Santos 2 x 0 São Bento

Data: 16/04/2016, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – Quartas de Finais – Jogo único
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.051 pessoas
Renda: R$ 477.280,00
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo.
Auxiliares: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Patrick André Bardauil.
Cartões amarelos: David Braz (S).
Gols: Vitor Bueno (08-1) e Vitor Bueno (40-1).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia, Vitor Bueno e Lucas Lima (Rafael Longuine); Gabriel (Joel) e Ricardo Oliveira (Elano).
Técnico: Dorival Junior

SÃO BENTO
Henal; Régis Souza, João Paulo, Pitty e Marcelo Cordeiro; Fábio Bahia, Éder (Diego Clementino), Serginho Catarinense e Clébson (Everton Sena); Edno (Anderson Cavalo) e Rossi.
Técnico: Paulo Roberto Santos



Com dois de Vítor Bueno, Santos vence São Bento e vai para a semifinal

O Santos está na semifinal do Campeonato Paulista. Neste domingo, o Peixe avançou no Estadual ao vencer o São Bento por 2 a 0, na Vila Belmiro. Novo xodó de Dorival Júnior, Vítor Bueno foi o nome do jogo, marcando os dois gols da equipe e participando ativamente da partida.

Com o resultado, o Santos aumentou a sequência de invencibilidade na Vila Belmiro. Agora, o Peixe acumula 25 jogos sem perder em casa, sendo 22 vitórias e três empates. O Alvinegro Praiano segue na busca para chegar à oitava final consecutiva do Paulistão e levantar o caneco mais uma vez.

Classificado, o Santos espera a definição das quartas de final para conhecer seu adversário na briga por uma vaga na decisão do Campeonato Paulista. O rival santista sai do confronto entre Palmeiras e São Bernardo, que será realizado na próxima segunda-feira, às 21h (de Brasília), no Palestra Itália.

O jogo

Jogando diante de seu torcedor, o Santos foi logo para cima do São Bento. Com ritmo acelerado e trocas rápidas de passes, os alvinegros chegavam ao ataque com facilidade, principalmente pelos lados do campo. Victor Ferraz e Zeca subiam com liberdade para apoiar. E foi justamente em uma jogada iniciada pelo lado direito que o Peixe abriu o placar, aos oito minutos. Vítor Bueno tabelou com Gabriel, carregou pelo meio e chutou cruzado com categoria, sem a menor chance de defesa para Henal.

O gol sofrido no começo obrigou o São Bento a sair mais para o jogo. Na marca de 11 minutos, o time de Sorocaba chegou pela primeira vez ao ataque. Régis cruzou da direita, mas Victor Ferraz apareceu para cortar. No entanto, o Santos continuava dominando as ações e por pouco não ampliou, aos 14 minutos. Gabriel tocou de calcanhar para a passagem de Victor Ferraz, que cruzou buscando Ricardo Oliveira. A zaga afastou o perigo.

No meio do primeiro tempo, o Santos diminuiu o ritmo, mas não perdeu o controle do jogo. O São Bento equilibrou a posse de bola, mas não conseguiu assustar Vanderlei. O Peixe voltou a pressionar nos dez minutos finais. Aos 34, Ricardo Oliveira deixou Gabriel cara a cara com Henal, mas o atacante finalizou em cima do goleiro. Na sequência, Victor Ferraz cruzou com perigo e a zaga afastou. Aos 36, Henal defendeu cabeçada de Ricardo Oliveira e no ataque seguinte, Vítor Bueno apareceu livre dentro da área, porém chutou fraco.

Na marca de 39 minutos, Lucas Lima roubou uma bola pela esquerda, puxou o contra-ataque e rolou para entrada da área. Renato chegou batendo de primeira, mas pegou mal e mandou longe. No lance seguinte, Thiago Maia arriscou de fora, mas errou. A pressão santista teve resultado aos 40 minutos. Ricardo Oliveira recebeu bola de Gabriel, na esquerda da área, e bateu cruzado. Vítor Bueno apareceu na segunda trave para empurrar para o fundo das redes de carrinho e ampliar para o Peixe.

O São Bento voltou melhor para o segundo tempo. Em desvantagem no marcador, o time de Sorocaba precisava ir ao ataque. Na marca de sete minutos, Régis ganhou a bola no campo ofensivo, cruzou para a área e acertou o travessão de Vanderlei. Aos 15, o mesmo Régis arriscou de longe e mandou na rede pelo lado de fora, assustando os santistas. Aos 19, Edno recebeu no pivô e rolou para a direita. Rossi chegou batendo, mas Vanderlei defendeu.

O Santos mudou a maneira de jogar na etapa final e deu campo para o adversário jogar, apostando nas saídas rápidas nos contragolpes. O São Bento foi criando chances. Aos 24 minutos, Anderson Cavalo, que substituiu Edno, avançou pela esquerda, invadiu a área, driblou Vanderlei e, com o gol vazio, chutou na trave. O Peixe respondeu na sequência, com Ricardo Oliveira, que aproveitou cruzamento da esquerda e cabeceou com perigo.

O São Bento não desistia de tentar o gol. Aos 34 minutos, Joel errou na saída de bola santista e entregou para Everton Sena, que avançou em direção à área e bateu cruzado. A bola passou à direita de Vanderlei. Aos 36, o mesmo Everton Sena arriscou da entrada da área, mas mandou por cima. Aos 38, Diego Clementino ficou cara a cara com Vanderlei, mas o goleiro saiu bem e evitou o gol, garantindo a vitória do Peixe sem ser vazado.

Bastidores – Santos TV:

Santistas exaltam vitória e capacidade de suportar pressão do São Bento

O Santos garantiu presença na semifinal do Campeonato Paulista, neste domingo, ao vencer o São Bento por 2 a 0, na Vila Belmiro, com dois gols de Vítor Bueno. O Peixe dominou a partida no primeiro tempo e poderia ter conseguido um resultado elástico logo nos 45 minutos iniciais. Na etapa final, porém, o São Bento cresceu e pressionou, assustando os alvinegros.

Apesar do segundo tempo diferente do primeiro, os jogadores do Santos exaltaram a vitória e a classificação, assim como a capacidade de suportar a pressão imposta pelo time de Sorocaba. “Estamos felizes pelo resultado que construímos e pela vitória“, disse Ricardo Oliveira.

Gabriel, que teve atuação abaixo do que pode desempenhar, destacou a importância da vitória porque dá ao Santos o mando de campo na semifinal. “Importante a vitória porque nos dá a chance de jogar em casa na próxima fase. Foi convincente, soubemos sofrer no segundo tempo”, avaliou Gabriel.

“A gente teve bastante possibilidade no primeiro tempo e a equipe do São Bento é perigosa, eles estavam tentando encaixar um contra-ataque. Mas, graças à Deus, nós conseguimos bloquear os contra-ataques deles. Jogamos muito bem, não levamos gol e merecemos a classificação para a semifinal”, afirmou o zagueiro David Braz.

Para Renato, o Peixe relaxou com a tranquilidade do primeiro tempo e passou a errar mais. “A gente sabia que estava com resultado do primeiro tempo e erramos alguns passes, então não conseguimos ter mais chances. Controlamos, mas tivemos perigos por erros nossos”, declarou o experiente volante.

Dorival elogia primeiro tempo, mas critica erros de posicionamento

O Santos começou em ritmo intenso a partida contra o São Bento, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, e logo com oito de minutos já havia aberto o placar. Ao longo da primeira etapa, o Peixe ainda marcou o segundo gol e teve chances de ampliar o marcador, mas não as aproveitou. Dorival Júnior elogiou o desempenho inicial do time.

“A intensidade no primeiro tempo foi muito grande e nós tivemos algumas dificuldades depois, porque alguns jogadores ficaram sem atuar e sentiram o ritmo. Parece estranho, mas é a realidade. O São Bento cresceu e ficou com a posse de bola, até maior do que a que nós conseguimos antes”, afirmou.

O técnico santista destacou a movimentação constante e a rápida troca de passes dos jogadores, que criaram inúmeras oportunidades de gol. O comandante alvinegro, porém, não ficou satisfeito com a oscilação apresentada no segundo tempo.

“Foi interessante a criação de jogadas, a aproximação, a troca de passes. A oscilação é realmente o que acaba nos preocupando. Vamos trabalhar para buscar as correções para que não estejamos propensos às situações que criadas pelo adversário, possibilitadas pelo nosso posicionamento tático”, declarou.

Para Dorival, o modo de o Santos jogar, buscando o ataque a todo momento, fez com que o time não valorizasse a posse de bola e a vantagem que possuía, errando passes e dando espaços para o adversário atacar.

“Nossa equipe joga muito vertical e em alguns momentos atravessamos muito as jogadas, que poderiam ser de troca de bola, de posicionamento consistente. Acabamos, às vezes, comprometendo a maneira como a equipe estava distribuída para determinado lance, criando espaços em um momento ou outro do jogo”, avaliou o treinador alvinegro.

Atuação decisiva de Vítor Bueno rende louvores do treinador santista

Principal nome da classificação do Santos à semifinal do Campeonato Paulista, no último domingo, quando marcou os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre o São Bento, Vítor Bueno ganhou louvores do técnico Dorival Júnior pela atuação decisiva na partida.

“É uma satisfação ver um garoto buscando espaço, buscando confirmação. Ele vem conquistando seu espaço, dando seu recado. Acredito que a evolução siga acontecendo. Ele estava no sub-23, chamando pouco a atenção. Ainda está em trabalho de formação. Temos que caminhar com calma. Sempre que possível, a oportunidade vai acontecer”, disse Dorival.

Para o comandante alvinegro, Vítor Bueno se destaca pela qualidade técnica apresentada dentro de campo e, se continuar jogando com a mesma vontade, pode se tornar um grande jogador.

“Espero que continue crescendo, se apresentando sempre com um detalhe a mais. Isso cria confiança. Qualidade ele tem. É questão de tempo e de paciência para que se tenha o caminho natural. Fico feliz por visualizar um grande jogador pela frente”, finalizou.