Novorizontino 3 x 3 Santos

Data: 13/02/2016, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Estádio Dr. Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte, SP.
Público: 8.505 pagantes
Renda: R$ 300.014,00
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Fabricio Porfirio de Moura
Cartões amarelos: Lima (N).
Gols: Gabriel (39-1); Pereira (07-2), Lucas Lima (12-2), Rayllan (22-2), Lima (26-2) e Victor Ferraz (39-2).

NOVORIZONTINO
Anderson; Éder Sciola, Domingues, Jéci e Paulinho; Adriano, Deda (Fagner), Pereira e Rayllan; Wesley (Lima) e Roberto (Cléo Silva).
Técnico: Guilherme Alves

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Zeca; Renato, Thiago Maia (Serginho) e Lucas Lima; Patito (Victor Bueno), Gabriel (Neto Berola) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Júnior.



Em jogo de seis gols, Peixe arranca o empate contra o Novorizontino

O Novorizontino não recebia uma grande equipe em seu estádio há 20 anos. Depois de tanto tempo, o torcedor local foi presenteado com uma grande partida contra o Santos, na noite deste sábado, pela 4ª rodada do Campeonato Paulista. No fim, depois de um duelo muito movimentado e imprevisível, o confronto acabou definido em 3 a 3. Com isso, o Peixe segue invicto e líder no Grupo A, com 8 pontos, enquanto o Tigre soma apenas 3 pontos, ainda sem conquistar nenhuma vitória, e ocupa apenas a quarta colocação no Grupo B.

Gabriel abriu o placar no único gol marcado no primeiro tempo. Pereira empatou logo no início da segunda etapa, pouco antes de Lucas Lima marcar mais um, em grande lance individual. Perdendo o jogo, o técnico Guilherme Alves, ex-centroavante que marcou história no Atlético-MG, fez três alterações quase simultâneas e viu dois de seus escolhidos virarem o jogo em seguida, para delírio da torcida local, que encheu o estádio Jorjão. Primeiro, Fagner empatou. Depois, Lima fez 3 a 2. Mas, nos minutos finais, Victor Ferraz, em bela cobrança de falta, decretou a igualdade.

O jogo

Depois de duas décadas, o torcedor do Novorizontino pôde assistir o time da casa novamente em ação contra uma grande equipe na cidade do interior de São Paulo. E o público não decepcionou. Com bandeiras e muita empolgação, o time comandado pelo ex-centroavante Guilherme tentou corresponder e fez 15 minutos de fora alucinante contra o Peixe.

Primeiro, Rayllan arriscou de longe, após jogada pela esquerda, e assustou Vanderlei. A resposta veio com Gabriel, que tentou surpreender o goleiro Anderson com um leve toque e viu a bola tocar a trave.

Na sequência, Pereira cobrou falta na entrada da área, a bola desviou na barreira alvinegra, enganou Vanderlei e saiu pela linha de fundo, deixando o grito de gol entalado da garganta dos torcedores locais.

A partida era lá e cá. Aos 19, Victor Ferraz fez bela jogada pela direita e cruzou para trás, mas Ricardo Oliveira bateu por cima. Dez minutos depois, já com o ritmo mais cadenciado, Adriano Pagode, ex-Santos, enfiou linda bola para Roberto, que finalizou para boa intervenção do camisa 1 santista.

E com tantas chances dos dois lados, já era esperado que mais cedo ou mais tarde a rede balançasse. E o gol saiu aos 39. A defesa do Novorizontino marcou bobeira e Renato aproveitou para lançar Ricardo Oliveira nas costas dos zagueiros. Em posição legal, o centroavante só teve o trabalho de rolar para Gabriel, que não desperdiçou e colocou o Santos na frente do placar antes do intervalo.

Na volta do segundo tempo, o técnico Guilherme Alves avisou que o Novorizontino não deixaria de atacar o Peixe, mesmo ciente do perigo com os contra-ataques. E o time não ficou só na promessa. Logo aos 7 minutos, Paulinho chegou com liberdade pela esquerda e bateu forte. Lucas Veríssimo desviou mal, para o meio, e Pereira empatou com belo chute no canto.

A festa da torcida, porém, durou pouco. Aos 12 minutos, Lucas Lima resolveu tudo sozinho. O meia matou arriscou jogada individual, entrou na área, limpou três adversários e bateu com o pé direito. Um golaço.

Com o empate, Guilherme não se intimidou e colocou seu time no ataque. E a estrela do treinador brilhou na noite deste sábado. Dois dos três atletas que Guilherme colocou no jogo, dois marcaram gols e viraram a partida em cima do atual campeão.

Aos 22, Rayllan deu linda assistência para Fagner no miolo da zaga santista e o meia bateu forte, no alto, para igualar o marcador novamente. Quatro minutos depois, Lima, que tinha acabado de entrar, recebeu pela esquerda, na entrada da área e, com muita liberdade, mandou a bomba para o gol. A bola foi rasteira, no cantinho de Vanderlei. 3 a 2 Novorizontino e um jogo digno do bom público que compareceu no estádio Jorjão.

Mas os santistas nas arquibancadas, que também apareceram em bom número, também tiveram seu momento de êxtase. Aos 39, quando o Santos demonstrava força para empatar o jogo, a bola parada acabou decidindo o placar final. Depois de muita reclamação por uma falta marcada na entrada da área, Victor Ferraz bateu com categoria para fazer 3 a 3.

O jogo ganhou ares de decisão e ficou nervoso nos minutos finais, mas nenhuma das duas equipes conseguiu anotar o gol que garantiria a vitória nesta quarta rodada do Paulistão.

Bastidores – Santos TV:

Após gol salvador, Victor Ferraz admite: “Temos muito para ajustar”

Victor Ferraz foi o herói improvável na noite deste sábado, em Novo Horizonte. Contra o time da casa, o Peixe sofreu. Depois de ficar a frente com gols de Gabriel e Lucas Lima, o alvinegro sofreu a virada e só voltou à Baixada com um ponto na bagagem graças a gol de falta de Victor Ferraz aos 39 do segundo tempo. Ao fim do jogo, o lateral falou sobre o confronto sem esconder sua insatisfação.

“Para quem estava assistindo, para o público que veio ao estádio, acho que foi um grande jogo. A torcida fez um grande espetáculo, tem que elogiar o campo. Quando é para criticar, a gente critica, mas o campo está muito bem cuidado aqui. Só tenho que glorificar a Deus pelo meu gol, mas a gente tem que melhor muito. Mérito deles, mas é a prova que tem muito o que ajustar”, disse o jogador ao Sportv.

Apesar da liderança no Grupo A do Campeonato Paulista e a invencibilidade na competição, Victor Ferraz se mostrou preocupado com o desempenho do time depois de quatro rodadas. Neste sábado, mais uma vez a equipe de Dorival Júnior demonstrou fragilidades e não conseguiu impor em campo todo seu favoritismo.

“A gente conseguiu ficar na frente duas vezes, mas acabou, por vacilo nosso mesmo, eles fazendo gol. A gente tem que ajustar muita coisa, porque a gente quer chegar longe, quer disputar o Brasileiro, quer disputar todos os campeonatos que a gente vai jogar”, analisou o lateral.

Dorival Junior lamenta chances perdidas, mas valoriza ponto fora de casa

Depois de um 3 a 3 eletrizante contra o Novorizontino, Dorival Júnior fez uma análise bastante tranquila da partida. O treinador santista evitou criticar sua equipe e só lamentou as oportunidades desperdiçadas que poderiam ter garantido a vitória neste sábado. Apesar de reconhecer alguns pontos negativos, Dorival também fez questão de valorizar o ponto conquistado como visitante na competição.

“Foi um belo jogo. O que eu lamento são as muitas oportunidades que nós tivemos e não conseguimos transformá-las em gols, o que nos daria uma condição diferente dentro da própria partida. Mas, ainda assim, nós não podemos deixar de reconhecer, primeiro, a qualidade que teve a equipe do Novorizontino, que foi até o fim, que acreditou até o fim, que conseguiu reverter um resultado inicial. Depois nós fomos buscar novamente”, analisou o comandante alvinegro, tentando apontar as dificuldades dentro do Campeonato Paulista.

“É dessa maneira. O campeonato é muito difícil, complicado. Cada ponto conquistado fora de casa tem que ser muito valorizado. E, até que encontremos nosso melhor, tanto físico, tecnicamente, taticamente, é natural que ainda oscilaremos um pouco. E temos que compreender essas alternâncias dentro das partidas”, completou.

Questionado sobre a condição física dos seus atletas, Dorival Júnior refutou que o cansaço tenha se sobressaído nos minutos finais e elogiou a postura dos jogadores em campo.

“De maneiras nenhuma. Fisicamente, nós suportamos o jogo e fomos até o fim. Teríamos até muito mais para darmos e temos essa condição estabilizada. Logicamente que é uma crescente e a equipe vai se estabilizando aos poucos. Estamos em um processo inicial, todas as equipes passando por essas oscilações. Um jogo muito difícil, truncado, muito pegado, muito disputado. O Santos teve o placar a seu favor, teve o placar contra. Tivemos coisas positivas ao longo dos 90 minutos, tivemos também coisas negativas. Mas é assim. Somando, com dificuldades”, explicou.

Dificilmente o técnico do Peixe se conforma com um empate diante de um adversário de nível técnico inferior. Neste sábado, porém, apesar de todo o favoritismo do Santos, Dorival preferiu ser mais brando em sua análise e entende que ainda é muito cedo para cobrar tanto a equipe.

“Algumas equipes já estão trabalhando há mais tempo do que as equipes que saíram (de férias) um pouco depois e essa diferença nós temos que tirar com a qualidade da nossa equipe, com as condições apresentadas ao longo da partida. Tivemos oportunidades reais de matarmos o jogo. As coisas não aconteceram e, de repente, três bolas encaixadas foram as três que foram no nosso gol. É assim, futebol é dessa maneira e nós temos que trabalhar para que as coisas voltem a acontecer de uma maneira mais natural”, concluiu.

Dorival cobra mudança de postura de Lucas Lima e Gabriel nos jogos

Desde o ano passado, Lucas Lima e Gabriel se consolidaram como grandes protagonistas do atual time santista. Nesta temporada, a dupla mais uma vez começou em alta. O meia já deu duas assistências para gol, sofreu um pênalti e, neste sábado, marcou um golaço. Enquanto isso, o jovem atacante já tem quatro gols em cinco jogos (contando o amistoso contra o Bahia) e duas assistências. Mesmo assim, Dorival Júnior ainda não está satisfeito. A dificuldade de Lucas Lima em fugir de uma marcação mais próxima e os ‘sumiços’ de Gabriel dentro de alguns jogos têm incomodado o comandante.

“Isso ai tem que mudar. São situações que os dois estão trabalhando. O Lucas já melhorou muito com relação a este aspecto. O Gabriel vem melhorando. Estamos exigindo. Precisamos de mais. Todos sabem que podemos dar muito mais. E eu acho que a partir desse momento vai acontecer uma evolução de todos”, comentou Dorival, preocupado também em elevar o moral dois de seus melhores jogadores no elenco.

“São jogadores de altíssimo nível, grande qualidade e que têm que usar também essa participação coletiva. Isso, aos poucos, vem acontecendo. Nós tivemos muito mais coisas positivas do que negativas dentro da partida. E isso é um fator que nos deixa um pouco mais confiantes”, ponderou.

Patito

Patito Rodriguez ganhou sua primeira oportunidade de começar jogando nesta temporada. Com Paulinho fora, o argentino enfrentou o Novorizontino e, apesar de não ter conseguido nenhum grande lance dentro do jogo, recebeu elogios de Dorival Júnior.

“Fez uma boa partida. Participação muito boa. Naturalmente, ele precisa de uma sequência um pouco maior para que ele alcance suas melhores condições. Mas já foi bem superior aos 20 minutos que ele teve contra a Ponte Preta”, comparou o técnico, que agora prepara sua equipe para o clássico contra o Palmeiras, no próximo sábado, no Palestra.