Vídeos: Gols e melhores momentos

Santos 3 x 1 Ponte Preta

Data: 16/07/2016, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.979 pagantes
Renda: R$ 364.360,00
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Auxiliares: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Bruno Salgado Rizo (ambos de SP).
Cartões amarelos: Thiago Maia, Gabriel e Zeca (S); Willian Pottker e Wendel (PP).
Gols: Victor Ferraz (20-1); Vitor Bueno (12-2), Gabriel (26-2) e Roger (39-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Vitor Bueno e Lucas Lima (Elano); Gabriel (Vecchio) e Ricardo Oliveira (Rodrigão).
Técnico: Dorival Júnior

PONTE PRETA
João Carlos, Nino Paraíba, Fábio Ferreira, Grolli e Reinaldo; Maycon, Matheus Jesus (Felipe Menezes), Wendel e Clayson (Giva); Rhayner e Willian Pottker (Roger).
Técnico: Eduardo Baptista



Santos derrota a Ponte Preta na despedida do trio olímpico

No dia em que teve a oportunidade de jogar com sua força máxima pela primeira, e talvez a única, vez no Campeonato Brasileiro, o Santos não vacilou e fez a lição de casa com autoridade. Na vitória sobre a Ponte Preta por 3 a 1, neste sábado, na Vila Belmiro, com gols de Victor Ferraz, Vitor Bueno e Gabriel, o Peixe ratificou a quarta colocação na tabela, com 26 pontos. A Macaca, que descontou com Roger, segue com 23 pontos.

O triunfo santista foi marcado pela eficiência da equipe do técnico Dorival Júnior, que não desperdiçou as chances que teve. O Peixe agora torce para os tropeços de Palmeiras, Corinthians e Grêmio, que jogam no domingo e ocupam as três primeiras colocações, respectivamente, para colar de vez na parte de cima da tabela.

Agora sem Zeca, Thiago Maia e Gabriel, que se apresentam neste domingo à Seleção Brasileira que disputa a Olimpíada, a equipe da Baixada Santista volta a campo na quarta-feira, diante do Gama, no Bezerrão, pela terceira fase da Copa do Brasil. Já a Ponte Preta retorna no mesmo dia, diante do Figueirense, também pela Copa do Brasil, em Campinas.

O jogo

Desde o início, a partida teve a postura tática exatamente como se imaginava, com o Santos dono das ações e a Ponte na espera de um contra-ataque.

Com Gabriel inspirado, o gol era uma questão de tempo para os santistas. E foi realmente o que aconteceu. Aos 20, Gustavo Henrique caprichou na cobrança de falta. A bola foi na trave direita de João Carlos. No rebote, Victor Ferraz, em falha de marcação da defesa da Macaca, só teve o trabalho de cabecear para o gol aberto.

Aos 35, em descida pela esquerda, Gabriel levou a melhor sobre o seu marcador e cruzou na medida para Ricardo Oliveira, que tocou no canto direito do goleiro campineiro, mas para fora do gol.

A Ponte Preta ensaiou uma reação nos minutos finais. Aos 43, Pottker recebeu na área e finalizou de esquerda para excelente defesa de Vanderlei e corte de Gustavo Henrique, na sequência.

Os visitantes voltaram para o segundo tempo com a proposta bem definida de empatar a partida logo nos primeiros minutos. Mas o objetivo campineiro esbarrou mais uma vez no bom desempenho do goleiro Vanderlei.

Aos 6, Maycon recebeu na entrada da área, driblou Gustavo Henrique e chutou cruzado. Vanderlei se esticou todo para fazer uma bela defesa.

O Santos poderia ter definido a partida logo na sequência, quando Gabriel disparou livre pelo campo da Ponte Preta, tirou João Carlos da jogada com um corte para a direita, mas perdeu o ângulo para definir com precisão.

Mas, aos 12 minutos, não teve jeito para a Ponte. Gabriel deu belo passe para Ricardo Oliveira, dentro da área, pela direita. O camisa 9 tocou rasteiro para o meio da área, Grolli furou e ficou fácil para Vitor Bueno tocar para dentro.

O panorama se repetiu aos 28 minutos: quando a Ponte mais rondava a área santista, o Santos novamente chegou ao gol. Após cruzamento pela direita, Ricardo Oliveira tentou o chute, mas a bola sobrou para Gabriel marcar.

Logo depois do gol, o camisa 10 protagonizou uma imagem emblemática, ao se ajoelhar atrás do gol e beijar o escudo do clube, pintado no gramado. Seria um sinal de despedida do Peixe em razão do assédio da Juventus, da Itália?

A Ponte ainda descontou aos 39, quando Rayner lançou Roger pela direita. Gustavo Henrique não acompanhou o atacante, que pôde finalizar e marcar.

Gabriel fala em tom de despedida; Barça observa Lucas Lima

Os gritos de “Fica, Gabigol!” vindos das arquibancadas da Vila Belmiro após a vitória santista sobre a Ponte Preta, neste sábado, foram um sinal claro de que até a torcida santista sabe que está cada vez mais próximo o momento de Gabriel deixar o Santos.

Com atuação destacada, marcada por uma assistência e um gol, o atacante sinalizou que sua despedida pode ter ocorrido neste sábado. Ao balançar as redes, o camisa 9 se ajoelhou atrás do gol e beijou o símbolo do clube, algo inusitado na carreira do atacante.

“Aqui é meu quintal onde eu brinco. Estou muito contente de jogar na minha casa. Fazer um gol na Vila Belmiro é uma alegria enorme. Não sei se foi meu último jogo, mas não sei se volto (depois da Olimpíada). Curti muito esse momento do gol. Deixo a decisão nas mãos do meu pai e do meu empresário. Estamos conversando, discutindo bastante. Meu foco agora é a Seleção Brasileira”, disse Gabriel, logo após a partida.

Neste domingo, Gabriel viaja para Teresópolis, no Rio de Janeiro, junto com Zeca e Thiago Maia, onde se junta à Seleção Brasileira que disputará os Jogos Olímpicos.

Após quase assinar a renovação contratual com o Santos, o atacante está perto de deixar o Peixe. A Juventus, da Itália, sinaliza oferecer uma quantia milionária para a diretoria santista. O Santos tem direito a somente 40% dos direitos econômicos do atleta.

Semana passada, a renovação contratual de Gabriel estava praticamente definida até 2021, faltando apenas a assinatura contratual. A diretoria santista convenceu o jogador a recusar o Chelsea, da Inglaterra, para ficar na Vila Belmiro e até divulgou nota oficial dizendo que o novo contrato estava em fase de confecção de minuta.

No entanto, a proposta italiana mudou o rumo da negociação e o destino do atacante está cada vez mais próximo de ser a Europa. Pelo Santos, Gabriel marcou 57 gols em 155 partidas. Na temporada de 2016, o atacante anotou 13 gols em 28 jogos. No Brasileiro deste ano, foram cinco gols em 10 partidas.

Lucas Lima é observado pelo Barça – Quem também não está certo sobre seu futuro no Santos é o meia Lucas Lima. Diante da Ponte Preta, o jogador foi observado por Robert Fernández, secretário-técnico do Barcelona. O meia tem sido frequentemente tem sido chamado para a Seleção Brasileira e já declarou que tem a intenção de atuar na Europa em breve. A boa relação com Neymar pode facilitar a transferência do jogador para a Espanha. Além de Lucas Lima e Gabriel, nomes como Thiago Maia e Zeca têm atraído a atenção de empresários do exterior.

Dorival demonstra insatisfação com provável saída de jogadores

O momento era para se de satisfação após seu time vencer mais uma partida de maneira convincente e ver que sua equipe está cada vez mais embalada e disposta a lutar pelo título do Campeonato Brasileiro. Porém, o técnico Dorival Júnior está bastante preocupado. Mais do que isso: está incomodado com as notícias que rondam a Vila Belmiro com rumores de que alguns de seus principais atletas devem deixar o clube até o fechamento da janela de transferências, no dia 31 de agosto.

O incômodo é tão grande que o treinador adotou um discurso que foge da sua caraterística conciliadora e serena na maioria das entrevistas. Na coletiva após o Santos derrotar a Ponte Preta por 3 a 1 neste sábado, Dorival falou em tom de desabafo.

“Se quisermos buscar algo melhor na competição, será com atuações como essas que tivemos nos últimos jogos. A produção que o Santos tem com todos os jogadores à disposição é muito forte. Agora sairão três jogadores (para as Olimpíadas). Não há como suprirmos isso sem tempo para prepararmos essas saídas. Os jogadores que temos podem até suprir essas ausências, mas a tendência é de encontrarmos dificuldades nas próximas partidas para mantermos o nível de atuação que estamos tendo”, avaliou o treinador, para, em seguida, desabafar, quando foi questionado sobre a eventual saída de Gabriel para Europa.

“É difícil falar que esse é o momento dele sair. Mas torço para que isso não aconteça nesse momento e espero que a diretoria pense nisso. Está na hora de pararmos de ter que montar a equipe durante a competição. Temos que pontuar o nosso torcedor para mostrar o que queremos: vamos buscar títulos ou buscarmos uma equipe nova a todo o momento? Está na hora de pensarmos grande. É preciso que o clube se posicione”, enfatizou Dorival.

O desabafo do treinador não parou por aí. O comandante santista utilizou como exemplo a saída do meia Geuvânio, para o futebol chinês, ano passado, para demonstrar o quanto é difícil ajustar a equipe após a transferência de um atleta importante no elenco.

“Até hoje não conseguimos um composição sem o Geuvânio. A reposição muitas vezes sai mais cara que a venda. Por isso me questiono se não é hora de os clubes aqui se posicionarem. O Geuvânio nos fez muita falta no Paulista e não tivemos uma reposição no mesmo nível”, disse. “Se um clube pagar a multa rescisória (do Gabriel), não há o que fazer. Se isso acontecer, ótimo. Do contrário, não vejo razão para negociar o jogador”, finalizou.