Santos 2 x 0 Sport Recife

Data: 15/06/2016, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.937 pagantes
Renda: R$ 123.620,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Lucio Beiersdorf Flor (RS) e Fabiano da Silva Ramires (ES).
Cartões amarelos: Gustavo Henrique (S); Luiz Antônio, Edmílson e Oswaldo (SR).
Gols: Gabriel (20-2) e Vitor Bueno (42-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju (Yuri); Renato, Thiago Maia, Léo Cittadini (Paulinho) e Vitor Bueno; Gabriel e Joel (Lucas Lima).
Técnico: Dorival Junior

SPORT RECIFE
Magrão; Samuel Xavier, Oswaldo, Durval e Renê; Rithely, Luiz Antônio (Rodrigo Mancha), Gabriel Xavier (Cleyton), Everton Felipe e Diego Souza; Edmilson (Lenis).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Dupla da Seleção garante vitória em cima do Sport e põe o Peixe no G4

O Santos vai dormir nesta quarta-feira dentro do G4 do Campeonato Brasileiro. Em uma partida marcada por um primeiro tempo em que o Peixe desperdiçou pelo menos nove oportunidades incríveis de gol, a vitória por 2 a 0 em cima do Sport Recife na fria Vila Belmiro deixou o alvinegro praiano a frente do Corinthians, provisoriamente. Agora, os santistas terão de torcer por uma derrota do Timão nesta quinta, contra o Fluminense, em Brasília, para se consolidarem no pelotão de cima da tabela de classificação.

De qualquer forma, a terceira vitória seguida da equipe de Dorival Júnior na competição põe fim ao clima de desconfiança e ratifica o desejo inicial do clube em brigar pelo título nesta temporada. O Santos chegou aos 13 pontos e só está a frente do rival da Capital momentaneamente por ter um gol marcado a mais.

E pode-se dizer que os três pontos conquistados nesta quarta foram somados graças a Lucas Lima e Gabriel. O meia entrou apenas no segundo tempo e acabou dando a assistência para seu companheiro de Seleção Brasileira. A dupla retornou ao clube na terça, depois de participar da vexatória campanha do Brasil na Copa América. E no segundo gol, o camisa 10 deu lindo passe para Vitor Bueno, que tirou Magrão da jogada e completou para as redes.

O jogo

Não foi uma nem duas. O Santos perdeu nada menos de nove oportunidades claras de abrir o placar no primeiro tempo da partida desta quarta. Apesar do Sport figurar na zona de rebaixamento do campeonato, a impressão é que nem os próprios santistas estavam preparados para tanta facilidade. Praticamente todos os ataques do Peixe levavam perigo ao goleiro Magrão.

Joel foi quem mais abusou. Logo no primeiro minuto, o camaronês desperdiçou talvez a oportunidade mais inacreditável, de cabeça, praticamente dentro da pequena área, sem marcação. Em pouco tempo, o centroavante de 22 anos recebeu mais duas chances para se redimir, mas não correspondeu e antes mesmo dos 20 minutos a torcida já havia perdido a paciência.

A revolta só não ficou centralizada em Joel porque seus companheiros fizeram o favor de dividir a carga negativa. Gabriel, de volta após defender a Seleção Brasileira na Copa América, chutou para fora duas grandes chances, de frente para o goleiro do Sport. A segunda, totalmente livre de marcação.

Para completar, Victor Bueno errou o alvo em jogada que o meia pôde dominar a bola com a coxa e escolher o canto de tanta liberdade que tinha, mesmo estando dentro da área da equipe pernambucana. Um carrinho atrasado de Joel e uma linda defesa de Magrão em chute de longa distância de Renato completaram o show de gols perdidos pelos jogadores do Peixe.

E a velha máxima ‘quem não faz, toma’, por pouco não fez mais uma vítima. Aos 46 minutos, Durval, ex-zagueiro do Santos, ficou com uma sobra de bola dentro da área e só não abriu o placar para os visitantes graças a intervenção de Vanderlei.

E como já era esperado, Joel voltou para o segundo tempo no banco de reservas. Lucas Lima, preservado na primeira etapa, entrou no jogo. O problema é que Oswaldo de Oliveira, outro ex-santista, fez ajustes no rubro-negro e o jogo ganhou outra cara.

O Peixe seguiu se impondo e ditando o ritmo da partida, mas as chances claras de gol já não aconteciam como antes. Os comandados de Dorival Júnior, então, claramente passaram a sentir o nervosismo pela ineficiência, que veio acompanhado da impaciência da torcida, que já reclamava veemente a cada bola perdida. E o Sport Recife, por sua vez, começava a ser perigoso no contra-ataque e ficava mais tempo com o domínio da bola. Mas, Vanderlei não chegou a ser exigido.

A agonia só teve fim aos 20 minutos, quando Caju iniciou jogada pela esquerda e lançou Lucas Lima. O meia esperou o momento certo para cruzar rasante. Gabriel, na função de centroavante, só teve o trabalho de completar para o gol. Festa e sensação de alívio na Vila Belmiro graças aos dois atletas que retornaram nesta terça da Seleção Brasileira.

Pouco tempo depois, o Sport teve a oportunidade de jogar um verdadeiro balde de água fria nos alvinegros. Edmilson fez fila na defesa do Peixe e ficou cara a cara com Vanderlei. Mas, ao tentar cavar, acabou jogando a bola por cima do travessão. A Vila, desta vez, se calou por alguns segundos.

E golpe final do Santos veio aos 42 minutos, quando Gabriel recebeu livre na esquerda e viu Vitor Bueno aparecer como elemento surpresa dentro do área. O atacante não titubeou e fez a assistência para Bueno passar por Magrão e colocar números finais ao placar, de carrinho.

Bastidores – Santos TV:

Gabriel reclama de Vila “vazia” e Renato alerta para gols perdidos

O Santos fez o dever de casa nesta quarta-feira. Venceu o Sport Recife por 2 a 0 na Vila Belmiro e vai dormir no G4 do Campeonato Brasileiro. A terceira vitória seguida veio graças ao esforço de Lucas Lima e Gabriel, que retornaram dos Estados Unidos na terça-feira, onde defenderam a Seleção Brasileira na Copa América Centenário, e depois de apenas um treino, foram decisivos na vitória do Peixe. Após o jogo, porém, os atletas reclamaram da falta de apoio do torcedor em um momento de ascensão da equipe na competição.

“Muito contente, vitória na garra, na vontade, contente em voltar, fazer gol, mas acho que temos que lotar a Vila mais (vezes). Torcida tem direito de cobrar, mas acho que temos que cobrar deles a participação. Não pode em um jogo como esse, jogo decisivo, ter pouca gente no estádio. Respeito muito a torcida do Santos, sou santista, mas acho que o time está muito bem. Tem que melhorar e a torcida lotar o estádio para conseguirmos vitórias melhores”, comentou Gabriel, que nesta quarta abriu o placar e deu assistência para Vitor Bueno marcar o segundo.

Apenas 4.937 torcedores compareceram ao estádio Urbano Caldeira na noite que marcou 12ºC em Santos. O volante Renato, mesmo tomando alguns cuidados com as palavras, fez coro ao discurso de seu companheiro e pediu mais presença nas arquibancadas.

“Necessitamos deles. Ano passado, na recuperação, eles tiveram um papel fundamental, mas sabemos do horário também. Infelizmente, nem todo mundo pode vir. Mas esperamos que nos próximos jogos a torcida compareça e, na Vila, sejamos fortes de novo”, completou o camisa 8.

Com a braçadeira de capitão no braço, Renato também aproveitou para puxar a orelha dos jogadores de frente do time e alertou para os perigos de um jogo em que o Peixe desperdiçou ao menos nove oportunidades claras de gol quando o placar ainda estava zerado.

“A bola pune, mas graças a Deus nesse jogo não. Fizemos um bom primeiro tempo, mas fica o alerta para converter as oportunidades e não perder tanto gol assim”, explicou, antes de rasgar elogios a Gabriel e Lucas Lima, responsáveis por acabar com a ‘zica’ no segundo tempo. “Claro que a gente sente a dificuldade, até pelo entrosamento. A gente sabe que eles vinham numa dinâmica, então, quem entra tem um pouco de entrosamento. Mas mostramos que somos um grupo. Espero que não saiam, mas, se saírem não tem jeito. A gente continua, não pode lamentar, mas enquanto estiverem, vão nos ajudar”, concluiu.

Dorival perdoa time por gols perdidos e reforça cobrança ao torcedor

A vitória do Santos sobre o Sport nesta quarta-feira deu a Dorival Júnior um ambiente que o treinador ainda não havia curtido neste Campeonato Brasileiro. Calmo e claramente empolgado com os nove pontos conquistados nos últimos três desafios, Dorival minimizou até mesmo os riscos que sua equipe correu depois de desperdiçar tantas oportunidades claras de gol no primeiro tempo nesta 8ª rodada.

“Se não criasse, me preocuparia. Não foi o caso. Tivemos 20 oportunidades de gol. Caímos no segundo tempo. Na etapa final não perdemos as possibilidades de contra-atacar. Em um todo, a equipe se comportou muito bem. Poderia ter uma sorte um pouco melhor. Se não houvesse criação, aí sim me preocuparia. Nesse sentido, não”, explicou, explicando os reflexos de sua alteração no intervalo, quando sacou Joel e colocou Lucas Lima em campo.

“Tiramos a referência, depois mudamos de novo até que encontramos o gol em uma jogada trabalhada e bem aproveitada que nos deu uma tranquilidade maior. Depois, com o segundo gol, conseguimos o equilíbrio”, disse, se rendendo ao talento de Gabriel e Lucas Lima, grandes responsáveis pelos 2 a 0 no placar. “É nítido. A melhora acontece. São jogadores de altíssimo nível, dinâmica grande, qualidade técnica. São jogadores já consolidados, alcançando outro patamar. Natural que façam falta”.

Apesar do clima favorável, Dorival Júnior foi questionado sobre as reclamações de Gabriel e Renato, que na saída de campo cobraram uma presença em maior número dos torcedores santistas nas partidas na Vila Belmiro. Apenas 4.937 torcedores apoiaram o time na fria noite desta quarta.

“Acho que de um modo geral o torcedor do Santos precisa comparecer de maneira mais direta, principalmente aqui dentro. Estamos limitados à presença do torcedor que está em todos os momentos. Mesmo assim, o número de torcedores parece que tem um limite aqui dentro e em momento nenhum temos quantidade maior. Isso penaliza o clube e os jogadores. O torcedor comum realmente está deixando a desejar. A diretoria tem que se preocupar e criar alternativas para resgatar o torcedor”, opinou o comandante.

Por fim, Dorival Júnior fez questão de ressaltar que o mais importante neste início de competição é o time encontrar um padrão e ganhar confiança rodada a rodada. O fato do Peixe entrar no G4, pelo menos provisoriamente, é deixado em segundo plano pelo treinador santista nesse momento.

“Isso não é tão importante. Importante é voltar a jogar bem, com confiança. Desde o Botafogo a equipe já vem com nova condição. Hoje tivemos intensidade grande, troca de passes. A equipe pode manter aquilo que apresentou na primeira etapa. Nossa preocupação não é com o posicionamento, e sim voltar a jogar de forma confiável ao torcedor, sabendo que vai brigar”, concluiu.

Dorival quer fim de especulações e pede pulso firme à diretoria

Quanto mais as estrelas do Santos brilham em campo, mais crescem as especulações sobre o futuro dos principais atletas do elenco de Dorival Júnior. Depois de retornarem da Seleção Brasileira, Lucas Lima e Gabriel mostraram que realmente vivem grande fase e decidiram o jogo para o Peixe nesta quarta-feira, em duelo contra o Sport. Logo após a vitória por 2 a 0 na Vila Belmiro, Dorival novamente foi abordado sobre a possibilidade de perder definitivamente seus pilares para o mercado estrangeiro e se mostrou cansado com essa situação.

“Acho que, primeiro, o próprio posicionamento da diretoria de não vender a não ser pela multa. Segundo, que paremos com especulações, porque na verdade pouca coisa existe. Vontade dos jogadores é um terceiro ponto. O Santos tem que se reforçar e não perder jogadores, se quiser conquistar um espaço dentro de um cenário nacional, sul-americano e mundial. É natural que tenha que buscar, se concentrar e, acima de tudo, fortalecer um elenco que já tem qualidade. Paremos com especulações”, cobrou o treinador.

A janela de transferências internacionais abre dia 19 deste mês e fechará no Brasil no dia 20 de julho. Nesse período, a boa notícia para o treinador santista é que alguns reforços ficarão livres para atuar, além de outros que começam a aparecer após os primeiros treinamentos. Nesta quarta, Yuri fez sua estreia com a camisa do Peixe ao entrar no lugar de Caju nos minutos finais do jogo.

“Daqui a pouco teremos Vecchio, Copete, Rodrigão. A equipe terá um poderio ainda maior e vai ganhar em qualidade para que tenhamos uma equipe ainda mais forte”, sem esconder que pode mexer no sistema tático da equipe, principalmente por cauda da má fase de Joel, por mais que Dorival tente não jogar toda a responsabilidade nas costas do camaronês.

“Ainda não me defini. Teremos um jogo complicado (contra o Atlético-PR, fora, no sábado). O Joel foi importante, teve hoje muitas oportunidades, vinha fazendo uma partida boa, mas não estava em noite tão feliz. Isso não quer dizer nada. Continua com a minha confiança. Me deixa satisfeito. Natural que eu tente outra situação”, comentou.

Seleção

Dorival Júnior também falou sobre a saída de Tite do Corinthians, que agora assumirá o lugar deixado por Dunga na Seleção Brasileira.”Mais que merecida a chegada dele à Seleção. Lamento por quem saiu, mas natural que tudo que Tite vem conquistando vem preparando. Não atropelou ninguém. É um grande profissional. Merece. Espero que seja muito feliz e dê sequência ao trabalho. E que busquemos uma regularidade no futebol brasileiro novamente”, analisou, desmentido os boatos de que já teria sido procurado pelo próprio Corinthians para ocupar o espaço deixado por Tite. “Não fui procurado. Meu clube é o Santos. Não fui procurado”, encerrou.