Santos mantinha a estratégia de dar campo ao Bahia e avançar em velocidade nos contra-ataques. Na marca de 21 minutos, Lucas Lima avançou pelo meio e acionou Paulinho na esquerda. O atacante puxou para dentro e bateu forte. Marcelo Lomba fez a defesa. A marcação forte do Peixe deu resultado aos 24 minutos, quando Lucas Lima desarmou Paulo Roberto e lançou para Joel, que foi em direção ao gol e, na saída de Lomba, rolou para Gabriel empurrar para o fundo das redes.

O gol sofrido não mudou a maneira do Bahia atuar, que teve duas boas chances de empatar a partida em sequência. Aos 25, João Paulo desceu pela esquerda e cruzou na medida para Juninho, que cabeceou forte buscando o canto esquerdo de Vanderlei. A bola bateu no chão e encobriu a meta alvinegra. Dois minutos depois, Luisinho finalizou de fora da área e a bola passou perto da trave esquerda do arqueiro santista.

O Bahia voltou para o segundo tempo com a mesma intensidade no ataque e rapidamente conseguiu o empate. Logo com três minutos de bola rolando, Hayner passou por Caju, foi à linha de fundo e cruzou para Hernane, que bateu de primeira no canto direito de Vanderlei, que nada pôde fazer para evitar o gol.

A virada do Tricolor do Aço não demorou a acontecer. Aos nove minutos, Danilo Pires fez jogada individual pela esquerda, invadiu a área e foi derrubado por Caju. O árbitro marcou pênalti. Hernane deslocou Vanderlei na cobrança e colocou o Bahia em vantagem na partida.

O segundo tempo foi marcado por muitas alterações em ambas as equipes, que serviram os técnicos avaliarem o restante do elenco. Com isso, a partida perdeu em intensidade e não teve tantos lances de perigo quanto na etapa inicial. O Peixe conseguiu o empate nos acréscimos, com Serginho. O volante fez jogada individual, girou sob o marcador e chutou de longe, de perna esquerda, no ângulo de Marcelo Lomba, que se esticou todo, mas não conseguiu fazer a defesa.

Bastidores – Santos TV:

Serginho comemora primeiro gol como profissional do Santos

O amistoso de pré-temporada contra o Bahia, neste sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador, consagrou o volante Serginho, que marcou seu primeiro gol como profissional vestindo a camisa do Santos. O jogador entrou no segundo tempo e empatou o jogo já nos acréscimos, acertando um chute de fora da área no ângulo direito do goleiro Marcelo Lomba.

“Estou muito feliz por fazer esse gol muito lindo, meu primeiro gol como profissional e só tenho a agradecer a Deus por tudo”, disse Serginho ao Esporte Interativo no final da partida.

O jogador revelou que está de contrato novo com o Peixe e agradeceu ao clube pela extensão do vínculo. “Eu renovei até 2018 e fico muito feliz pelo Santos acreditar no meu potencial”, disse Serginho, que ainda comentou sobre uma possível volta de Robinho à Vila Belmiro.

“O Robinho é um ídolo no Santos. A equipe vai recebe-lo de braços abertos, estamos trocendo para ele vir para o time para dar uma amadurecida no time, temos muitos garotos novos e estamos esperando ele. Só depende dele e o Santos está de braços abertos”, concluiu.

O gol de Serginho rendeu elogios de Lucas Lima, o maestro do time, que iniciou a jogada do primeiro gol santista, marcado por Gabriel no primeiro tempo. O camisa 20 do Peixe viu o gol do companheiro do banco de reservas, pois deu lugar a Ronaldo Mendes.

“Foi um golaço do Serginho, jogador muito promissor que vem mostrando sua qualidade. Fico feliz pelo gol dele, porque conseguimos o empate no final do jogo”, disse Lucas Lima.

Dorival aponta falhas do Santos, mas aprova desempenho no amistoso

Dorival Júnior avaliou positivamente o desempenho do Santos no amistoso de pré-temporada contra o Bahia, neste sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador. De acordo com o treinador santista, a partida foi boa, pois as duas equipes procuraram jogar a todo o momento, buscando sempre o ataque e os gols.

“Acima de tudo foi um belo espetáculo, com as duas equipes procurando jogar. Era isso que nós queríamos ver. O resultado não tem muita importância, a não ser para o torcedor que comparece. O que nós queríamos ver era isso, duas equipes exigindo uma da outra e fizemos um espetáculo a altura”, pontuou Dorival ao Esporte Interativo, após o término do jogo.

Apesar de aprovar a atuação do Santos no amistoso, o comandante alvinegro fez questão de apontar o que considerou como falhas no jogo santista. Para Dorival, o Peixe começou a partida devagar, apresentando dificuldades na criação das jogadas ofensivas. O técnico santista cobrou mais participação dos zagueiros, dos volantes e dos laterais na transição da defesa para o ataque.

“Nossa transição esteve muito lenta no primeiro tempo em razão da pouca saída de bola que tivemos com os volantes e a necessidade do Lucas Lima vir buscar essa bola, praticamente precisando tirar a bola dos pés dos volantes. A equipe precisa ter uma transição mais alta, fora do campo de defesa. Esse início de jogada tem que passar obrigatoriamente pelos pés dos volantes ou dos zagueiros ou dos laterais para aí sim começarmos a abastecer os jogadores de meio e de frente. E isso não aconteceu. Mas no geral nosso desempenho teve mais aspectos positivos do que negativos”, avaliou.