Palmeiras 1 x 1 Santos

Data: 12/07/2016, terça-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Allianz Parque, em São Paulo, SP.
Público: 40.035 pagantes
Renda: R$ 2.847.298,80
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (ambos de SP).
Cartões amarelos: Moisés, Erik e Arouca (P); Gabriel e Lucas Lima (S).
Gols: Mina (06-1) e Gabriel (10-2).

PALMEIRAS
Fernando Prass; Jean, Mina (Edu Dracena), Vitor Hugo e Zé Roberto; Matheus Sales, Tchê Tchê e Moisés (Arouca); Erik, Dudu e Lucas Barrios (Leandro Pereira).
Técnico: Cuca

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato, Vitor Bueno (Copete) e Lucas Lima; Gabriel (Yuri) e Rodrigão (Joel).
Técnico: Dorival Junior



Palmeiras cede empate ao Santos e vê vantagem diminuir para o Corinthians

O Palmeiras não conseguiu segurar uma vantagem construída no início do primeiro tempo e cedeu o empate por 1 a 1 ao Santos, nesta terça-feira, no Palestra Itália. Diante de 40.035 torcedores – o maior público desde a reforma do estádio, o Verdão viu sua estratégia ruir após as lesões de Moisés e Mina. A igualdade nesta 14ª rodada do Campeonato Brasileiro manteve o time na liderança, mas diminuiu para um ponto a distância do rival Corinthians. No momento, o time de Cuca está com 29 pontos.

As contusões de Moisés e Mina são novas dores de cabeça para Cuca, já que eles poderão desfalcar a equipe nas próximas rodadas. O caso do colombiano é mais sério, pois se trata de uma lesão no músculo posterior da coxa. Como levará ao menos três semanas para se recuperar o zagueiro de 21 anos deverá ser cortado da seleção colombiana que disputará as Olimpíadas do Rio de Janeiro.

O gol palmeirense foi marcado justamente por Mina, em uma cabeçada aos seis minutos do primeiro tempo. O Santos, contudo, ganhou terreno no segundo tempo e igualou com Gabriel. Aos dez, ele arriscou um chute de fora da área e superou o goleiro Fernando Prass graças a um desvio no zagueiro Vitor Hugo. O empate fez o Verdão perder os primeiros pontos em casa no torneio sob o comando de Cuca. O time havia vencido os sete jogos anteriores em seus domínios.

O Palmeiras tentará recuperar a vantagem para o vice-líder Corinthians às 16 horas (de Brasília) do próximo domingo, diante do Internacional, no Beira-Rio. Já o Santos, que se manteve no G4 com o ponto conquistado, enfrentará a Ponte Preta, às 18h30 de sábado, na Vila Belmiro. O time comandado por Dorival Júnior é o quarto colocado, com 23 pontos conquistados.

O jogo

Os telões do Palestra Itália marcavam apenas seis minutos quando Mina colocou o Palmeiras à frente no placar. Dudu cobrou escanteio da direita e viu o colombiano de 1,95m subir no centro da área e cabecear para o gol sem ser incomodado pela defesa santista. Na comemoração, o zagueiro cumpriu a promessa feita à torcida e mostrou uma de suas famosas – e desengonçadas – danças.

Pouco tempo se passou até a alegria de Cuca dar lugar à preocupação. O meio-campista Moisés sentiu uma lesão, aos dez minutos, e teve de ser substituído pelo volante Arouca. Ele era dúvida antes do jogo e só foi escalado porque apresentou melhoras após fazer um tratamento intensivo durante a última semana.

No lance seguinte, o Santos assustou com um chute de Victor Bueno que passou rente à trave esquerda de Prass. Barrios, aos 19, respondeu ao se antecipar em um recuo de bola e concluir antes da chegada de Vanderlei, à direita do gol. Aos 26, o lateral alvinegro Victor Ferraz fez um cruzamento perigoso à meia altura, obrigando Prass a praticar uma defesa com os pés.

A disputa seguiu aberta até o intervalo. Lucas Lima, aos 40, apareceu pela primeira vez no jogo ao cobrar uma falta da direita. A tentativa de cruzamento passou por toda extensão da área e quase entrou no gol alviverde. Aos 45, o Palmeiras sofreu um duro golpe com a contusão de Mina. O zagueiro sentiu uma lesão no músculo posterior da coxa e saiu de campo chorando.

Cuca, então, colocou Edu Dracena em campo. O Santos aproveitou a baque no time palmeirense e quase empatou o jogo, após Lucas Lima surgir na frente do gol e desviar para fora. Na volta do intervalo, o Verdão começou melhor e assustou duas vezes no primeiro minuto. Erik e Dracena, em finalizações defendidas por Vanderlei, levantaram a torcida nas arquibancadas.

Mas aos poucos o Santos recuperou o domínio do jogo. Foi numa jogada despretensiosa, aos dez minutos, que Gabriel empatou o duelo. Após pegar a sobra de uma cobrança de falta, o atacante arriscou de longe e contou com um desvio em Vitor Hugo para superar Prass. O revés levou Cuca a mexer pela última vez no Verdão, tirando Barrios para promover a reestreia de Leandro Pereira.

Na primeira vez em que pegou na bola, aos 15 minutos, Leandro Pereira arrancou pela direita e chutou por cima do gol. Para não deixar o Palmeiras crescer, Dorival Júnior sacou Vitor Bueno para a entrada de Copete. Foi Dudu, no entanto, quem levou perigo ao gol. Aos 24, ele sambou na frente da defesa e arriscou a finalização, defendida com segurança por Vanderlei.

Em rápido contra-ataque, aos 33 minutos, Victor Ferraz cruzou da direita e Gabriel furou ao tentar concluir de letra. No mesmo lance, Thiago Maia tentou a conclusão e mandou por cima do gol. A jogada foi a última de perigo na partida. O Palmeiras tratou de se defender para evitar uma derrota, enquanto o Santos não teve competência para converter em gols a superioridade em campo.

Bastidores – Santos TV:

Dorival elogia a postura santista mesmo com o empate no clássico

O técnico Dorival Júnior avalia que o Santos está em plena evolução quando atua como visitante. No empate desta terça-feira, contra o Palmeiras, no Palestra Itália, o treinador aprovou a postura de sua equipe, principalmente no segundo tempo, quando esteve mais perto de conseguir a vitória

“Fomos buscar o resultado a todo o momento, mesmo com o estádio lotado pela torcida adversária. Buscamos jogar dentro das nossas características e isso foi muito importante”, avaliou Dorival.

O momento destoante, na avaliação do treinador, foi atuação do Peixe durante boa parte do primeiro tempo. “Tivemos um mal início, talvez pela insegurança de começo de jogo. Mas nos recuperamos ainda na primeira etapa. No segundo tempo, mudou completamente a postura do time e passamos a predominar e levar muito mais perigo do que o Palmeiras”, opinou.

O lateral-direito Vitor Ferraz concorda com o treinador e vê o Santos muito mais preparado em atuar como visitante em relação ao ano passado. “O time tem amadurecido. Ano passado nossa equipe era muito nova, com uns 10 jogadores disputando seu primeiro Brasileiro naquele momento. O brasileiro é um campeonato que ganha na imposição e essa experiência é importante você ter. Hoje o time está mais maduro e com condições de disputar o titulo”, enfatiza o lateral.

O atacante Gabriel também valorizou a boa postura do Peixe, principalmente na etapa final. “Poderíamos ter vencido. Fomos melhores. Sabemos inverter o jogo, mas faltou o último passe para conseguir a vitória. Mas fora de casa um empate não é mal resultado”, disse.