Grêmio 3 x 2 Santos

Data: 29/06/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 13.088 pagantes (14.865 presentes)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Auxiliares: Alessandro A Rocha de Matos (BA) e Bruno Raphael Pires (GO).
Cartões amarelos: Edilson, Douglas e Wallace (G); Lucas Lima, Zeca e Yuri (S).
Gols: Giuliano (02-1) e Douglas (44-1); Copete (19-2), Zeca (38-2) e Marcelo Hermes (44-2).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Fred, Rafael Thyere (Marcelo Hermes) e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson, Giuliano, Douglas e Éverton (Guilherme); Luan (Bobo).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato (Jean Mota), Thiago Maia, Vitor Bueno (Jonathan Copete) e Lucas Lima; Gabriel e Rodrigão.
Técnico: Dorival Junior



Grêmio vence confronto direto na Arena e toma vaga do Santos no G4

O Grêmio reagiu diante de seu torcedor após duas derrotas seguidas e interrompeu a ascensão momentânea do Santos no Campeonato Brasileiro. Em confronto direto pela briga no topo da tabela, nesta quarta-feira, o Tricolor levou a melhor com uma vitória emocionante e dramática por 3 a 2 em cima do alvinegro praiano. Além de acabar com a chance do Peixe de assumir a liderança do nacional nesta 12ª rodada após 10 anos e 2 meses, os gaúchos ainda tomaram a vaga santista dentro do G4, independentemente dos resultados dos outros jogos.

O Santos pagou pela falta de concentração em momentos cruciais do duelo na Arena, em Porto Alegre. Logo aos 3 minutos, o time de Dorival Júnior levou o primeiro gol depois de Giuliano aproveitou rebote dado por Vanderlei. E quase nos acréscimos da primeira etapa, em lance muito parecido, foi a vez de Douglas aproveitar rebatida do goleiro alvinegro. O Peixe descontou no segundo tempo com o atacante Jonathan Copete, que fez sua estreia ao entrar no intervalo e não desperdiçou desvio de Gustavo Henrique em escanteio pela esquerda. Nos minutos finais, Zeca marcou um golaço de fora da área e empatou tudo, mas Lucas Lima perdeu uma bola dominada no campo de defesa e Hermes levou os gremistas ao delírio já aos 44 do segundo tempo.

O jogo

A expectativa antes da bola rolar era de jogão em Porto Alegre devido as duas equipes estarem tão próximas na tabela de classificação. Mas, enquanto o Grêmio entrou em campo preparado para uma decisão, o Santos acabou pagando pela desatenção nos minutos iniciais. Os defensores de Dorival Júnior não resistiram a pressão na saída de bola e foram surpreendidos. Éverton recebeu pela esquerda, limpou e bateu forte. Vanderlei espalmou e Giuliano não perdoou no rebote: 1 a 0 Tricolor com apenas 2 minutos de jogo.

O Peixe demorou para entrar no ritmo da partida e por pouco não viu o prejuízo ficar ainda pior no minuto seguinte. Douglas dominou dentro da área, após escanteio e cruzou na cabeça do zagueiro Rafael, que jogou por cima do travessão e por pouco não ampliou a vantagem.

Só a partir daí os santistas, até então atordoados, conseguiram ter calma e colocar a bola no chão. Aos 7 minutos, Lucas Lima serviu Victor Ferraz na direita. O lateral cruzou para trás e Rodrigão bateu com perigo. Era o início do domínio alvinegro, ao menos no quesito posse de bola, já que o chute do centroavante foi a única jogada furou a defesa gremista em todo o primeiro tempo.

Com a nevoa de volta à Arena, como vem ocorrendo em muitos jogos do Grêmio em sua casa, o ritmo diminuiu e as disputas passaram a ficar concentradas no meio de campo. Apenas Giuliano conseguiu se sobressair ao sistema defensivo aos 28 minutos, nas costas de Victor Ferraz, mas Vanderlei salvou com uma bela defesa a queima roupa.

E quando todos pareciam aguardar o apito do árbitro para descansar nos vestiários, os gaúchos marcaram de novo em lance muito parecido com o primeiro gol. Aos 44, Éverton passou por Luis Felipe e Victor Ferraz e bateu cruzado. Vanderlei voltou a rebater a finalização e Douglas ‘pregou’ o goleiro, sem deixar a bola cair, em amis um rebote.

Com o placar de 2 a 0 contra, Dorival Júnior resolveu mexer já no intervalo e promoveu a estreia do atacante colombiano Jonathan Copete. Vitor Bueno foi sacado. Em campo, porém, as coisas continuaram ruim para os paulistas. O Grêmio repetiu a dose de pressionar nos primeiros minutos e Éverton quase marcou depois de receber cruzamento de Marcelo Oliveira e bater cruzado. A bola raspou a trave de Vanderlei.

O goleiro preciso trabalhar ainda mais duas vezes nos primeiros 10 minutos em finalizações de Giuliano e Edilson. O Santos não conseguia ser criativo, apesar de ter Lucas Lima na armação e três atacantes na frente.

Só aos 19 minutos o Peixe chegou. Gabriel fez jogada individual pela direita e encheu o pé. Marcelo Grohe evitou o gol santista. Mas, na cobrança do escanteio, o goleiro gremista nada pôde fazer. Gustavo Henrique ganhou no alto e a bola sobrou para Copete, que teve liberdade para dominar e estufar as redes. 2 a 1 e um novo jogo na Arena.

A pressão mudou de lado e o Santos se lançou de vez ao ataque. Dorival, para isso, ainda colocou Yuri no lugar de Gustavo Henrique para que o ex-jogador do Audax pudesse fazer o papel de zagueiro, mas usar sua técnica refinada para ajudar na saída de bola. O Grêmio só respondeu aos 27 minutos, quando Luan recebeu cruzamento de Douglas e desperdiçou uma grande chance, de cabeça.

E quem não faz, toma. Já diria o ditado popular. E mais uma vez foi assim dentro de campo. Aos 37 minutos, Zeca apareceu na diagonal e arriscou de fora da área. O lateral esquerdo, que é destro, ‘pegou na veia’, sem chance para o goleiro gremista, e decretou a igualdade no placar. Desta forma, o Santos mantinha sua vaga dentro do G4 e deixava o rival de fora.

Mas, para concluir uma partida emocionante e digna de duas equipes que prometem brigar pelo título nesta temporada, um gol aos 44 minutos mudou todo o cenário. Lucas Lima perdeu a bola no campo de defesa e complicou a zaga santista. Giuliano serviu Hermes, que bateu de primeira na saída de Vanderlei e fez os quase 15 mil torcedores nas arquibancadas explodirem de alegria, principalmente depois do apito final, que veio após quatro minutos dramáticos de acréscimo.

Santistas não culpam Lucas Lima e valorizam postura ousada em derrota

O Santos fez o mais difícil nesta quarta-feira. Buscou o empate na casa do adversário depois do Grêmio abrir 2 a 0 no placar. Mas, já nos minutos finais, Lucas Lima prendeu excessivamente a bola no campo de defesa e acabou dando o contra-ataque ao Tricolor Gaúcho, que foi fatal. Marcou o terceiro gol e decretou a vitória nesta 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o apito final, ao invés de frustração, veio a surpresa. Os jogadores do Peixe estavam orgulhosos do que fizeram em campo, apesar da derrota.

“Não (frustração), o time jogou bem, no segundo tempo impôs o jogo, mas infelizmente não conseguimos o empate ou a vitória, perdemos por 3 a 2. Saímos de cabeça erguida e vamos trabalhar para poder conseguir o próximo resultado”, comentou Zeca, autor do segundo gol alvinegro, ao Sportv.

“Fomos ousados e valentes. Se fosse outro time, ia tentar segurar o empate, mas é o nosso estilo de jogo e fomos para cima. Tentamos a vitória e acabamos levando o gol”, avaliou Gabriel, antes de eximir Lucas Lima de qualquer culpa pelo terceiro gol gremista. “Uma infelicidade nossa. Tentamos o terceiro gol jogando para frente, para vencer e, em um lance bobo, eles fizeram o gol. Queríamos a vitória, fizemos um bom jogo, mas perdemos”, completou.

O lateral esquerdo também fez questão de sair em defesa de Lucas Lima. “Foi uma bola que a gente treina isso, de sair tocando a bola, treinamos diariamente, toque de bola, mas infelizmente perdemos a bola e eles fizeram o gol. Temos certeza que vamos nos encaixar e ganhar o próximo jogo”, explicou.

Talvez o jogador que mais lamentou os pontos perdidos em Porto Alegre foi o experiente e capitão Renato. O volante não se abateu, mas não conseguiu esconder a decepção com o gol levado nos minutos finais depois de uma reação surpreendente. “Sabíamos que era um jogo difícil, buscamos o empate, eles (Grêmio) fizeram o terceiro. Brasileirão é isso. Era importante fazer um ponto. Infelizmente fomos castigados”, concluiu o volante.

Dorival rasga elogios ao Santos e fala em cabeça erguida após revés

Nem parece que o Santos perdeu na noite desta quarta-feira. Depois dos próprios atletas enaltecerem a postura da equipe no revés para o Grêmio por 3 a 2, em Porto Alegre, em seguida foi a vez do técnico Dorival Júnior não poupar elogios aos seus comandados pela forma como o time de comportou nesta 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Nem mesmo a saída do Peixe do G4 fez com que o treinador se preocupasse.

“O Santos jogou perante uma equipe competitiva. Grêmio teve competência no início e no fim. Conseguiu definir a partida. Gol no primeiro momento. O Santos foi guerreiro e não se abateu em momento nenhum. Procurou penetração e encontrou movimentação. Poderíamos sair para o terceiro na jogada em que eles fizeram o último gol. Estou satisfeito com a equipe e com o espetáculo de futebol”, disse Dorival. “O Santos não sai daqui com a cabeça baixa. Buscamos o resultado, e era isso que eu queria ver”, completou.

O comandante santista entendeu o gol gremista nos minutos finais como uma fatalidade do esporte e preferiu, a cada resposta, valorizar o que sua equipe fez de bom no jogo, principalmente no segundo tempo, quando buscou um resultado surpreendente.

“Alcançamos o empate e queríamos o terceiro gol. Nos abrimos, fomos para cima, jogamos com a intensidade de sempre, criamos, com posse de bola, e infelizmente fomos penalizados nesse último minuto. Paciência. temos de trabalhar, reequilibrarmos nossas melhores condições já para o jogo de domingo”, avaliou.

“Até porque eu não tenho o que lamentar. Eu tenho que enaltecer aquilo que a equipe fez dentro de campo, saindo de um 2 a 0, um resultado muito complicado, frente uma grande equipe, mesmo assim, a equipe procurou a todo instante o gol que nos daria uma condição muito favorável”.

A análise final de Dorival Júnior não fez com que o técnico não enxergasse aquilo que seus jogadores não fizeram tão bem nesta quarta. E a maior crítica veio pelo desempenho do time do primeiro tempo, quando o Peixe teve mais posse de bola, mas pouco entrou na área adversária.

“Nós tínhamos a posse de bola, mas faltava a penetração, as trocas de passes com um pouco mais de dinâmica acima de tudo e as movimentações para que um companheiro pudesse estar em condições de finalizar a jogada. Isso que faltou”, concluiu Dorival.