Audax-SP 1 x 1 Santos

Data: 01/05/2016, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – Final – Jogo de ida
Local: Estádio Municipal José Liberatti, em Osasco, SP.
Público: 12.269 pagantes
Renda: R$ 463.730,00
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa.
Cartões amarelos: André Castro e Wellington (A); Lucas Lima e Gustavo Henrique (S).
Gols: Mike (12-2) e Ronaldo Mendes (34-2).

OSASCO AUDAX
Sidão; André Castro, Yuri, Bruno Silva e Velicka; Tchê Tchê, Camacho e Juninho (Wellington); Bruno Paulo, Mike e Ytalo.
Técnico: Fernando Diniz

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia, Vitor Bueno (Paulinho) e Lucas Lima (Ronaldo Mendes); Gabriel (Joel) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Santos arranca empate do Audax na primeira partida da decisão

A primeira partida da decisão do Campeonato Paulista foi disputada na tarde deste domingo, em Osasco. No acanhado Estádio José Liberatti, diante de aproximadamente 13 mil torcedores, o Santos começou em desvantagem, mas conseguiu arrancar o empate por 1 a 1 do Audax.

Às 16 horas (de Brasília) do próximo domingo, na Vila Belmiro, as duas equipes disputam a partida final e decidem por pênaltis em caso de novo empate. O Santos, invicto em seus domínios há 27 partidas, não perde no estádio desde o mês de julho do ano passado.

Superior na etapa inicial em Osasco, o Santos acertou duas bolas na trave com o centroavante Ricardo Oliveira. Na etapa complementar, o Audax passou a mandar no jogo e saiu na frente por meio de Mike. Ronaldo Mendes, substituto do lesionado Lucas Lima, definiu o resultado da primeira partida da final.

O jogo

Apesar do estilo de jogo do Audax, marcado pelo toque de bola e arriscado em alguns momentos, o Santos preferiu não pressionar o adversário na marcação. Os pupilos de Dorival Júnior atacavam a bola apenas se percebiam chance de roubá-la, de maneira coordenada.

O Santos quase marcou o primeiro gol em Osasco aos 35 minutos do primeiro tempo. Após roubada de bola no meio de campo, Lucas Lima acionou Ricardo Oliveira. O centroavante invadiu a área pela direita e acertou chute forte na trave defendida por Sidão.

Cinco minutos antes do final do tempo regulamentar, o Santos assustou novamente. Em cobrança de falta, Ricardo Oliveira fez a bola quicar diante de Sidão, que se atrapalhou e espalmou para o travessão. Vitor Bueno chegou a completar no rebote, mas o goleiro conseguiu se recuperar.

O Audax pouco fez durante o primeiro tempo, e Fernando Diniz mandou os reservas para o aquecimento antes do fim da metade inicial. Já nos acréscimos do árbitro Flavio Rodrigues de Souza, Bruno Silva avançou pela esquerda e, da intermediária, encontrou Mike nas costas da zaga. O atacante se esticou, mas mandou para fora.

O técnico Fernando Diniz resolveu trocar Juninho por Wellington no intervalo e o time passou a atacar de forma consistente. Aos 12 minutos do segundo tempo, o Audax abriu o placar. Tchê Tchê recebeu na direita e cruzou para Mike, que tirou a marcação de Gustavo Henrique e finalizou com sucesso.

Aos 16 minutos do segundo tempo, Lucas Lima recebeu longo lançamento do zagueiro David Braz e bateu para defesa de Sidão. Atingido pela marcação na jogada, o meia santista sentiu o tornozelo direito e, chorando, acabou substituído por Ronaldo Mendes.

Em vantagem e sem a necessidade de marcar Lucas Lima, o Audax cresceu e levou perigo aos 23 minutos do segundo tempo. Em uma jogada pelo meio, Mike tabelou com Ytalo e precisou se esticar para completar para o gol. Atento, Vanderlei desviou pela linha de fundo.

Aos 34 minutos do segundo tempo, pouco depois de ouvir gritos de “olé” da torcida local, o Santos chegou ao empate. De maneira infantil, Tchê Tchê tocou rasteiro para o meio no campo de defesa e teve passe interceptado por Ronaldo Mendes. Com espaço, o substituto de Lucas Lima chutou forte e Sidão não conseguiu evitar o gol.

Bastidores – Santos TV:

Herói santista lamenta lesão de Lucas Lima, mas se coloca à disposição

De maneira improvável, Ronaldo Mendes terminou a primeira partida da decisão do Campeonato Paulista como herói santista. Autor do gol de empate por 1 a 1 com o Audax na tarde deste domingo, o jogador disse torcer pela recuperação do titular Lucas Lima, mas se colocou à disposição para a segunda final.

Travado no momento de uma finalização, Lucas Lima torceu o tornozelo direito no segundo tempo e deixou o gramado chorando. O meia saiu do Estádio José Liberatti de muletas e passou a ser dúvida para o confronto decisivo, marcado para as 16 horas (de Brasília) do próximo domingo, na Vila Belmiro.

“É um jogador insubstituível na nossa equipe e acredito que até no futebol brasileiro. Vamos torcer para que possa se recuperar e nos ajudar no final de semana. Caso não se recupere, vou estar à disposição do professor Dorival para fazer o melhor”, declarou Mendes.

Com o time praiano em desvantagem no marcador, o jovem de 23 anos de idade entrou no lugar de Lucas Lima. Após ouvir gritos de “olé” da torcida local, Ronaldo Mendes interceptou passe de Tchê Tchê na intermediária e empatou em um chute potente aos 34 minutos do segundo tempo.

“Foi minha primeira final e acho que o Campeonato Paulista é o maior Estadual do Brasil. Sei que o Lucas é muito importante dentro do grupo e fiquei muito triste pela forma que aconteceu, mas feliz por ter aparecido a oportunidade naquele momento e por eu poder dar esse resultado”, declarou.

Com o empate em Osasco, o Santos mantém boas chances de título na Vila Belmiro, já que não perde em seu estádio há 27 partidas, desde o mês de julho do ano passado – em caso de nova igualdade, o campeão sai nos pênaltis. Responsável pelo gol fora de casa, Ronaldo Mendes evita o clima de euforia.

“Dominei a bola, girei e estava de frente. Os marcadores foram recuando e tive felicidade no chute para marcar. Foi um gol muito importante para equilibrar as chance de título dentro da Vila Belmiro, mas que não nos dá vantagem”, pontuou o atleta.

Lucas Lima deixa estádio de muletas, e Dorival tenta ser otimista

O meia Lucas Lima, principal jogador do Santos, deixou o Estádio José Liberatti de muletas após o empate por 1 a 1 contra o Audax, neste domingo. Questionado sobre a possibilidade de contar com meia na decisão do Campeonato Paulista, o técnico Dorival Júnior tentou ser otimista.

Lucas Lima sentiu lesão aos 16 minutos do segundo. Após longo lançamento do zagueiro David Braz, o meia dominou e chutou para defesa de Sidão. No momento em que finalizou, atingido pela marcação, o meia santista acabou torcendo o tornozelo direito.

O atleta deixou o gramado chorando e foi substituído por Ronaldo Mendes, autor do gol do Santos. Na saída do estádio, de muletas, ele entrou rapidamente em um carro e preferiu não conceder entrevista. “Só deu uma torcida”, afirmou, em entrevista à ESPN Brasil, antes de entrar no veículo.

O segundo e decisivo confronto entre Santos e Audax pela final do Campeonato Paulista está marcado para as 16 horas (de Brasília) do próximo domingo, na Vila Belmiro. Lucas Lima deve passar por exames já na segunda-feira para saber o grau da lesão.

“Preocupa, é natural. Foi uma torção no momento da batida em gol e não teve como ficar em campo. Vamos acompanhá-lo ao longo da semana”, disse Dorival Júnior. Pouco depois, ele foi contundente: “Eu vou contar com o Lucas no último jogo, com certeza.”

No momento em que perdeu o meia, Dorival Júnior resolveu promover a entrada de Ronaldo Mendes, que empatou o jogo em um chute de longe após interceptar passe de Tchê Tchê. A despeito do possível desfalque de Lucas Lima, o técnico santista mantém a confiança.

“Minha preocupação é com meu adversário, e não com o rendimento do Santos. Não tenho dúvida que o rendimento do Santos será bom, mas nosso adversário é altamente qualificado e também tem possibilidades de fazer um resultado lá dentro, com certeza. Nada está definido” disse Dorival Júnior.

Jogando na Vila Belmiro, o Santos tem uma invencibilidade de 27 partidas, já que não perde desde o mês de julho do ano passado. Em caso de empate com o Audax na tarde do próximo domingo, o título do Campeonato Paulista será decidido em cobranças de pênaltis.

Diniz joga favoritismo para o Santos, mas vê time pronto para encarar a Vila

O técnico Fernando Diniz, assim como o seu time, não abre mão de um estilo para comentar as partidas: adotando um tom calmo e pensativo na hora de dar as entrevistas, ele elogiou bastante a partida disputada por Santos e Osasco Audax na tarde deste domingo, no estádio José Liberatti, em Osasco, pela primeira final do Campeonato Paulista. Para ele, o 1 a 1 veio com um gosto “amargo” por ter levado um gol aos 34 minutos do segundo tempo, mas nada que assuste para o segundo jogo, na Vila.

“Fica um gosto amargo, mas faz parte do jogo, da vida. O importante é continuar lutando, naquela hora era nossa melhor hora no jogo, mas bola para frente”, comentou o treinador, que assegurou não ter se surpreendido com o fato de os santistas evitarem a famosa “pressão alta” na saída de bola, como haviam feito São Paulo e Corinthians, nas quartas e semifinal da competição, respectivamente.

“A gente treinou para as duas situações, pressão alta, como foi na Vila (vitória santista por 2 a 1, no último jogo da fase de classificação), e para esse tipo de jogo que favorece o santos. Não entregamos nada ali atrás, lá no campo de ataque, se cometesse erro, a gente sofria. Não fomos surpreendidos, não”, observou o comandante.

Para Diniz, seus atletas não sentiram o peso de decidir o título da competição. Na sua avaliação, além das difíceis eliminatórias pelas quais tiveram de passar até a decisão, os jogadores já sabem o que esperar da Vila Belmiro por causa do bom desempenho obtido em Itaquera, diante do Corinthians. O rival tinha 100% de aproveitamento em 12 jogos disputados em casa na temporada, mas os visitantes conseguiram um empate por 2 a 2 no tempo normal e levaram a vaga nos pênaltis.

“O jogo contra o Corinthians já foi o melhor treino que a gente podia ter para encarar um estádio lotado como vai ser na Vila Belmiro. Qualquer cochilo que você der diante de times dessa qualidade é uma chance de gol iminente. O mais importante do jogo da Vila é estudar e entender bastante a qualidade e a característica do Santos jogando em casa”, analisou, deixando viva a possibilidade de levar o título.

“Pela tradição e pelos jogadores selecionáveis, é inevitável o favoritismo do Santos. Mas, quando duas equipes chegam na final, todo mundo tem chance de ganhar. Lá na Vila o Santos é praticamente imbatível há algum tempo, mas temos que ir lá procurar fazer nosso melhor jogo no ano”, encerrou.

Com o resultado de 1 a 1, o Audax precisa de uma vitória simples na Vila Belmiro, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), para conquistar seu primeiro Campeonato Paulista. Em caso de nova igualdade, por qualquer que seja o placar, a decisão irá para a disputa de pênaltis.

Santistas valorizam empate e apostam em força na Vila Belmiro

O gol marcado na condição de visitante na primeira final do Campeonato Paulista não garante qualquer vantagem para a decisão, mas os santistas valorizaram o empate por 1 a 1 com o Audax, alcançado em Osasco na tarde deste domingo. Confiantes, os alvinegros creem na força da Vila Belmiro.

“Seria importante vencer para ficar com uma vantagem maior, mas infelizmente não conseguimos. Agora, a vantagem que temos é decidir em casa e todos sabem da nossa força na Vila. Contamos com o apoio do torcedor para buscar mais um título e espero que estejamos em uma tarde feliz”, disse o zagueiro David Braz.

O Santos iniciou o jogo sem pressionar o adversário na marcação e foi amplamente superior durante o primeiro tempo. Ricardo Oliveira acertou a trave duas vezes na metade inicial, uma delas em cobrança de falta. Na etapa complementar, o centroavante teve nova chance de marcar.

“Todo o mundo queria sair daqui com a vitória, mas deu empate e foi justo. Levamos a decisão para a nossa casa e esperamos levantar o troféu lá dentro. Temos que trabalhar durante a semana e aproveitar a vantagem de decidir na Vila Belmiro”, disse Ricardo Oliveira.

O Santos defende uma série de 27 partidas sem derrota em seu estádio, já que não perde desde o mês de julho do ano passado. Levando em conta apenas jogos válidos pelo Campeonato Paulista, a última derrota na Vila Belmiro data de 2011, diante do Palmeiras.

“São dois jogos e não tem favorito. Agora, é vencer na Vila Belmiro, a gente tem essa força. Ganhamos a condição de jogar em casa e vamos usar isso a nosso favor. O estádio vai estar lotado e vamos partir para cima deles”, afirmou o jovem atacante Gabriel.

O segundo e decisivo confronto entre Santos e Audax está marcado para as 16 horas (de Brasília) do próximo domingo. Com uma torção no tornozelo direito, Lucas Lima foi substituído por Ronaldo Mendes durante o segundo tempo e pode desfalcar o time praiano.

Apesar da possível ausência do meia da Seleção Brasileira, Victor Ferraz mantém o otimismo. “Vamos jogar na Vila Belmiro com casa cheia e adoramos atuar assim. A torcida vai inflamar e a gente vai para cima na tentativa de ganhar o título”, afirmou o lateral.